domingo, 30 de outubro de 2011

Halloween e a soltura dos demônios do inferno

Nossa Senhora em La Salette revelou que os demônios sairiam em grande número do inferno para atormentar o mundo.

Ela usou estas palavras:

"Lúcifer e um grande número de demônios serão soltos do inferno. Eles abolirão a fé pouco a pouco, até nas pessoas consagradas a Deus. Eles as cegarão de tal maneira que, salvo uma graça particular, adquirirão o espírito desses maus anjos. (...)

"Os maus livros abundarão sobre a Terra, e os espíritos das trevas espalharão por toda parte um relaxamento universal em tudo o que se refere ao serviço de Deus... Existirão igrejas para cultuar esses espíritos". Veja esta profecia.

quarta-feira, 19 de outubro de 2011

Nossa Senhora das Graças e a conversão do hebreu Ratisbonne (3)

O Padre Ratisbonne após a conversão
O Padre Ratisbonne após a conversão





Ao deixar o Padre Villefort, fomos dar graças a Deus, em primeiro lugar em Santa Maria Maggiore, nossa cara basílica da Santíssima Virgem, e depois na de São Pedro.

É impossível transmitir uma idéia do transporte de Ratisbonne quando esteve nessas igrejas.

“Ah”, dizia ele, apertando minhas mãos, “agora eu entendo o amor dos católicos por suas igrejas, e a devoção que os leva a embelezá-las e adorná-las! Como é bom estar aqui! Querer-se-ia nunca deixá-las! Aqui não estamos mais na terra, é o vestíbulo do céu ...”

quarta-feira, 12 de outubro de 2011

Nossa Senhora das Graças e a conversão do hebreu Ratisbonne (2)

Busto de Ratisbonne lembra a conversão milagrosa







Por volta de uma hora. Eu tinha de combinar algumas coisas na igreja de S. Andrea delle Fratte para a cerimônia fúnebre do dia seguinte. Mas encontrei Ratisbonne descendo pela Via Condotti. Ele aceitou vir comigo, iria me aguardar alguns minutos e, em seguida, iríamos passear juntos. Entramos na igreja. Ratisbonne percebeu os preparativos para um funeral, e perguntou para quem seria feito.

“Para um amigo que acabo de perder, e que eu amava muito, M. de Laferronnays”, respondi.

quarta-feira, 5 de outubro de 2011

Nossa Senhora das Graças e a conversão do hebreu Ratisbonne (1)

Afonso Ratisbonne




Um jovem judeu, de uma família de banqueiros de Estrasburgo, de notável projeção social pelas riquezas e pelo parentesco com os banqueiros Rothschild, pelo meio-dia do dia 20 de janeiro de 1842, caminhava despreocupado, na aparência, por uma rua do centro histórico de Roma.

Seu nome era Afonso Ratisbonne.

Seu irmão mais velho, Teodoro, em 1827 converteu-se ao catolicismo e se fez sacerdote, rompendo com a família. As esperanças dos Ratisbonne se concentraram então em Afonso, nascido em 1814.

Ele completara o curso de Direito e pensava em casar com uma jovem judia. Contava 27 anos e, antes de casar, fez uma viagem pela Itália e pelo Oriente.

Afonso era judeu de religião, embora não praticante, e nutria pela Igreja Católica entranhado ódio, sobretudo pelo ressentimento da família por causa da conversão do primogênito. Ele dizia que se algum dia mudasse de religião far-se-ia protestante, jamais católico.

quarta-feira, 7 de setembro de 2011

Triunfo e honra da Igreja, como previsto em La Salette ‒ Beata Elizabeth Canori Mora 4

A Beata Elisabeth menina
Luis Dufaur
Escritor, jornalista,
conferencista de
política internacional,
sócio do IPCO,
webmaster de
diversos blogs




Continuação do post anterior

As semelhanças com os trágicos anúncios de Nossa Senhora em La Salette e Fátima estendem-se além dos castigos.

Ante o olhar da Bem-aventurada, Deus expôs em muitas ocasiões uma maravilhosa restauração futura da Igreja. Essas revelações ilustram magnificamente aspectos do que há de ser o triunfo do Imaculado Coração de Maria.

Na mesma visão de 29-6-1820, após as purificadoras punições descritas, a Beata Elizabeth viu São Pedro retornar do Céu num majestoso trono pontifical.

Logo a seguir, desceu com grande pompa o Apóstolo São Paulo.
Ele “percorria todo o mundo e algemava aqueles malignos espíritos infernais, e os conduzia diante do Santo Apóstolo São Pedro, o qual, com uma ordem cheia de autoridade, voltava a confiná-los nas tenebrosas cavernas das quais tinham saído [...]. Nesse momento viu-se aparecer sobre a terra um belo resplendor, que anunciava a reconciliação de Deus com os homens”.

quarta-feira, 31 de agosto de 2011

Antevisões dos castigos vaticinados em La Salette e Fátima ‒ Beata Isabel Canori Mora 3

Luis Dufaur
Escritor, jornalista,
conferencista de
política internacional,
sócio do IPCO,
webmaster de
diversos blogs




Continuação do post anterior

O véu que envolve os castigos anunciados em 1846 e em 1917, de alguma maneira foi levantado para a Bem-aventurada Isabel. O que ela viu fornece-nos subsídios para entender melhor o que Nossa Senhora previu depois na montanha de La Salette e na Cova da Iria.

Com efeito, em 7-6-1815 Deus mostrou-lhe, mais uma vez, a punição que atraíam sobre a humanidade esses “lobos rapaces sob pele de ovelha, [...] acérrimos perseguidores de Jesus Crucificado e de Sua esposa a Santa Igreja”.

quarta-feira, 24 de agosto de 2011

Deus revela a extensão atingida pelo pecado ‒ Beata Elizabeth Canori Mora 2

Beata Elizabeth Canori Mora no fim da vida
Luis Dufaur
Escritor, jornalista,
conferencista de
política internacional,
sócio do IPCO,
webmaster de
diversos blogs




Continuação do post anterior

A partir da primeira visão mencionada no post anterior, Deus foi-lhe revelando o lamentável agir de certos setores eclesiásticos que atraíam a cólera divina, acumpliciados com a Revolução que derrubava tronos e seculares costumes cristãos na ordem temporal.

Tais visões patenteiam, três décadas antes de La Salette e um século antes das revelações na Cova da Iria, que o mal já se infiltrara na Igreja e na sociedade civil.

segunda-feira, 22 de agosto de 2011

Cristianofobia: veja palestra

Re-enviamos este post com o link que faltava para ser visualizado em alguns importantes sistemas, confiando na benevolência dos leitores.

Assista no vídeo abaixo à conferência do professor Alexandre del Valle sobre o tema “Cristianofobia: Por que são mortos e perseguidos os cristãos de hoje?”.

O evento foi promovido pelo Instituto Plinio Corrêa de Oliveira no dia 4 de agosto p.p., no auditório do Mosteiro de São Bento em São Paulo.

Veja vídeo
Cristianofobia:
Por que são mortos e
perseguidos os cristãos hoje?

O Dr. Alexandre del Valle é professor de Relações Internacionais na Universidade de Metz, França, e consultor de Geopolítica em diversas importantes instituições europeias, e possui diversos livros publicados sobre a matéria.

quarta-feira, 17 de agosto de 2011

Décadas antes de La Salette, Deus anunciava grandes castigos ‒ Beata Isabel Canori Mora 1

Óleo da Beata no fim da vida
Luis Dufaur
Escritor, jornalista,
conferencista de
política internacional,
sócio do IPCO,
webmaster de
diversos blogs




A aparição de La Salette ocupa um lugar central dentro de uma série de advertências e anúncios divinos através de intermediários privilegiados por Nossa Senhora e Seu Divino Filho.

Mas, nem todos esses avisos são bem conhecidos no Brasil. Entre os menos conhecidos estão as visões da Bem-aventurada Isabel Canori Mora (1774-1825).

A Bem-aventurada Isabel escreveu-as de próprio punho em centenas de páginas dirigidas a seu confessor. Os manuscritos se encontram hoje zelosamente custodiados no arquivo dos padres trinitários, em San Carlino, Roma (Trata-se do manuscrito MS —132).

Algumas circunstâncias dispuseram que uma cópia de primeira mão chegasse até nós, permitindo-nos compulsar fólio por fólio.

domingo, 14 de agosto de 2011

Assunção de Nossa Senhora: prenúncio do Reino de Maria

Assunção, detalhe iluminura s. XV.
Columbia University, UTS MS 049

“A Imaculada Mãe de Deus, a sempre Virgem Maria, terminado o curso de sua vida terrestre, foi assunta em corpo e alma à glória celestial”

Com essas imorredouras palavras, o Santo Padre Pio XII definiu o dogma da Assunção da Santíssima Virgem ao Céu em corpo e alma, solenemente proclamado no dia 1º de novembro de 1950, pela Constituição dogmática “Munificentissimus Deus”.


quarta-feira, 10 de agosto de 2011

O RECONHECIMENTO OFICIAL DA IGREJA


O bispo de Grenoble, Mons. de Bruillard, abriu um inquérito canônico sob a responsabilidade de uma comissão de 16 sacerdotes experientes da diocese.

A comissão interrogou videntes e vizinhos, clérigos e civis, autoridades e simples particulares. Pesquisou aspectos que poderiam desmerecer o evento sobrenatural. (Na foto ao lado: Casa onde os videntes ditaram o primeiro relato em 20 de setembro de 1846)

Ouviu com atenção opiniões favoráveis e contrárias. Realizou sessões de debate, inclusive na presença do bispo. Por fim, todas as eventuais dúvidas, objeções ou discrepâncias das interpretações foram resolvidas.

domingo, 7 de agosto de 2011

Extensão da Cristofobia é surpreendente, mostra Prof. del Valle

Dom Bertrand de Orleans e Bragança, Príncipe Imperial do Brasil
e diretor do Movimento Paz no Campo;
Dr. Adolpho Lindenberg, presidente doInstituto Plinio Corrêa de Oliveira;
Dr. Alexandre del Valle, conferencista, professor da Univ. de Metz, França, e
Dr. Caio Vidigal Xavier da Silveira presidente da Federação pro Europa Cristã
Sob o tema “Cristofobia: Por que são mortos e perseguidos os cristãos de hoje?”, na noite de 4 de agosto último, o Instituto Plinio Corrêa de Oliveira promoveu mais uma importante palestra na capital paulista.

O auditório do Mosteiro de São Bento voltou a estar lotado, mas desta vez para ouvir um relato da perseguição que, aberta ou veladamente, o cristianismo tem sofrido nos dias atuais.

segunda-feira, 1 de agosto de 2011

Ministério da Justiça trama repressão da aparição de La Salette


Em maio de 1847 o Ministério da Justiça elaborou um relatório ameaçadoramente contrário a La Salette. O documento era endereçado ao chefe da pasta, o ministro Hébert, hostil à Religião e a La Salette.

Esse relatório resumia informes de polícia que descreviam a difusão da devoção a La Salette pelo país todo.

Para propor uma perseguição, ele tomava como pretexto o anúncio de Nossa Senhora de que, se a França não se convertesse, viria fome e mortalidade de crianças.

“Tais passagens, diz o pérfido relatório, são de molde a produzir efetivamente, e já tem produzido, funestas impressões sobre as populações ignorantes. Elas poderiam, neste tempo de fome, até comprometer a tranqüilidade pública. Porém não se encontra no Código Penal, nem nas leis de imprensa, nem nas leis sobre os cereais, qualificação penal alguma que lhe seja imputável. Não há nem incitamento à desobediência das leis, nem tentativa de perturbação da paz pública excitando o menosprezo ou o ódio contra uma ou várias classes de pessoas, etc.”.

quarta-feira, 27 de julho de 2011

Jornais desencadeiam estrondo publicitário contra La Salette


Enquanto que as graças ligadas à aceitação da aparição de Nossa Senhora em La Salette operavam uma verdadeira regeneração moral, os inimigos de La Salette, católicos liberais e anticatólicos, ficavam cada vez mais incomodados.

De início, os jornais laicistas e anticlericais do tempo tentaram abafar o acontecimento. Mas, com tantas peregrinações e milagres, o silêncio ficou insustentável.

quarta-feira, 20 de julho de 2011

Primeiros milagres logo após a aparição


Pouco tempo após a aparição se constataram os primeiros milagres. Em 16 de abril de 1847, sete meses depois da aparição, verificou-se em Avignon a cura miraculosa da irmã Saint-Charles enquanto rezava uma novena a Nossa Senhora de La Salette.

Em 14 de maio do mesmo ano aconteceu a cura milagrosa de Soror Saint-Antoine Granet, religiosa do Santíssimo Sacramento, também em Avignon. Ela sofria diversas doenças constatadas por médicos diferentes. A cura deu-se no fim de uma novena, durante a qual a religiosa bebeu água da fonte de La Salette.

quarta-feira, 13 de julho de 2011

Bons efeitos da aparição e mudanças de vida em outras regiões

Os bons efeitos se sentiram logo nas dioceses vizinhas. Assim o testemunhou o bispo de Gap, Mons. Irineu Dépery, em 9 de fevereiro de 1847.
“Eu também tenho recolhido informações, e para mim o fato da aparição parece incontestável. Deus parece confirmá-la com prodígios. (...) A água da fonte devolveu a saúde a diversas pessoas, entre as quais uma de meu conhecimento. O efeito que tem produzido este acontecimento nas populações das vizinhanças, até na minha diocese, é prodigioso. As imprecações e o trabalho no domingo cessaram inteiramente. As igrejas e os sacramentos são freqüentados da maneira mais edificante. É preciso ser ímpio para recusar a Deus o poder e o querer agir desta maneira para atrair o povo para sua lei. As Santas Escrituras estão cheias de fatos semelhantes”.

domingo, 3 de julho de 2011

O pranto de Nossa Senhora sobre o mundo (2)

Luis Dufaur
Escritor, jornalista,
conferencista de
política internacional,
sócio do IPCO,
webmaster de
diversos blogs




Continuação do post anterior


Irmã Agnes Katsuko Sasagawa, vítima expiatória

Em 1969, deu-se a primeira aparição do anjo à Irmã Agnes. Em 1973, passou por uma dura provação: ela ficou inteiramente surda.

Neste mesmo ano, depois de uma visão na qual uma coorte celeste lhe apareceu em torno do tabernáculo adorando o Santíssimo Sacramento, ela recebeu na mão esquerda o estigma da Paixão de Nosso Senhor, provocando-lhe intensa dor e sofrimento.

Nossa Senhora a estava preparando para receber sua mensagem. Nos meses que se seguiram, a Santíssima Virgem comunicou-se por três vezes com a Irmã Agnes que, apesar de sua surdez, ouvia a voz de Nossa Senhora estando diante da imagem.

quarta-feira, 29 de junho de 2011

O pranto de Nossa Senhora sobre o mundo (1)

Luis Dufaur
Escritor, jornalista,
conferencista de
política internacional,
sócio do IPCO,
webmaster de
diversos blogs




Nosso Senhor amou Jerusalém, a cidade perfeita, alegria do mundo inteiro. Entretanto, pouco antes de Ele ser crucificado, passando perto de suas muralhas, profetizou a sua destruição, que ocorreria como castigo pelo deicídio.

Quarenta anos se passaram sem que aquela profecia se cumprisse. Até que, nos anos 70 da era cristã, a surdez do povo aos apelos e admoestações de Nosso Senhor foi punida pelo exército de Tito, general romano, depois imperador, que invadiu e destruiu Jerusalém, inclusive o Templo, não deixando pedra sobre pedra.

quarta-feira, 8 de junho de 2011

A despedida. Fim da aparição

La Salette, Nossa Senhora sobe ao Ceu
Após comunicar a parte pública e a parte secreta da mensagem, Nossa Senhora andou para frente, passou ao lado dos dois e subiu uma ondulação de terreno sem olhar para eles. Eles correram atrás.

Os pés de Nossa Senhora apenas tocavam a fímbria das ervas, sem as dobrar. Tendo atingido o topo, Ela se deteve olhando com terna bondade os videntes. E começou a se elevar insensivelmente até a altura de um metro. Ficou ali apenas um instante, suficiente para olhar o céu, a terra, à sua direita e à sua esquerda.

Depois voltou-se para as crianças, pousou nelas seus olhos “tão doces, tão amáveis e tão bons, que julguei que ela me atrairia até seu interior, e parecia que meu coração se abria ao d’Ela”, afirmou Mélanie.

E num derradeiro adeus, Nossa Senhora voltou a dizer-lhes:

– “Pois bem, meus filhos, vós o fareis passar a todo o meu povo”.

La Salette, a despedidaAssim que acabou de pronunciar estas palavras, a luz que a rodeava tornou-se mais intensa, e foi pouco a pouco envolvendo e ocultando seu corpo virginal.

A luz formou uma espécie de globo, que diminuía à medida que subia. Ascendeu suavemente em direção à direita e desapareceu do horizonte visual das crianças amadas.

Os dois ficaram ainda olhando longamente para o céu. Quando caíram em si, voltaram-se um para o outro.

Não conseguiam pronunciar uma só palavra. Ora olhavam para o céu, ora para o chão ou em torno de si, para ver se ainda discerniam a bela dama. Nossa Senhora tinha partido.

Mélanie rompeu o silêncio:

– Deve ter sido, Mémin, o bom Deus ou a Santa Virgem de meu pai, ou talvez alguma grande santa.

– Ah, respondeu Maximin, se eu tivesse sabido, eu lhe teria pedido para me levar com Ela para o Céu.

Foi a única aparição de La Salette, e nela está tudo contido.

O sol começou a descer. As vacas pastavam tranqüilas. Mélanie quebrou seu bordão em dois e fez uma cruz, que enfiou no exato lugar onde Nossa Senhora esteve.

Mélanie e Maximin voltaram primeiro às casas dos seus patrões. Ali contaram tudo, menos o segredo, é claro. Os piedosos patrões ficaram comovidos e levaram os dois para ver o pároco de La Salette.

Na hora de falar com o sacerdote, Mélanie ficou surpresa, pois estava falando em francês, língua que antes da aparição ela não dominava.

segunda-feira, 6 de junho de 2011

Em meio à tragédia, a cruz incólume de Joplin simboliza o triunfo vindouro da Fé

O tornado chegando a Joplin, Missouri, EUA
Luis Dufaur
Escritor, jornalista,
conferencista de
política internacional,
sócio do IPCO,
webmaster de
diversos blogs




Sobre a cidade de Joplin, no Estado de Missouri ‒ EUA, soprou o mais devastador tornado da história na noite de 22 de maio.

A base do tornado tinha uma largura de quase um quilômetro e avançou seis quilômetros, ceifando pelo menos 132 vidas.

Centenas de pessoas ainda estão desaparecidas enquanto escrevemos. Quase todos os edifícios em seu caminho ficaram em total ruína.

quarta-feira, 1 de junho de 2011

A parte pública da mensagem


Maximin conta que Nossa Senhora continuou, dizendo:
– Se eles se converterem, as pedras dos rochedos transformar-se-ão em trigo e as batatas serão encontradas já plantadas na terra.

Depois Ela nos perguntou:
– Meus filhos, vocês fazem bem as orações?

Nós dois respondemos:

– Não, minha senhora, não muito.

– Ah, meus filhos, é preciso rezá-las direito no fim do dia e pela manhã. Quando não tiverem tempo, rezem só um Pai Nosso e uma Ave-Maria. Quando tiverem tempo, é preciso rezar mais ainda. Só vão algumas mulheres idosas à missa, as outras trabalham o verão todo e vão à missa no inverno, mas só para não levar a sério a Religião. Na Quaresma eles vão ao açougue como cães.

quarta-feira, 25 de maio de 2011

Como aconteceu a transmissão do segredo para cada um dos videntes

La Salette, imagens na neve
Os anúncios da perda das colheitas e as mortes das criancinhas cumpriram-se fielmente e serviram como prova da autenticidade da aparição de Nossa Senhora e do segredo que Ela comunicou na referida aparição.

Foi nesta visão, que foi só uma, que Nossa Senhora transmitiu a cada um dos pastores uma mensagem que só deveria ser revelada doze anos depois, em 1858.

domingo, 22 de maio de 2011

Nossa Senhora mudou de idioma para ser melhor entendida pelos videntes

Mélanie dois anos depois da aparição
Quando Nossa Senhora indicou aos videntes que as colheitas se estragariam em sinal do cumprimento da profecia, incluindo as batatas, Mélanie não entendeu a palavra batatas, pois Nossa Senhora falava em francês.

As crianças não o entendiam bem, pois no dia-a-dia usavam o “patois” da região, um dialeto do francês misturado com muitos particularismos regionais.

Nossa Senhora percebeu a dificuldade e disse:

“Ah! vocês não entendem o francês, meus filhos. Vou vos falar de outro modo”.
E seguiu retomando em “patois” o que já tinha dito.

terça-feira, 17 de maio de 2011

Auréola solar de Fátima filmada desde uma casa

Veja vídeo
O fenômeno meteorológico
filmado desde uma casa
A respeito da auréola formada sobre o imenso número de peregrinos que assistiam às cerimônias e orações na esplanada do Santuário de Fátima, Portugal, a 13 de maio último (2011):

Chegou até nós um vídeo caseiro, mas suficientemente nítido, do fato no céu, tirado desde uma casa na cidade de Fátima.

Julgamos que poderia ser de interesse para nossos leitores e aqui o publicamos. CLIQUE AO LADO.






segunda-feira, 16 de maio de 2011

Halo solar marca o 13 de maio em Fátima

Agência Lusa



No dia 13 de maio uma grande multidão de peregrinos reuniu-se em Fátima, aliás, como é costumeiro nesta grande data que comemora a primeira aparição de Nossa Senhora em 1917.

Foto de jornal
No auge das orações verificou-se um fenômeno natural que raramente acontece no local: um halo solar.

Considerando que em Fátima Nossa Senhora quis se manifestar ao povo com fenômenos luminosos como o famoso Milagre do Sol, em 13 de outubro de 1917, tem procedência se perguntar se este fenômeno foi um sinal do Céu.

O fenômeno do halo solar é explicado pela ciência. O que a ciência não explica - e, de fato, isso não é tarefa dela - o porquê de ter acontecido a 13 de Maio, em Fátima, como observou a Agência Lusa.

quarta-feira, 11 de maio de 2011

Sinal da veracidade da visão: as colheitas se estragarão

La Salette, Santuario
Nossa Senhora em La Salette deu uma prova para constatar a autenticidade da aparição e da seriedade de seus anúncios:

“Também os carreteiros – continuou Nossa Senhora – não sabem fazer outra coisa senão blasfemar envolvendo o nome do meu Filho. São duas coisas que tornam tão pesado o seu braço.

“Se a colheita se estragar, será por vossa causa. Eu vos fiz ver isso no ano passado com as batatas. Mas vós não tendes prestado atenção. Pelo contrário, quando as encontrais estragadas, jurais e blasfemais o nome de meu Filho. Elas vão continuar a se estragar, até que no Natal já não as haverá mais”.

Nestas palavras Nossa Senhora se referia a acontecimentos conhecidos pelas crianças.
De fato, na região e na França houvera uma quebra de safra, que até serviu de pretexto para motins populares.

Nossa Senhora esclarecia aos videntes que a verdadeira causa dessa desgraça eram dois pecados especiais.

Em primeiro lugar, a violação do mandamento que manda repousar e não trabalhar aos domingos.

Em segundo lugar, pelo vício generalizado da blasfêmia. E se os homens não cessassem essas ofensas, a situação continuaria piorando até o fim do ano.

quarta-feira, 4 de maio de 2011

Nossa Senhora tenta sustar o braço de Nosso Senhor

La Salette, Nossa Senhora ficou em pé e falou
Os videntes desceram logo a pouca distância que os separava da Dama.

Ao mesmo tempo Nossa Senhora se pôs em pé e deu alguns passos em direção às crianças.

Ela pairava uns 10 centímetros acima da relva, e começou dizendo:

“Vinde meus filhos, não tenhais medo, estou aqui para vos anunciar uma grande notícia.

“Se meu povo não quiser se submeter, fico obrigada a deixar o braço de meu Filho golpear.

“Ele é tão pesado e tão grave, que não posso mais segurá-lo.

“Há muito que sofro por vossa causa. Se quero que meu Filho não vos abandone, estou obrigada a rezar a Ele sem cessar, por vossa causa.

Mas vós não fazeis caso. Eu vos dei seis dias para trabalhar e reservei para mim o sétimo. Porém não o quereis consagrar-me. É isso que torna tão pesado o braço de meu Filho”.



quarta-feira, 13 de abril de 2011

A luz e a voz de Nossa Senhora


Nossa Senhora em La Salette apareceu envolta numa grande luz. Intensissima como a do astro solar, mas não queimava os olhos.

Ela tinha graus, ou como que círculos concêntricos de intensidade. Essa luz envolveu os videntes.

“A Santa Virgem – explicou Mélanie – estava envolta em duas claridades.

“A primeira delas, mais próxima da Santíssima Virgem, chegava até nós.

“A segunda se estendia um pouco mais em volta da bela Dama, e nos encontrávamos nela.

“Esta luz era imóvel, não cintilava, porém bem mais brilhante que nosso pobre sol da Terra. Essas luzes não faziam mal aos olhos e em nada fatigavam a vista.

“Além de todas essas luzes, de todo esse esplendor, do corpo da Santa Virgem e de seus trajes saíam feixes de luz.

“A voz da bela Dama era suave. Encantava, fascinava, fazia bem ao coração. Saciava e aplainava todos os obstáculos. Parecia ter querido me alimentar de sua bela voz. Meu coração parecia dançar ou querer ir ao seu encontro para se derreter nela”.

Para Maximin o resplendor e a voz de Nossa Senhora era como “uma luz bem diferente de todas as outras. Ela ia diretamente ao meu coração, sem passar por meus ouvidos.

“Entretanto, com uma harmonia que os mais belos concertos não poderiam reproduzir. Digo com um sabor que os licores mais doces não conseguem ter”.


Desejaria receber atualizações gratuitas e instantâneas, sem compromiso, de "A Aparição de La Salette e suas Profecias" no meu e-mail

quarta-feira, 6 de abril de 2011

As lágrimas de Nossa Senhora em La Salette

O pranto de Nossa Senhora em La Salette, mosteiro de Einsiedeln
Mélanie descreveu também o pranto de Nossa Senhora:

“A Santa Virgem chorava quase o tempo todo enquanto falava. Suas lágrimas corriam lentamente até os joelhos e desapareciam como faíscas de luz.

“Eram brilhantes e cheias de amor. Eu desejava consolá-la, para que não chorasse mais.

“Mas me parecia que tinha necessidade de mostrar suas lágrimas, para melhor evidenciar seu amor esquecido pelos homens.

“Eu quis me jogar nos seus braços e dizer-lhe: Minha mãe querida, não choreis! Quero vos amar por todos os homens da terra.

Mas parece que Ela dizia: Há tantos que não me conhecem.

“As lágrimas de nossa terna mãe, longe de diminuir seu ar de Majestade, Rainha e Senhora, pareciam embelezá-la, torná-la mais bela, mais poderosa, mais cheia de amor, mais maternal, mais encantadora. Eu talvez tivesse ingerido suas lágrimas, que faziam meu coração estremecer de compaixão e de amor.

“É compreensível que vendo chorar uma mãe, e uma tal mãe, se queira empregar todos os meios imagináveis para a consolar, para transformar suas dores em alegria”.

Desejaria receber atualizações gratuitas e instantâneas, sem compromiso, de "A Aparição de La Salette e suas Profecias" no meu e-mail

quarta-feira, 30 de março de 2011

As correntes e o crucifixo no peito de Nossa Senhora

Corrente e Cruz de Nossa Senhora, Aparições de La Salette
Em La Salette, Nossa Senhora apareceu usando uma Cruz e uma corrente todas especiais.
Mélanie, ela própria nos contou como eram:

“A Santa Virgem tinha uma belíssima cruz pendurada no pescoço. Essa cruz parecia ser dourada, mas digo dourada para não dizer que era folheada a ouro (...). Sobre esta cruz brilhantíssima havia um crucificado.

“Era Nosso Senhor com os braços estendidos sobre a cruz. Quase nas duas extremidades da cruz, de um lado havia um martelo e do outro uma torquês.

“A cor da pele do crucificado era natural, mas brilhava com grande fulgor. E a luz que emanava de todo seu corpo parecia dardos brilhantíssimos que perpassavam meu coração de desejo de me fundir n’Ele.

Crucifixo de Nossa Senhora, Aparições de La Salette“Por vezes Cristo parecia morto.

“Ele tinha a cabeça inclinada e o corpo estava afastado, como a ponto de cair, se não fosse retido pelos pregos que o seguravam na cruz.

“Outras vezes Cristo parecia vivo. Tinha a cabeça erguida, os olhos abertos, e parecia estar na cruz por vontade própria.

“E em algumas ocasiões parecia falar”.

Geralmente interpreta-se o martelo como símbolo daqueles que pela sua má vida, pelo menosprezo da Lei divina e até pelo ódio, pregam ainda mais Nosso Senhor Jesus Cristo na cruz.

Nesta concepção a torquês representa aqueles que, pelas suas boas ações, diminuem as dores de Nosso Senhor, e dentro de suas possibilidades tentam despregá-lo da cruz.

“A Santíssima Virgem – lembra ainda Mélanie – tinha duas correntes, uma um pouco mais larga que a outra. Da mais estreita estava pendurada a cruz à qual me referi. Essas correntes (é preciso dar-lhes o nome de correntes) eram raios de glória de grande brilho, que não é fixo mas faiscante”.


Desejaria receber atualizações gratuitas e instantâneas, sem compromiso, de "A Aparição de La Salette e suas Profecias" no meu e-mail

quarta-feira, 23 de março de 2011

Akita 4: a Fátima do Oriente ‒ Prantos, suor e sangue: análises científicas e pronunciamento canônico

Luis Dufaur
Escritor, jornalista,
conferencista de
política internacional,
sócio do IPCO,
webmaster de
diversos blogs




Continuação do post anterior 

Novos prantos da imagem

Após as mensagens de Nossa Senhora, a luz ofuscante que cercava a estátua sumiu.

Em 4 de janeiro de 1975, para o espanto da comunidade e do padre Yasuda, a estátua da Virgem começou a chorar e assim fez três vezes naquele dia. Também foram testemunhas dessa lacrimação, além das irmãs, o bispo Ito e certo número de pessoas que participavam com as freiras de um retiro de Ano Novo.

As lágrimas coletadas na borda interior dos olhos desciam pelas bochechas, as coletadas na borda da borda do vestido perto da garganta, desciam pelas dobras da túnica e caiam sobre o mundo sob os pés de Nossa Senhora.