quarta-feira, 19 de dezembro de 2012

“2012”: Nossa Senhora anunciou que não vivemos no fim do mundo mas num preâmbulo do triunfo divino

Luis Dufaur
Escritor, jornalista,
conferencista de
política internacional,
sócio do IPCO,
webmaster de
diversos blogs









Nossa Senhora afastou a ideia do fim do mundo na nossa época

São também numerosas as advertências de Nossa Senhora para nosso mundo revolucionário e pecador que, se não fizer penitência, atrairá sobre si grandes calamidades.

Porém, em meio a estas calamidades corretivas, sua misericórdia converterá as almas ainda sensíveis ao apelo à penitência e as conduzirá ao Reino de Maria.


Em La Salette

A Santíssima Virgem foi muito explícita nesse sentido no Segredo de La Salette, comunicado em 1846 e publicado em 1858:
“Várias grandes cidades serão abaladas e tragadas por tremores de terra. Crer-se-á que tudo está perdido. (...)

“Jesus Cristo, por um ato de sua justiça e de sua grande misericórdia em relação aos justos, ordenará a seus anjos que deem morte a todos os seus inimigos.

“De repente, os perseguidores da Igreja de Jesus Cristo e todos os homens entregues ao pecado perecerão, e a Terra tornar-se-á como um deserto.

“Então será feita a paz, a reconciliação de Deus com os homens. Jesus Cristo será servido, adorado e glorificado.

“A caridade florescerá por toda parte. Os novos reis serão o braço direito da Santa Igreja, a qual será forte, humilde, piedosa, pobre, zelosa e imitadora das virtudes de Jesus Cristo.

“O Evangelho será pregado por toda parte e os homens farão grandes progressos na fé, porque haverá unidade entre os operários de Jesus Cristo e os homens viverão no temor de Deus”.



Em Fátima

No ano de 1917, em Fátima, Nossa Senhora voltou a falar neste sentido de um modo resumido, porém peremptório e definitivo:

“Se atenderem a meus pedidos, a Rússia se converterá e terão paz; se não, espalhará seus erros pelo mundo, promovendo guerras e perseguições à Igreja; os bons serão martirizados, o Santo Padre terá muito que sofrer, várias nações serão aniquiladas; por fim, o meu Imaculado Coração triunfará.

“O Santo Padre consagrar-Me-á a Rússia, que se converterá, e será concedido ao mundo algum tempo de paz”.




domingo, 16 de dezembro de 2012

“Sou eu, Jesus... Venho te visitar”. Um conto de Natal

Pedindo esmola. Alexandre-Gabriel Decamps (1803-1860), col. part.
Pedindo esmola.
Alexandre-Gabriel Decamps (1803-1860), col. part.
Paul está sentado nas pedras frias da escadaria da Igreja de São Tiago, numa pequena cidade da Baviera (Alemanha). Como sempre, encontra-se ali pedindo esmolas.

Antes das Missas, abre a porta da igreja para os fiéis e lhes sorri amavelmente, deixando ver uma boca já praticamente sem dentes.

Ele tem 50 anos e faz parte daqueles mendigos sem teto que lutam para sobreviver. Seu corpo está consumido não somente pelo frio e pela fome, mas também pelo excesso de álcool.

Parece muito mais velho do que é na realidade. Se ao menos tivesse forças para lutar contra este vício, pensa ele continuamente... E faz o firme propósito de parar de beber.

Mas quando a noite chega e com ela a lembrança de sua família, perdida num trágico acidente, ele não resiste e recorre ao consolo da garrafa. O álcool amortece então o vazio em sua alma, pelo menos por um curto espaço de tempo.

A garrafa de vinho é sua fiel companheira e a cirrose do fígado e outras doenças vão paulatinamente consumindo seu corpo. A cor de sua face levanta suspeitas nada boas.


Paul tornou-se parte integrante da escadaria da igreja na ótica dos habitantes do bairro, mais ou menos como se fosse uma estátua. E desta forma eles o tratam.

A maior parte mal lhe presta atenção. E os que ainda se dão conta dele se perguntam até quando resistirá.

O pároco e a ajudante de pastoral ainda se preocupam com ele. Mas, sobretudo, a Irmã Petra, uma missionária jovem que vem todos os dias visitá-lo.

Ele se alegra com a visita da freira, que sempre lhe traz algo para comer. Porém até mesmo esta religiosa não consegue tirar Paul da rua.

Nem sequer na casa paroquial ele entra, seja para comer, seja para se lavar.

* * *

Todas as noites, quando escurece e ninguém mais o vê, Paul esgueira-se na igreja vazia e de luzes apagadas. Senta-se então no primeiro banco, bem diante do Tabernáculo.

E aí fica em silencio, quase sem se mover, por cerca de uma hora. Depois se levanta e sai arrastando os pés pelo corredor do centro, passa pela porta principal e desaparece na escuridão da noite.

Para onde? Ninguém o sabe. No dia seguinte, porém, lá está ele sentado novamente na escadaria, diante do portal da igreja.

E assim passavam os dias. Certa vez a Irmã Petra lhe perguntou:

— “Paul, vejo que você entra na igreja todas as noites. O que você faz aí tarde da noite? Você reza por ocaso?”

— “Não rezo”, respondeu Paul.

— “Como é que poderia rezar? Já não rezo desde o tempo em que era menino e ia às aulas de religião; esqueci todas as orações. Não me lembro mais de nenhuma. O que faço na igreja? É muito simples. Vou até o Tabernáculo, onde Jesus está sozinho em seu pequeno sacrário, e Lhe digo: ‘Jesus, sou eu, o Paul. Vim Te visitar’. E fico um pouquinho, a fim de que pelo menos alguém Lhe faça companhia”.

Veja vídeo
Natal nas canções
perfeitas: fé e ternura
CLIQUE PARA VER
Na manhã do dia de Natal, o lugar que Paul ocupou durante anos a fio está vazio.

Preocupada, a Irmã Petra começa logo a procurá-lo. E acaba por encontrá-lo no hospital que fica perto da igreja.

Nas primeiras horas da madrugada alguns passantes o haviam encontrado sem sentidos sob uma ponte e chamado a ambulância. Paul está agora no leito de doentes.

Ao vê-lo a missionária tem um choque. Paul está ligado a vários tubos, sua respiração é fraca. Sua face tem a cor amarelada típica dos moribundos.

— “A senhora é parente dele?”

A voz do médico arranca a Irmã Petra de seus pensamentos.

— “Não, mas vou cuidar dele”, responde ela espontaneamente.

— “Infelizmente não há muito que fazer, ele está morrendo”. O médico meneia apenas a cabeça e sai.

A Irmã Petra senta-se perto de Paul, toma sua mão e reza longamente. Depois, tristonha, retorna à casa paroquial.

No dia seguinte volta novamente ao Hospital, já preparada para receber a má notícia da morte de Paul...

— “Não, o que é isso?”

Ela não crê no que seus olhos vêem. Paul está sentado, ereto em sua cama, com a barba feita. Com olhos bem abertos e vivos, ele vê com alegria a freira que se aproxima. Uma expressão de inefável alegria cintila de sua face radiante.

Petra mal acredita no que está vendo e pensa:

— “É este realmente o homem que ainda ontem lutava contra a morte?”

— “Paul, é incrível o que se passou. Você está praticamente ressuscitado. Você está irreconhecível. O que aconteceu com você?”.

— “É, foi ontem à noite, pouco depois que você foi embora. Eu não estava nada bem. Porém, de repente, vi alguém de pé junto à minha cama. Belo, indescritivelmente esplendoroso... Você não pode nem imaginar! Ele sorriu para mim e me disse: ´Paul, sou eu, Jesus. Venho te visitar´”.

* * *

A partir desse dia Paul não tomou mais sequer uma gota de álcool.

A Irmã Petra lhe conseguiu um quartinho na casa paroquial e um emprego de jardineiro.

A sua vida transformou-se inteiramente desde aquele Natal.

Paul encontrou novos amigos na paróquia. E, sempre que pode, ajuda a Irmã Petra em seus afazeres. Uma coisa, porém, permaneceu a mesma:

Quando anoitece, Paul esgueira-se na Igreja, assenta-se diante do Tabernáculo e diz:

— “Jesus, sou eu, o Paul. Vim Te visitar”.

(Autor: Jürgen Wetzel. Traduzido por Renato Murta de Vasconcelos. Conto publicado in Wöchentliche Depesche christlicher Nachrichten, RU 50/2010, apud “Catolicismo”)

domingo, 2 de dezembro de 2012

A voz dos Papas aponta a vitória da Igreja sobre o Leviatã do caos universal nos dias vindouros

Luis Dufaur
Escritor, jornalista,
conferencista de
política internacional,
sócio do IPCO,
webmaster de
diversos blogs







Papas: conversão e vitória sobre o Leviatã moderno

O Vigário de Cristo, sucessor de São Pedro, é a máxima autoridade nesta matéria, a qual envolve a interpretação das Sagradas Escrituras, notadamente do Apocalipse. Para encerrarmos este artigo, nada mais apropriado que ouvir suas palavras.

S.S. Gregório XVI

Poucos anos antes da aparição de Nossa Senhora em La Salette, o Papa Gregório XVI, na encíclica Mirari Vos, de 15-8-1832, via tomar corpo as profecias do Apocalipse:
“Certamente, rompido o freio que segura os homens nos caminhos da verdade, e inclinando precipitadamente ao mal protestante sua natureza corrompida, consideramos já aberto aquele abismo (Ap 9, 3) do qual, segundo viu São João, subia uma fumaça que obscurecia o sol e expelia gafanhotos que devastavam a terra” (Apud Acción Católica Española, Colección de Encíclicas y documentos pontificios, 4ª ed., Publicaciones de la Junta Técnica Nacional, Madrid, 1955, LXI+1644+351 págs, págs. 5-6).


S.S. Pio XI

Por sua vez, S.S. o Papa Pio XI, contemplando o espetáculo do mundo, concluiu ser
“de tal maneira aflitivo, que já se poderia ver nele a aurora desse ‘início de dores’ que deve trazer ‘o adversário, aquele que se levanta contra tudo o que é divino e sagrado’ (2Tes 2,4)”. (Encíclica Miserentissimus Redemptor, Bonne Presse, t. IV, Paris, 1932, pages 110-112).

Beato Papa Pio IX
Beato Papa Pio IX
Tinham, pois, esses pontífices clara noção da gravidade do momento presente. Entretanto, nada permite afirmar que eles achassem que o mundo fosse acabar na nossa época.

S.S. Beato Pio IX

Bem ao contrário, o beato espanhol Fr. Francisco Palau y Quer, OCD (1811-1872), difundiu com insistência a carta dirigida pelo bem-aventurado Papa Pio IX a um prelado oriental que resolve a questão. Nela vemos afastadas as demagógicas teorias do fim do mundo em 2012:

“Ou o mundo – disse o santo Papa – já chegou ao fim de sua carreira e, nesse caso, caminhamos envoltos em suas ruínas rumo à mais horrível das catástrofes e essa catástrofe vai ser imediata; ou a sociedade humana vai ser restaurada, e essa restauração será obra da Providência, porque a mão do homem é impotente. Veremos com nossos olhos essa restauração, porque a dissolução social caminha tão rapidamente que o fim ou a restauração não admitem adiamento”( Apud “El Ermitaño”, nº 113, 5-1-1871).

S.S. Pio XII

S.S. Pio XII
S.S. Pio XII
Numa de suas famosas Radiomensagens, S.S. Pio XII explicou que “frente à corrente que ameaça arrastar a uma socialização total em cujo fim se tornaria pavorosa realidade a imagem terrificante do Leviatã, a Igreja travará a luta até o extremo” (Discorsi e Radiomessaggi di Sua Santità Pio XII, vol. XIV, p.314).

Entretanto a imagem escolhida pelo pontífice não é no sentido de um fim da História, mas evoca a vitória e o gáudio anunciados pelo profeta Isaías:

“Vai, povo meu, entra nos teus quartos, fecha atrás de ti as portas. Esconde-te por alguns instantes até que a cólera passe, porque o Senhor vai sair de sua morada para punir os crimes dos habitantes da terra (...) Naquele dia o Senhor ferirá, com sua espada pesada, grande e forte, Leviatã, o dragão fugaz, Leviatã, o dragão tortuoso; e matará o monstro que está no mar. (...) E serão vistos chegar os exilados da terra da Assíria, e os fugitivos espalhados pela terra do Egito. Eles adorarão o Senhor no monte santo, em Jerusalém” (Is, 26, 20-21 e 27,1 e 13).

S.S. São Pio X


O Papa São Pio X julgava, por sua vez, que a perversão hodierna das almas é
“como o prólogo dos males que devemos esperar para o fim dos tempos; ou até pode se pensar que já habita neste mundo o filho da perdição (2 Tes 2,3) (...) este é o sinal próprio do Anticristo: (...) o homem com temeridade extrema (...) consagrou a si próprio o mundo visível como se fosse seu templo para todos o adorarem. Sentar-se-á no templo de Deus, se apresentando como se fosse Deus (2 Tes 2,4.)” (S.S. São Pio X, Carta Encíclica “E Supremi Apostolatus”, in “Escritos doctrinales”, Ediciones Palabra, Madrid, Biblioteca Palabra 9, 1975, 4ª ed., 557 páginas.).
Papa São Pio X previu a futura conversão da França
Papa São Pio X previu a futura conversão da França

Entretanto, o santo Papa antevia, não o fim do mundo, mas sua futura restauração. E o deixou registrado num célebre discurso endereçado à França, a nação primogênita da Igreja.

“Dia virá – escreveu ele–, e esperamos que não esteja muito distante, em que a França, como Saulo no caminho de Damasco, será envolta por uma luz celeste e ouvirá uma voz que lhe dirá novamente:

“‘Minha filha, por que me persegues?’

“E à resposta: ‘Quem és tu, Senhor?’, a voz replicará: ‘Sou Jesus, a Quem persegues. Duro te é recalcitrar contra o aguilhão, porque em tua obstinação te arruínas a ti mesma’.

“E ela, trêmula e atônita, dirá: ‘Senhor, que queres que eu faça?’

“E Ele: ‘Levanta-te, lava as manchas que te desfiguraram, desperta em teu seio os sentimentos adormecidos e o pacto de nossa aliança, e vai, filha primogênita da Igreja, nação predestinada, vaso de eleição, vai levar, como no passado, meu nome diante de todos os povos e de todos os reis da terra”

(Alocução consistorial Vi ringrazio, de 29.11.1911, Acta Apostolicae Sedis, Typis Polyglottis Vaticanis, Roma, 1911, p. 657).

Assim enunciada, a conversão da França e seu retorno à missão de liderar as nações da Cristandade constituem a mais eloquente afirmação não só de que o mundo não está em vias de acabar, mas de que a Providência prepara uma regeneração da humanidade para uma época que só poderá ser o Reino de Maria.

Tudo o oposto do fim do mundo!

FIM


segunda-feira, 26 de novembro de 2012

Hoje é a festa da Medalha Milagrosa

Hoje, 27 de novembro, é a festa da Medalha Milagrosa.

Conheça sua história e seus milagres.

Como Nossa Senhora deu a Medalha Milagrosa a Santa Catarina Labouré, na rue du Bac, em 1830.

A portentosa conversão do hebreu Ratisbonne por intermédio da Medalha Milagrosa.

Clique em algum dos links abaixo para saber mais:

domingo, 25 de novembro de 2012

“2012”: mais santos falam que não nos aproximamos do fim do mundo, mas de um triunfo divino

Luis Dufaur
Escritor, jornalista,
conferencista de
política internacional,
sócio do IPCO,
webmaster de
diversos blogs









Sonhos e antevisões proféticas de São João Bosco

Também o grande Dom Bosco ficou famoso pelas suas luzes proféticas. Em diversos “sonhos” e cartas, ele viu e apontou a vinda de uma terrível crise na Igreja e no mundo.

Nessas ocasiões, o santo piemontês anunciou um grande triunfo da Igreja e uma era de paz que afasta qualquer veleidade de um fim do mundo próximo. E menos ainda para 2012!

Poderíamos citar vários documentos incontestáveis do fundador dos salesianos. A exiguidade do espaço nos leva a escolher um: o “sonho das duas colunas”.

O santo narrou ter visto “uma multidão incontável de naves dispostas em ordem de batalha, (...) carregadas de fuzis e armas de diferentes classes; de material incendiário e também de livros, e dirigem-se contra outra nave muito maior e mais alta, tentando cravar-lhe o esporão, incendiá-la, ou ao menos fazer-lhe o maior dano possível.

“Em meio da imensidão do mar levantam-se, sobre as ondas, duas robustas colunas, muito altas, pouco distantes a uma da outra. Sobre uma delas está a estátua da Virgem Imaculada, a cujos pés vê-se um amplo cartaz com esta inscrição: Auxilium Christianorum.

“Sobre a outra coluna, que é muito mais alta e mais grossa, há uma Hóstia de tamanho proporcionado ao pedestal e, debaixo dela, outro cartaz com estas palavras: Salus credentium”.
A nave maior representa a Igreja e o comandante supremo é o Papa. O Pontífice assume o seu leme e tenta ancorá-la nas duas colunas. Mas,

São João Bosco e o sonho das duas colunas
São João Bosco e o sonho das duas colunas
“as naves inimigas dispõem-se todas a assaltá-la, fazendo o possível por deter sua marcha e afundá-la. Umas com os escritos, outras com os livros, outras com materiais incendiários de que contam em grande abundância, materiais que tentam arrojar a bordo; outras com os canhões, com os fuzis, com os esporões: o combate torna-se cada vez mais encarniçado”.

No auge da batalha, o Papa cai ferido de morte e falece. Um satânico brado se levanta das naves revolucionárias. Porém, apenas morto o Pontífice, outro ocupa o posto vacante. Superando todos os obstáculos, ele guia a nave até as duas colunas, e a amarra nelas. Então se produz uma grande confusão.

Os inimigos “dão-se à fuga, dispersam-se, chocam-se entre si e destroem-se mutuamente. Umas ao afundar-se procuram afundar às demais”. A nave capitã ocupada pelo Papa permanece tranquila e segura. No mar reina uma calma absoluta. (Pietro Zerbino (a.c. di), “I sogni di Don Bosco”, Leumann: LDC, 1995/2ª ristampa, pp 53-55).

São João Bosco escreveu muitas previsões para o ano seguinte num Calendário famoso na Itália, publicado sob o curioso título Il Galantuomo.

Na edição para o ano 1873, o santo parece ter visado as interpretações abusivas sobre os acontecimentos vindouros, esclarecendo o significado profundo dos anúncios celestes.

David vence Golias, Gustave Doré
David vence Golias, Gustave Doré
Ele escreveu:
 “A nossa fé vencerá o mundo, e nossa oração será a pedra de David que arrebentará a cabeça do gigante Golias, quer dizer, os inimigos do Papa e, por isso mesmo, de Jesus Cristo. Deus prometeu que os maus não vencerão a Sua Igreja; o céu e a terra passarão, mas a palavra de Deus não passará.

“A Igreja pode ser perseguida, combatida, mas jamais será superada; e quando os ímpios se julgarem certos da vitória, então estejamos atentos, porque esse será o sinal de que está próximo o dia em que a Igreja vestida de festa cantará o ‘Alelluia’ de seu triunfo e o ‘De profundis’ por seus inimigos.

“São Pedro estava na prisão em Jerusalém e Deus mandou um anjo para libertá-lo milagrosamente das mãos de seus inimigos. Em nosso tempo, Deus quer fazer um grande milagre. Rezemos e, quando menos pensemos, ouviremos um grande estrépito e será a Torre de Babel que cairá por terra, como um dia caíram os muros de Jericó ao som das trombetas”. (“Il Galantuomo”, ed. 1873, págs. 10-11)

Poderíamos ainda consagrar incontáveis páginas às mensagens celestes recebidas neste sentido através de santos, beatos e almas de escol.
São Maximiliano Maria Kolbe, OFM Conv
São Maximiliano Maria Kolbe, OFM Conv

São Maximiliano Kolbe: a estátua da Imaculada entronizada no coração de Moscou

A limitação de espaço obriga-nos a ficar por aqui, não sem antes citar um santo que precisaria ser mais conhecido no Brasil: São Maximiliano Kolbe. Em 1937, quando a Rússia gemia sob os massacres stalinistas, ele escreveu:

“Não acreditamos estar longe nem ser puro sonho o advento do dia grandioso em que a estátua da Imaculada será entronizada pela obra de seus apóstolos no próprio coração de Moscou!” (Cf. “L’Osservatore Romano”, 14-15 fevereiro 1937).

Impossível encontrar uma imagem mais expressiva do vindouro triunfo do Coração Sapiencial e Imaculado de Maria.

Os boatos enganadores sobre 2012 sequer resistem a um início de comparação.

O falso alarmismo aduz "argumentos científicos".

Acena com "profecías" que haveria nas pirâmides maias, fala de alinhamento dos planetas em dezembro, da inversão dos polos magnéticos, da explosão de supervulcões adormecidos, da chegada de tempestades solares devastadoras, da aproximação de um enigmático planeta "Nibiru" ou de grandes asteroides capazes de destruir a vida na Terra, etc..


Esses "argumentos científicos" pouco ou nada têm de científico e enquanto argumentos carecem de seriedade e de lógica interna.

Como o assunto envolve as relações entre a fé, a Igreja Católica e as ciências publicamos uma matéria especial num blog especialmente dedicado à temática: CIÊNCIA CONFIRMA A IGREJA.

Pode se acessar a matéria clicando neste link: Fim do mundo em 2012? Cientistas desmentem alarmismo e superstição


domingo, 18 de novembro de 2012

“2012”: Avisos do Céu falam que hoje não vivemos o fim mas o prelúdio de um triunfo divino

Santa Catarina de Siena,  cabeça incorruta levada em procissão
Santa Catarina de Siena,
cabeça incorrupta levada em procissão
Luis Dufaur
Escritor, jornalista,
conferencista de
política internacional,
sócio do IPCO,
webmaster de
diversos blogs










Santa Catarina de Siena: júbilo pensando na futura era da Igreja

Entre os numerosos dons concedidos por Deus a Santa Catarina de Siena (1347-1380) estava o da profecia.

O papel da santa para resolver o cisma de Avignon tornou-a famosa. Nosso Senhor explicou-lhe a razão de ser dos grandes castigos que Ele estava aplicando:

“Eu permito este tempo de perseguições para arrancar todos os espinheiros que estão em volta de minha Esposa... Após essas tribulações e angústias, Deus purgará a Santa Igreja e renovará o espírito de seus eleitos por um meio que não pode ser compreendido pelos homens. Haverá na Igreja uma reforma tão grande e uma tão feliz renovação dos santos pastores, que pensando nisso o meu espírito vibra de alegria no Senhor.

“Assim, como Eu já disse, esta Esposa que nesta hora está em andrajos e quase totalmente desfigurada, tornar-se-á maravilhosamente bela e será ornada de pedras preciosas e coroada com todas as virtudes.

“Todas as nações exultarão vendo-se governadas por pastores tão santos; e os povos infiéis, atraídos pelo bom odor de Jesus Cristo ao rebanho católico, converter-se-ão ao Pastor verdadeiro, vigilante guardião de suas almas. Portanto, agradecei ao Senhor porque após esta tempestade Ele dará um grandíssima tranquilidade à Sua Igreja” (apud, “Vita Sanctae Catharina Senensis”, Fr. Raymundo a Capua, p. II, cap. X, in R. P. Alphonse Capecelatro, “Histoire de Sainte Catherine de Sienne et de la Papauté de son temps”, Librairie de Mme Ve Poussielgue-Rusand, Paris, 1863, 624 págs, págs. 354-355).



Beata Isabel Canori-Mora: o triunfo de São Pedro

Beata Isabel Canori-Mora
Beata Isabel Canori-Mora
Poucas almas bem-aventuradas receberam tão abundantes e extensas visões sobre os eventos que se aproximam como a bem-aventurada romana Isabel Canori Mora (1774-1825).

Por singular privilégio, Deus quis associá-la à obra de conversão do clero e da humanidade.

Ela viu também, com gáudio inenarrável, a face da Igreja e do mundo regenerado se prolongando através de séculos.

Entre as muitas visões da Beata neste sentido, podemos citar a esmo as seguintes:

“No dia do grande príncipe São Pedro, no ano 1820, (...) pareceu-me que o Céu se abria e descia do alto, em grande majestade, flanqueado por muitos santos e anjos, o grandíssimo Príncipe dos Apóstolos São Pedro, revestido dos paramentos pontificais. Ele tinha nas mãos um báculo com o qual marcou sobre a terra uma vastíssima cruz. (...) no mesmo momento vi aparecerem quatro árvores misteriosas que tinham a forma de cruz. (...)

“Os bons cristãos que terão conservado a Fé de Jesus Cristo ficarão refugiados sob essas misteriosas árvores. (…) Mas ai daqueles religiosos e religiosas não observantes que desprezam as Santas Regras! Ai! Ai!, porque todos perecerão sob o terrível flagelo. (…)

“Todo o mundo entrará em convulsão e matar-se-ão uns aos outros. (…) Deus se servirá das potências das trevas para exterminar os homens sectários, iníquos e criminosos que pretendem derrubar, erradicar a Igreja Católica nossa Santa Mãe, (...) grandes legiões de demônios percorrerão o mundo todo, causando grandes ruínas e executando as ordens da Justiça Divina (...).

“Os verdadeiros bons cristãos serão protegidos pelos gloriosos Apóstolos Pedro e Paulo, que velarão para que os espíritos malignos não façam mal nem a seus bens nem a suas pessoas. (...) punidos os ímpios com cruel morte, demolidos os lugares indignos, vi de repente (…) que o Céu se abria novamente, e com grande pompa e majestade descia o glorioso São Paulo.

“Com o poder e a autoridade de Deus, ele percorria o mundo inteiro como um relâmpago, e acorrentava a todos aqueles malignos espíritos infernais. (…) Nesse momento vi um belo resplendor que anunciava a reconciliação de Deus com os homens.

“O pequeno número dos cristãos foi apresentado pelos santos anjos ante o trono do grande Príncipe dos Apóstolos, São Pedro. (...) O santo escolheu o novo pontífice.

“Toda a Igreja foi reordenada segundo os ditames do Santo Evangelho. As ordens religiosas foram restabelecidas e todas as casas dos cristãos se tornaram casas penetradas de religião. Eram tão grandes o fervor e o zelo pela glória de Deus, que tudo estava ordenado em função do amor de Deus e do próximo. Desta maneira tomou corpo num momento o triunfo, a glória e a honra da Igreja Católica. Ela era aclamada, estimada e venerada por todos. Todos decidiram segui-la, reconhecendo o Vigário de Cristo, o Sumo Pontífice”.

A beata Isabel aceitou sofrer – e padeceu espiritualmente – as dores da Crucifixão, a fim de obter de Deus que o Papado permanecesse em Roma. Como recompensa, Jesus Cristo lhe fez ver a renovação futura da Igreja e da Cristandade:

“Alegra-te, ó minha filha, objeto de minhas complacências! O cristianismo não mais será disperso, Roma não ficará privada de possuir o tesouro da Cátedra da verdade infalível da Santa Igreja.

“Eu reformarei meu povo e minha Igreja. Enviarei sacerdotes zelosos para pregar a minha Fé. Formarei um novo apostolado. Enviarei Meu Divino Espírito Santo para renovar a terra. Restaurarei as ordens religiosas por meio de reformadores santos e doutos. (…)

“Ele me deu a conhecer muitas outras coisas relativas a esta reforma. Vários soberanos sustentarão a Igreja Católica e serão católicos verdadeiros, depositando seus cetros e coroas aos pés do Santo Padre, Vigário de Jesus Cristo. Vários reinos abandonarão seus erros e voltarão ao seio da Fé católica. Povos inteiros converter-se-ão e reconhecerão como verdadeira a Fé de Jesus Cristo”.( apud Intratext)

O falso alarmismo aduz "argumentos científicos".

Acena com "profecías" que haveria nas pirâmides maias, fala de alinhamento dos planetas em dezembro, da inversão dos polos magnéticos, da explosão de supervulcões adormecidos, da chegada de tempestades solares devastadoras, da aproximação de um enigmático planeta "Nibiru" ou de grandes asteroides capazes de destruir a vida na Terra, etc..


Esses "argumentos científicos" pouco ou nada têm de científico e enquanto argumentos carecem de seriedade e de lógica interna.

Como o assunto envolve as relações entre a fé, a Igreja Católica e as ciências publicamos uma matéria especial num blog especialmente dedicado à temática: CIÊNCIA CONFIRMA A IGREJA.

Pode se acessar a matéria clicando neste link: Fim do mundo em 2012? Cientistas desmentem alarmismo e superstição


Continua no próximo post: “2012”: mais santos falam que não nos aproximamos do fim do mundo, mas de um triunfo divino

segunda-feira, 12 de novembro de 2012

“Profecias” sobre o “fim do mundo” em 2012 e alarmismo danoso

Luis Dufaur
Escritor, jornalista,
conferencista de
política internacional,
sócio do IPCO,
webmaster de
diversos blogs






Estaríamos nas vésperas do início do fim do mundo?

Confusas e contraditórias “profecias” – misturando argumentos pseudocientíficos, exageros, superstições, Nova Era e Science fiction – dizem que sim e apontam para o ano de 2012.

Alguém poderia perguntar se, em meio a tanta charlatanice, não haveria nelas algum conteúdo de verdade.

De fato, os tsunamis de desordem e imoralidade que assolam a Terra inteira não poderiam ser interpretados como o início dos formidáveis abalos morais e celestiais de que fala o Apocalipse?

“Um grande terremoto, o sol se escureceu como um tecido de crina, a lua tornou-se toda vermelha como sangue e as estrelas do céu caíram na terra, como frutos verdes que caem da figueira agitada por forte ventania. O céu desapareceu como um pedaço de papiro que se enrola e todos os montes e ilhas foram tirados dos seus lugares” (Ap. 6-12ss).

 As obscuras “profecias” sobre 2012 chegam a apavorar e confundir os espíritos. Entretanto, uma coisa é certa: o fato formidável e único do fim do mundo jamais aconteceria sem que antes Deus enviasse avisos e sinais inteligíveis aos homens de Fé.

E até para aqueles de consciência reta que são susceptíveis de receber a Fé nos terríveis eventos terminais da História.


Ora, avisos e sinais do Céu não têm faltado à nossa época. Os principais dentre eles foram analisados e aprovados pela Igreja e contêm duas notas distintivas.

Primeira: nunca deixam de verberar o pecado que inunda a Terra como o verdadeiro culpado dos cataclismos vindouros.

Segunda: anunciam como desfecho a conversão dos homens e a inauguração de um novo período histórico no qual o Evangelho e a Igreja Católica reinarão sobre uma humanidade regenerada e com renovado fervor na Fé. Será o Reino do Coração Sapiencial e Imaculado de Maria nos corações e nas sociedades.

Segundo essas mensagens, as grandes catástrofes que podem advir terão um caráter corretivo além de punitivo, afastando qualquer ideia de extinção da Terra e da humanidade.

Numerosos e concludentes, os anúncios do Céu vieram por meio de Santos, de Papas e da própria Mãe de Deus. Vejamos alguns dos mais taxativos entre eles, declarados isentos de erro contra a Fé ou contra a moral pela suprema autoridade da Igreja.

O falso alarmismo aduz "argumentos científicos".

Acena com "profecías" que haveria nas pirâmides maias, fala de alinhamento dos planetas em dezembro, da inversão dos polos magnéticos, da explosão de supervulcões adormecidos, da chegada de tempestades solares devastadoras, da aproximação de um enigmático planeta "Nibiru" ou de grandes asteroides capazes de destruir a vida na Terra, etc..


Esses "argumentos científicos" pouco ou nada têm de científico e enquanto argumentos carecem de seriedade e de lógica interna.

Como o assunto envolve as relações entre a fé, a Igreja Católica e as ciências publicamos uma matéria especial num blog especialmente dedicado à temática: CIÊNCIA CONFIRMA A IGREJA.

Pode se acessar a matéria clicando neste link: Fim do mundo em 2012? Cientistas desmentem alarmismo e superstição


São Luís Maria Grignion de Montfort: Reino de Maria após um dilúvio de fogo

Poucos santos falaram com tanta luz profética e precisão de linguagem quanto o máximo doutor marial do catolicismo, o francês São Luís Maria Grignion de Montfort (1673–1716).

Sua imagem, aliás, foi instalada na nave da Basílica de São Pedro por vontade dos Papas.

São Luís Maria Grignion de Montfort, estátua na basílica de São Pedro
São Luís Maria Grignion de Montfort, estátua na basílica de São Pedro
Na sua famosa “Oração Abrasada”, o santo anuncia nestes termos a restauração da Igreja, após uma purificação de nossa era pecaminosa:
“Deixareis tudo assim ao abandono, justo Senhor, Deus das vinganças? Tornar-se-á tudo afinal como Sodoma e Gomorra? (...) Não mostrastes antecipadamente a alguns de vossos amigos uma futura renovação de vossa Igreja? Não devem os judeus converter-se à verdade? Não é esta a expectativa da Igreja? (...) Todas as criaturas, até as mais insensíveis, gemem sob o peso dos pecados inumeráveis de Babilônia e pedem a vossa vinda para restabelecer todas as coisas: omnis creatura ingemiscit” (Rom 8, 22).

Na mesma oração, o ardoroso doutor mariano explica o fundo teológico dessa visão profética:

“O reino especial de Deus Pai durou até o dilúvio e foi terminado por um dilúvio de água; o reino de Jesus Cristo foi terminado por um dilúvio de sangue; mas vosso reino, Espírito do Pai e do Filho, continua presentemente e será terminado por um dilúvio de fogo, de amor e de justiça. Quando é que virá esse dilúvio de fogo de puro amor que deveis atear em toda a Terra de um modo tão suave e tão veemente, que todas as nações, os turcos, os idólatras, e até mesmo os judeus hão de arder nele e se converter? ... Enviai à Terra esse Espírito todo de fogo, para nela criar sacerdotes todos de fogo, por cujo ministério seja renovada a face da Terra e reformada a vossa Igreja”. (in “OEuvres Complètes”, Éditions du Seuil, Paris, 1966, 1905 pp., págs. 675-688)

Para realizar essa tarefa, São Luís Maria profetizava a vinda dos Apóstolos dos Últimos Tempos.

Neste ponto, o santo dava continuidade a muitos outros que previram a aparição desses novos apóstolos: São Francisco de Paula, São Vicente Ferrer e Santa Catarina de Siena, por exemplo.



domingo, 4 de novembro de 2012

Imagens católicas milagrosamente poupadas pelas tempestades nos EUA

Capa "The Wall Street Journal" 31/10/2012
Capa do "The Wall Street Journal" 31/10/2012




O blog "Luzes de Esperança" publicou relevante matéria sobre as manifestações extraordinárias de proteção de imagens de Nossa Senhora e de Santo Antônio, durante as tempestades que devastaram os EUA.

Os leitores facilmente perceberão a relação existente entre os fatos ali relatados e os temas que habitualmente abordamos em "A Aparição de La Salette e suas profecias".

Reproduzimos a continuação a matéria do blog "Luzes de Esperança":


 
Imagens de Nossa Senhora milagrosamente poupadas pelas tempestades nos EUA

Dover, New Jersey: a imensa árvore rachou  justo acima da cabeça de Nossa Senhora mas nem a tocou.  "É um milagre dizem os vizinhos"
Dover, New Jersey: a imensa árvore rachou
justo acima da cabeça de Nossa Senhora mas nem a tocou.
"É um milagre dizem os vizinhos"
As tempestades que atingiram a costa leste dos EUA, causaram ingentes danos materiais e também perdas de vidas.

Porém, a imensidão da capacidade destrutiva desses fenômenos naturais nada foi diante do poder de Nossa Senhora.

É o que pensam, por exemplo, os habitantes da cidade de Dover, no estado de New Jersey, atingidos por uma inesperada tempestade na noite de nove para dez de junho deste ano.

Eles puderam contemplar atônitos uma colossal árvore que rachou e caiu sem causar um arranhão sequer a uma imagem de Nossa Senhora que se encontrava debaixo dela.

Um vídeo produzido pela NBC exibe de diversos ângulos a imagem de Nossa Senhora e o grau de periculosidade da grande árvore caída.

A tempestade danificou residências e carros no bairro, mas a família dona da imagem está certa de que Nossa Senhora salvou suas vidas, pois se a árvore tivesse caído sobre a casa, esta teria sido esmagada.

segunda-feira, 29 de outubro de 2012

Fim da aparição. Nossa Senhora sobe ao Céu

Sobre o fim do Anticristo, Mélanie disse ao Pe. E. Combe que, numa ocasião, em que ele tentará ascender ao céu,

“São Miguel Arcanjo aparecerá com um exército de anjos de um esplendor sem igual, bradando: “Quem é como Deus? Quis ut Deus?”.

“Imediatamente os demônios perderão seu luzimento e sua força e se afastarão do Anticristo, que eles sustentavam com seu poder.

“Um fogo imenso sairá da terra entreaberta sob os pés dos espectadores da primeira fileira, dispostos segundo sua dignidade e opulência.

“Eles serão engolidos junto com o Anticristo e os demônios, por vasta cratera que se fechará depois sobre eles”.

Após pronunciar as palavras que encerram o segredo, Nossa Senhora comunicou a Mélanie a regra dos Apóstolos dos Últimos Tempos e continuou com a parte pública da revelação.

segunda-feira, 22 de outubro de 2012

No fim do mundo, Deus enviará Henoc e Elias

O profeta Santo Elias
Luis Dufaur
Escritor, jornalista,
conferencista de
política internacional,
sócio do IPCO,
webmaster de
diversos blogs




Imediatamente após a conclamação dos apóstolos dos últimos tempos, o Segredo de La Salette destaca o papel que desempenharão Henoc e o profeta Elias nos horizontes proféticos acenados por Nossa Senhora no local de La Salette.

O Apocalipse ensina que no fim dos tempos Deus enviará duas testemunhas a combater o Anticristo (Ap, XI,3-ss.).

Segundo uma interpretação defendida por santos e exegetas tradicionais, essas testemunhas seriam o profeta Elias e o patriarca Henoc.

Eles estariam conservados num local ignoto e seriam enviados à Terra para uma pregação derradeira antes do fim do mundo.

Santo Elias, Monte Carmelo, Terra Santa
Santo Elias, Monte Carmelo, Terra Santa
Em favor de que Elias seja uma das duas testemunhas, poderia-se invocar as palavras do profeta Malaquias:

“Eis que vos enviarei o profeta Elias antes que chegue o dia do Senhor, grande e terrível.

“Ele converterá o coração dos pais para os filhos e o coração dos filhos ao dos pais, para que não chegue eu e entregue a Terra toda ao anátema” (Mal, 3, 23-24).

Prossegue então o segredo referindo-se às testemunhas:

“A Igreja será eclipsada, o mundo estará na consternação.

“Mas eis Henoc e Elias cheios do Espírito de Deus. Eles pregarão com a força de Deus, os homens de boa vontade acreditarão em Deus e muitas almas serão consoladas.

“Eles farão grandes progressos, pela virtude do Espírito Santo, e condenarão os erros diabólicos do Anticristo.

“Ai dos habitantes da Terra! Haverá guerras sangrentas e fome, peste e doenças contagiosas. Haverá chuvas feitas de saraivadas espantosas de animais, trovoadas que abalarão as cidades, terremotos que engolirão países.

São João contempla a segunda vinda de Cristo
São João contempla a segunda vinda de Cristo
no Fim do mundo
“Ouvir-se-ão vozes pelos ares. Os homens baterão as cabeças contra as paredes. Pedirão a morte, e por outro lado a morte será seu suplício. O sangue correrá de todo lado.

“Quem poderá resistir, se Deus não diminuir o tempo da prova?

“Deus se deixará dobrar pelo sangue, lágrimas e orações dos justos.

“Henoc e Elias serão mortos. Roma pagã desaparecerá. O fogo do céu cairá e consumirá três cidades.

“Todo o universo será tomado de terror, e muitos se deixarão seduzir, porque não adoraram o verdadeiro Cristo vivo entre eles.

“Chegou a hora, o sol se obscurece, só a fé viverá.

“Chegou o tempo, o abismo se abre. Eis o rei dos reis das trevas, eis a Besta com seus súditos, dizendo ser o salvador do mundo.

“Ele se elevará orgulhosamente nos ares para ir até o céu. Será asfixiado pelo sopro de São Miguel Arcanjo. Cairá.

“E a Terra, que durante três dias terá estado em contínuas evoluções, abrirá seu seio cheio de fogo.

“Ele será submerso para sempre, com todos os seus, nos despenhadeiros eternos do inferno.

A besta que sai do abismo
A besta que sai do abismo
“Então a água e o fogo purificarão a Terra e consumirão todas as obras do orgulho dos homens, e tudo será renovado.

“Deus será servido e glorificado”.

Termina aqui o Segredo, que foi transcrito integralmente nos nossos posts.

Segundo os padres Laurentin e Corteville a imagem de “chuvas feitas de saraivadas espantosas de animais” “pode significar o desencadeamento multiforme, discreto mas eficaz, do demônio nos nossos dias”.

De fato, a imagem poder-se-ia aplicar, mutatis mutandi, ao caos hodierno e às monstruosas situações que ele gera quotidianamente, e que chovem sobre a humanidade em grandes quantidades, por exemplo, através da mídia.

Sobre a liquidação do Anticristo, Mélanie disse ao Pe. E. Combe que, no momento em que ele tente ascender ao céu:

“São Miguel Arcanjo aparecerá com um exército de anjos de um esplendor sem igual, bradando: “Quem é como Deus? Quis ut Deus?”.

“Imediatamente os demônios perderão seu luzimento e sua força e se afastarão do Anticristo, que eles sustentavam com seu poder.

“Um fogo imenso sairá da terra entreaberta sob os pés dos espectadores da primeira fileira, dispostos segundo sua dignidade e opulência.

“Eles serão engolidos junto com o Anticristo e os demônios, por vasta cratera que se fechará depois sobre eles”.


segunda-feira, 15 de outubro de 2012

Mélanie, Maximin e os Apóstolos dos Últimos Tempos

Túmulo de S. Luís Maria Grignion de Montfort, St-Laurent-sur-Sèvre
Dos videntes de La Salette, Mélanie foi quem mais se estendeu sobre os apóstolos dos últimos tempos.

Mélanie teve uma visão sobre tais Apóstolos, e Nossa Senhora também ditou-lhe uma regra para eles. Nota distintiva dos apóstolos dos últimos tempos seria seu espírito de luta contra os males morais verberados por Nossa Senhora em La Salette.

Mélanie relatou:
“Eu vi e compreendi que o bom Deus queria que esta ordem lutasse contra os abusos que levaram à decadência do clero e do estado religioso e à ruína da civilização cristã”.

Houve tentativas, todas elas infrutíferas, por parte de Mélanie e outros, de fundar ou, pelo menos, deixar estabelecidos fundamentos para a instauração do instituto dos apóstolos dos últimos tempos.

sexta-feira, 12 de outubro de 2012

13 de outubro de 1917: sexta e última aparição em Fátima. O milagre do sol:


Como das outras aparições, os videntes notaram o reflexo de uma luz e, em seguida, Nossa Senhora sobre a carrasqueira:

Lúcia: “Que é que Vossemecê me quer?”

Nossa Senhora: “Quero dizer-te que façam aqui uma capela em minha honra, que sou a Senhora do Rosário, que continuem sempre a rezar o terço todos os dias. A guerra vai acabar e os militares voltarão em breve para suas casas”.

Lúcia: “Eu tinha muitas coisas para Lhe pedir. Se curava uns doentes e se convertia uns pecadores...”

Nossa Senhora: “Uns sim, outros não (14). É preciso que se emendem, que peçam perdão dos seus pecados”. E tomando um aspecto triste: “Não ofendam mais a Deus Nosso Senhor que já está muito ofendido” (15).