segunda-feira, 19 de abril de 2021

Se apaga a lâmpada do Sacrário: obscurecimento na Cristandade e trevas na Igreja

Apagou-se a lâmpada do Santíssimo
Apagou-se a lâmpada do Santíssimo
Luis Dufaur
Escritor, jornalista,
conferencista de
política internacional,
sócio do IPCO,
webmaster de
diversos blogs








Continuação do post anterior: Nossa Senhora do Bom Sucesso avisou o que viria sobre nós



Na noite de 2 de fevereiro de 1634 na solidão da capela enquanto a abadessa Madre Mariana implorava ao Senhor que a levasse logo desta Terra, se apagou a lâmpada do sacrário.

Batiam as 3 da manhã e a religiosa tentou sair do genuflexório para acender a lâmpada, não o conseguindo.

A cena é comovedora: uma religiosa de seriedade e virtudes, rezando a horas tardias na intimidade da igreja vazia diante do tabernáculo.

À primeira vista parece um fato corriqueiro qualquer: soprou um vento, qualquer outra coisa, e apagou a lâmpada.

A chama se extingue e a escuridão é completa, a freira não pode se mover: simboliza uma grande provação que vai baixar sobre a Igreja.

É uma última luz que se apaga. Isso deixa as almas fiéis em tanta provação que ficam como que sem sentidos. Isto é um símbolo carregado de significação.

A abadessa, como vimos, procura acender a lâmpada e não consegue. Nossa Senhora reacende a lâmpada e aparece, e no momento a capela inteira se ilumina com um grande brilho.

Nesse instante, toda a capela do convento se iluminou, e Nossa Senhora explicou o significado simbólico do apagamento da lâmpada relativo a diversos fatos futuros.

Nossa Senhora apareceu na noite e explicou o significado da lâmpada que se apagou
Nossa Senhora apareceu na noite e explicou
o significado da lâmpada que se apagou
Depois Nossa Senhora passa a dar cinco motivos que explicam o símbolo da lâmpada que se apaga. E fala da Cristandade sul-americana que passará por um eclipse que é a derrocada da atual ordem de coisas.

Mas, Nossa Senhora vai reacender a Cristandade na América do Sul, e depois, nesse momento, a Igreja inteira se ilumina com um grande brilho.

Como introdução, Nossa Senhora, lhe fornece uma prova da veracidade de tudo o que Ela vai dizer:

“Filha querida de meu Coração, Eu sou Maria do Bom Sucesso, tua Mãe e protetora, que trazendo meu Filho Santíssimo no meu braço esquerdo e um báculo no direito, venho dar-te a alegre notícia de que dentro de dez meses e alguns dias, encerrarás teus dias nesta Terra.”

De fato, a Madre Mariana partiu para o Céu no prazo anunciado: no dia 16 de janeiro de 1635.

A verificação de um fato próximo tão importante, como é frequente nas profecias, fornece a prova de que os eventos futuros anunciados também se cumprirão com a mesma exatidão.

Primeiro significado: perseguições religiosas e martírios


Quais são esses eventos vindouros? Ei-os:

“A lâmpada que arde diante do amor prisioneiro, que vistes apagar, tem muito significado.

“Em primeiro lugar: no fim do século XIX e por boa parte do século XX, estas terras serão então repúblicas e entregues a heresias.

“E reinando nela, se apagará a luz preciosa da Fé nas almas por uma quase total corrupção dos costumes.

“Neste tempo haverá grandes calamidades físicas e morais, públicas e privadas”.

A revelação privada de Nossa Senhora do Bom Sucesso, ainda que sucessivas transcrições possam ter mudado frases até importantes dela, é das mais completas e minuciosas das que anunciam fatos dos nossos tempos.

Pode se discutir se não é mais concreta, precisa quanto à época, ao lugar, à natureza dos fatos, à envergadura da catástrofe que se deve passar, do que a de La Salette.

O comunismo, explícito ou sorrateiro, é grande perseguidor da Igreja
O comunismo, explícito ou sorrateiro, é grande perseguidor da Igreja
“Grandes calamidades físicas e morais, públicas e privadas”! Como serão elas?

Serão apenas psicológicas, incruentas, ou cruentas também?

O mundo de hoje torna tudo possível, porque o característico do reino do absurdo em que afundamos é todas as coisas possíveis ficarem prováveis simultaneamente.

Então os fatos mais contraditórios acontecem e o impossível pode tomar ares de possível.

Nossa Senhora aprofunda a descrição profética:

“O pequeno número de almas em que se conservará o culto da Fé e da virtude, sofrerá um cruel e indizível padecimento, ao par de um prolongado martírio.

“Muitas delas descerão ao sepulcro por violência e sofrimento e serão consideradas como mártires por terem se sacrificado pela Igreja e pela pátria”.

Mártires pelo sangue derramado, ou de tanto sofrer por fidelidade à Igreja?


O registro não deixa claro se são mártires assassinados por ódio à fé ou se morrerão de tanto sofrer moralmente pela sua fidelidade à Igreja e à Pátria.

O sofrimento incruento causa maior dor que os danos corporais, como as feridas dos heróis da batalha de Lepanto, por exemplo.

Compreende-se que o crescendo dessas perseguições que trarão “cruel e indizível padecimento” possa causar desgostos que levem pessoas de Fé à sepultura.

“Para pôr à prova os justos nesta Fé e confiança, fará [que cheguem] momentos nos quais tudo parecerá perdido e paralisado, e então será o feliz princípio da restauração completa”.

Os anúncios são certamente para o Equador. Mas não apenas ele. Deve se considerar que naquela época as nações sul-americanas não tinham se definido com a clareza atual.

Anúncios que valem para a Igreja em todo o mundo

Real Audiencia de Quito em 1779
Real Audiencia de Quito em 1779

O atual território equatoriano fazia parte de uma jurisdição muito mais ampla que era a Real Audiência de Quito. Essa Audiência tinha largos poderes de base jurídica sobre um território cinco vezes maior que o atual Equador.

Ela fazia parte do Vice-reinado do Peru cuja autoridade pelo menos teoricamente se exercia sobre toda a América do Sul e incluía até o atual Panamá ao norte e a Terra do Fogo ao Sul.

O vizinho ao norte era o Vice-reinado do México que ia até o Alasca e se estendia por uma enorme parte do Oeste dos EUA.

Porém, os acontecimentos anunciados são de um tal porte que não poderiam deixar de envolver todas as atuais nações do continente. De imediato, pelo menos as nações circunvizinhas que estavam nascendo. E uma delas é, sem dúvida, o Brasil.

Nossa Senhora do Bom Sucesso deixou bem claro que viriam convulsões enormes sobre a América do Sul que fazia parte do reino hispânico.

Mapa de América do Sul em 1640, feito em Amsterdam, no tempo das apariões. Na.Sra. falou para esse conjunto continental
O Brasil integrando Portugal estava unido ao reino de Espanha naquele tempo; a coroa portuguesa era unida à da Espanha pelos reis da Casa de Áustria: Felipe II, Felipe III e Felipe IV.

O Brasil está, portanto, incluído na profecia que ao que tudo indica está se cumprindo em todos os países da América do Sul.

Por que é que essa revelação fala apenas dos países vizinhos e não fala do mundo? Hoje é impossível dar-se uma coisa destas sem que arraste todo o mundo.

Por que é que só fala de nossos países? Tudo leva a crer que eles devem exercer um papel especial nos acontecimentos que Nossa Senhora anuncia para o futuro.

Portanto, a luta na América Latina para derrubar o demônio e para fazer Nossa Senhora vencer terá aqui uma importância toda especial.

Por que foi escolhida a cidade de Quito? Quito foi a última capital do império incaico fortemente dominado por cultos demoníacos. Compreende-se seu papel central no esmagamento da serpente infernal pelo calcanhar da Virgem.

O empenho – até pouco risível – de muito altas figuras eclesiásticas e temporais europeias em ressuscitar o culto satanolatra da Pachamama é mais uma confirmação recente do combate contra a Virgem que esmaga a serpente..

Nossa Senhora de Quito domina a serpente acorrentada, símbolo da luta no nossoi continente
Nossa Senhora de Quito domina a serpente acorrentada,
símbolo da luta no nosso continente
Por que é que foi escolhida essa freira? Ela foi mandada a Quito pelo seu tio o Rei Católico Felipe II, para lá residir.

Que essa revelação fosse dada a uma sobrinha do Rei – talvez a primeira pessoa de sangue real a se instalar na América do Sul – é algo profético, muito bonito, condigno, e natural com a grandeza dos fatos que a Virgem prevê.

Aparece aí o simbolismo. As trevas são enormes, vem uma luz celestial e Nossa Senhora acende a lâmpada.

São duas luzes distintas: uma luz não é a da lâmpada; é de Nossa Senhora que aparece com uma luz celestial e com uma outra luz, essa material, acende a lâmpada apagada.

Algumas outras revelações privadas aprovadas pela hierarquia eclesiástica também preanunciam que virão trevas completas, não só no sentido material da palavra, mas no sentido espiritual, intelectual e religioso.

Nelas, a única coisa que nos restará é a certeza da infalibilidade e indestrutibilidade da Igreja Católica, mais nada.

Porém, no meio dessas trevas, temos o dever de aguardar que Nossa Senhora apareça. E acreditar que Ela mesma com uma grande luz vai reacender a chama que tinha morrido na humanidade.

Nossa Senhora atribui a extinção da chama aos pecados dos homens. Logo essa chama material é a Civilização Cristã, e a chama espiritual é a Fé Católica que no futuro seria extinta e depois restaurada no povo sul-americano.

Esse é o primeiro motivo simbólico do fato.



Continua no próximo post: Segundo motivo: a crise religiosa que parecerá extinguir a Fé


Um comentário:

  1. As minhas desculpas para o pedido a fazer.
    Estava a ler o artigo sobre as tragédias da América Latina ,o tlef tocou .Levantei-me para atender .Quando regressei ,o artigo tinha desaparecido enigmaticamente .Estranho .
    Acaso pode ser possível ser reenviado?
    Ainda li os pontos comuns entre a época actual e QUITO .
    Li na ALTEIA católica ,uma reunião entre bispos para a Rússia ser consagrada a NOSSA SENHORA .
    Fiquei feliz.Há muito que oro por este incomprimento do pedido de Nossa Senhora .
    Erros de que Nossa Senhora fala a Lúcia têm trazido tanto sofrimento .
    Grata pelo que tenho aprendido .

    ResponderExcluir