Fim do mundo presente e mistérios da vida futura

Na festa de Balthasar, rei da Babilônia, uma mão misteriosa escreveu 'Teus dias estão contados', Rembrandt van Rijn (1606 — 1669), National Gallery, Londres
Na festa de Baltazar, rei da Babilônia,
uma mão misteriosa escreveu 'Teus dias estão contados',
Rembrandt van Rijn (1606 — 1669), National Gallery, Londres.
Luis Dufaur
Escritor, jornalista,
conferencista de
política internacional,
sócio do IPCO,
webmaster de
diversos blogs










Pe. Charles-Marie-Antoine Arminjon S.J.
Pe Charles Marie Arminjon
O Pe. Charles-Marie-Antoine Arminjon (1824-1885), nascido em Chambéry, França, recebeu do Beato Papa Pio IX o título de missionário apostólico e em 26 de janeiro de 1865, foi eleito membro titular da Academia de Ciência, Letras e Artes da Saboya.

Professor de eloquência no seminário maior de Chambéry foi autor de famosas coleções de pregações feitas na catedral da diocese.

Santa Teresinha professava uma especial admiração pela coleção editada em 1881 no livro “Fim do mundo presente e mistérios da vida futura”.

“Essa leitura foi uma das maiores graças da minha vida”
“Esse livro havia sido emprestado ao papai pelas minhas queridas carmelitas.

“Pedi para lê-lo, embora fosse algo muito contrário ao meu hábito (porque não lia os livros do papai).

“Essa leitura foi uma das maiores graças da minha vida, e a fiz na janela da minha sala de estudos.

“Ler esta obra mergulhou minha alma em uma felicidade que não é da terra.

“Eu já senti o que Deus tem reservado para aqueles que o amam”.

Essa recomendação da Santa de Lisieux continua tal vez mais válida hoje do que no século XIX.

O sábio professor Pe. C. Arminjon explica como a revelação oficial, contida só nas Sagradas Escrituras, não fixa datas para o fim do mundo vindouro.

Isso ressalta o valor das revelações particulares de Nossa Senhora e de Santos, aprovadas pela autoridade eclesiástica, sobre a iminência de grandes convulsões que se avizinham.

Este é o critério seletivo prioritário que adotamos em nosso blog.


É um dos pontos principais que explicam por que a Divina Providencia quis além da revelação oficial da Bíblia, acrescentar revelações particulares como La Salette, Fátima, de numerosos santos, e ainda outras.

Devemos dar uma adesão de fé interior, portanto obrigatória, à revelação oficial, quer dizer às Sagradas Escrituras. Enquanto que para as revelações particulares o critério de adesão é ditado pela prudência porque não são obrigatórias.

A pessoa não está obrigada a crer nelas, mas poderia cometer grave imprudência não lhes prestando ouvidos, sobre tudo quando declaradas isentas de erro contra a Fé e contra os bons costumes, pela autoridade eclesiástica.

Nossa Senhora avisou em La Salette
Nossa Senhora avisou em La Salette
Mas nós estamos vendo que essas boas revelações particulares insistem cada vez mais em eventos terríveis que a humanidade está atraindo sobre si com uma chuva de pecados, desordens e revoluções.

Dessa maneira, compreende-se que abalos formidáveis no mundo já estejam dando sinais de próxima realização.

Não será o Fim do Mundo, mas sim sua prefigura com calamidades inimagináveis, mas onde também se manifestará a Misericórdia de Deus, a onipotência suplicante de Nossa Senhora, e a intercessão de santos e anjos.No texto que selecionamos e traduzimos a continuação, o brilhante sacerdote trata de uma indagação cada vez mais atual: chegamos ao Fim do Mundo?

E ele nos mostra com argumentos teológicos sapienciais aquilo que temos publicado em outros posts: Não estamos na véspera do Fim do Mundo, mas no prelúdio de uma era em que o Evangelho triunfará e será praticado por todos os povos da Terra.

Passaremos, isso sim, por uma provação purificadora universal, como aliás falou Nossa Senhora em La Salette e Fátima para citar  exemplos principais.

Mas será, um momento histórico passageiro. No fim Nosso Senhor Jesus Cristo e sua Igreja triunfarão.

A publicação de execertos da douta e piedosa obra “Fim do mundo presente e mistérios da vida futura” do preclaro missionário apostólico Charles-Marie-Antoine Arminjon (1824-1885),teve uma excepcional acolhida por parte dos nossos leitores.

E com sobradas razões pois, além da ciência nas Sagradas Escrituras e da consagrada oratória do autor citado, Santa Teresinha o recomendou escrevendo “Essa leitura foi uma das maiores graças da minha vida. Eu já senti o que Deus tem reservado para aqueles que o amam”.

Ante essa cálida acolhida a um livro tão bem recomendado, decidimos publicar mais alguns excertos. E esses acabaram sendo tão numerosos que decidimos reuni-los numa única página para facilitar a visão de conjunto, e que agora o internauta tem diante dos olhos.

Eis os excertos:



O Fim do Mundo deve vir


A ciência materialista e ateísta do nosso século, aquela que é veiculada nos jornais, que é ensinada na maioria dos púlpitos oficiais e que é credenciada pelas principais correntes da opinião anticristã atual, persiste em ver apenas o efeito do acaso na ordem e perfeição do universo.

Afirma a eternidade da matéria ... Negando a criação, não pode logicamente admitir que o mundo pode ter um fim.

De acordo com essa falsa ciência, o universo presente sempre subsistirá, e se for progredindo e se aprimorando é somente por efeito do gênio do homem dando impulso cada vez mais crescente às artes e conquistas industriais, combinação e jogo variado de fluidos e elementos, que se decompõem e se recompõem para dar origem a novas formas.

Anjo exterminador, cemitério de Comillas, escultura de Josep Llimona.
Assim como o mundo teve início, terá fim pela mão de Deus.
Anjo exterminador, cemitério de Comillas,
escultura de Josep Llimona.
Em suma, pela aplicação e ativação das inúmeras e ainda desconhecidas forças que a natureza esconde em seu seio, forças que por si mesmas são capazes de crescer, de se desenvolver sem limites definidos.

E assim como o verme, ao se aperfeiçoar, tornou-se um quadrúpede; de quadrúpede, bípede; de bípede, o homem, então o homem, com a ajuda da ciência, chegará um dia ao ápice da soberania.

Ele conquistará o tempo e o espaço, criará asas para voar até as estrelas e explorar as maravilhas das constelações.

Aos olhos da ciência ateísta, o paraíso e a vida eterna, como os cristãos os imaginam, são uma alegoria e um mito.

O progresso é o fim último, a lei e o fundamento da vida humana, o fim, a meta para onde todos os seus pensamentos e aspirações devem convergir. (...)

Devo dizer que esses sonhos fantásticos, essas teorias rudes e sem sentido são contrariadas pela razão e pela consciência universal dos povos?

Eles são contraditos pela razão cristã.


Com efeito, se, como tal é a nossa fé e a nossa convicção como cristãos, a vida dos tempos teve o seu início e o seu início em Deus, também deve ter em Deus a sua consumação e o seu destino.

O homem foi criado para conhecer Deus, para amá-lo e servi-lo, e se um dia não conseguisse possuí-lo e estar irrevogavelmente unido a ele, o desígnio do criador, destituído de qualquer finalidade racional, seria apenas 'uma monstruosidade e uma aberração. (...)

O juízo da história ainda é um juízo incompleto, porque toda ação boa ou má é um princípio do bem e do mal, uma semente de vida ou morte, da qual seu autor não poderia prever nem prever tudo os frutos e todos os resultados.

Por isso, se o juízo universal não nos tivesse sido previsto, deveríamos pedi-lo, afirma-lo, como consequência necessária, como último passo desta providência de Deus que dirige o movimento da história ao longo dos séculos, como última medida para completar sua obra e colocar seu selo nela.

Este julgamento universal é apenas a última cena do drama universal: é a execução geral de todos os julgamentos parciais que emanam da justiça de Deus.

Deve haver um Juízo Final para que seja feita toda a Justiça que não foi feita pelos homens, Jan van Eyck  (1390 — 1441) Metropolitan Museum of Art, New York
Deve haver um Juízo Final
para que seja feita toda a Justiça
que não foi feita pelos homens,
Jan van Eyck  (1390 — 1441)
Metropolitan Museum of Art, New York
É somente com esta condição que a história se tornará clara e compreensível, que a veremos, não como é imaginada na mente e nos olhos perturbados do homem, mas como é na verdade, e como um livro aberto a todos os olhos.

Um grande orador do nosso tempo disse: “A história não se faz, começará no Vale de Josafá”.

A razão cristã e a consciência universal dos povos atestam, portanto, que o mundo deve acabar e que haverá uma nova ordem.

Os organismos mais perfeitos e mais solidamente constituídos não podem ser submetidos a um funcionamento indefinido. (...)

Não apenas os seres vivos, como animais e plantas, mas os próprios minerais, são solicitados por forças opostas de afinidade e repulsão, e tendem a se fragmentar constantemente para formar novas agregações.

Assim, as rochas e granitos mais duros sofrem ação corrosiva e trabalho, que mais cedo ou mais tarde os fará cambalear.

Vemos no firmamento estrelas que saem e desaparecem.

Todo movimento, mesmo o dos céus, tende a diminuir.

Astrônomos eminentes observaram perdas de calor e luz no Sol e nas estrelas, mesmo imperceptíveis, mas que, depois de longos séculos, não deixarão de ter uma influência desastrosa em nossos climas e nossas estações.

Seja como for, é certo que nossa terra não tem mais a mesma fertilidade e a mesma força vegetativa que tinha nos primeiros tempos da humanidade.

Como o mundo era jovem, chegará um tempo em que terá seu crepúsculo, em que acelerará em direção ao anoitecer e ao declínio. (...)

Então o mundo terá um fim, mas esse fim está longe ou perto? Esta é uma questão séria e emocionante, não menos digna da meditação das almas cristãs.



A data do Fim do Mundo é ignota,
mas terá sinais prenunciadores


O peregrino no fim de sua jornada, Thomas Cole (1801 — 1848), Smithsonian American Art Museum
"O peregrino no fim de sua jornada"
Thomas Cole (1801 — 1848), Smithsonian American Art Museum
A Sagrada Escritura não nos deixa na ignorância absoluta sobre [o momento em que o mundo terá fim].

Sem dúvida, Jesus Cristo nos disse, falando da data precisa: “Aquele dia ninguém o conhece, e ele é ignorado até pelos anjos que estão nos Céus” (São Mateus 24:36).

Mas, por outro lado, Ele quis nos deixar pistas e sinais específicos, com o objetivo de nos fazer saber que o advento das profecias está próximo e que o mundo está chegando ao fim.

Jesus Cristo procedeu em relação ao homem tomado coletivamente como em relação aos indivíduos: portanto, a nossa morte é certa, mas a hora nos é desconhecida.

Nenhum de nós pode dizer se estará vivo em uma semana, em um dia, e eu, que estou falando com vocês, não sei se vou terminar o discurso que comecei.

Mas, se podemos sermos surpresos a qualquer hora, há, no entanto, sinais que atestam que nossa última hora é iminente e que estamos nos embalando em uma ilusão grosseira prometendo a nós mesmos uma longa carreira aqui embaixo.

“Aprenda com isso”, diz o Senhor, “uma comparação tirada da figueira: quando seus brotos começam a amaciar e ela dá folhas, você sabe que o verão está próximo ...

“Da mesma forma, quando você vir todas essas coisas, ou seja, guerras, fomes, tremores, saiba que o Filho do Homem está às suas portas”. (São Mateus 24:32-33)

A queda de Babilônia, Gustave Doré
A queda de Babilônia, Gustave Doré
Na verdade, esses desastres públicos, esses problemas, e as perturbações nos elementos e no curso regular das estações, que vão sinalizar a última vinda do Filho de Deus, são sinais vagos e indeterminados ...

Eles se manifestaram, com maior ou menor intensidade, em todas as eras nefastas da humanidade, em todos os tempos de crise e comoção religiosa.

Na época dos Macabeus, já vimos sinais aparecendo no céu.

Durante quarenta dias, toda a cidade de Jerusalém viu no ar homens a cavalo, vestidos de ouro e armados com lanças, como tropas de cavalaria.

Os cavalos, dispostos em esquadrões, correram uns contra os outros.

Os homens apareceram armados com dardos e espadas desembainhadas; eles tinham armas douradas, seus elmos e couraças eram todos resplandecentes.

O povo, tomado de terror, orou fervorosamente a Deus, para que esses presságios se voltassem para sua libertação e não para sua confusão e ruína.

Durante o cerco de Jerusalém, sob Tito, o Santo dos Santos e o Templo foram agitados por tremores misteriosos; ruídos estranhos podiam ser ouvidos lá, e vozes de seres invisíveis gritavam: “Vamos sair daqui, saia daqui”.

Um rabino-chefe, surpreso com essas manifestações sobrenaturais e aterrorizantes, exclamou: “Ó templo, por que você está se preocupando e se assustando?”

Assim Jesus Cristo, para não dar lugar a nenhuma ambiguidade, a nenhuma interpretação falsa, nos diz que as pragas e as maravilhas da natureza, que marcarão os últimos séculos da humanidade, são apenas o prelúdio e o início de dores ainda maiores: Hœc autem omnia initium dolorum.

Assim, a partir dos atuais desastres e revoluções, desordens morais, grandes cataclismos religiosos ou sociais, dos quais a Europa e o mundo estão montando o teatro, nenhuma inferência conclusiva pode ser tirada sobre o fim dos tempos.

Os sinais hoje são os mesmos sinais que ocorreram em tempos antigos, e a experiência os considera insuficientes para provar a proximidade do julgamento.



Eventos atuais prefiguram o Fim do Mundo?


Incêndio de Notre Dame de Paris, 19 de abril de 2019
Incêndio de Notre Dame de Paris, 19 de abril de 2019
É importante considerar que Jesus Cristo, em sua profecia (São Mateus, cap. XXIV), mistura em um único quadro os sinais que dizem respeito ao fim do mundo e aqueles que dizem respeito à ruína de Jerusalém.

Ele o faz primeiro por causa da analogia dos dois eventos ...

Ele o faz em segundo lugar, porque em Deus não há diferença ou sucessão de tempos.

Os fatos mais próximos e os fatos mais distantes estão claramente presentes em sua mente, ele os vê como se tivessem acontecido no mesmo momento ...

Além disso, Nosso Senhor Jesus Cristo sabia que os Apóstolos, antes do dia em que foram iluminados por o Espírito Santo, estavam imbuídos de ilusões e de todos os preconceitos judaicos.

Aos olhos deles, Jerusalém era todo o universo, e sua ruína foi, para eles, a queda do mundo.

Como resultado desse patriotismo estreito e exagerado que os dominava, os apóstolos perseveraram até a ruína de Jerusalém em uma espera vigilante e contínua.

Destruição do Templo de Jerusalém, Francesco Hayez, (1791 — 1882), Gallerie dell'Accademia, Veneza
Destruição do Templo de Jerusalém,
Francesco Hayez, (1791 — 1882), Gallerie dell'Accademia, Veneza
Esses arranjos foram a meta que Jesus Cristo se propôs a alcançar, procurando mais educá-los e separá-los das esperanças cruas da terra, do que despertar sua curiosidade, revelando-lhes os segredos ocultos do futuro.

Assim, em sua profecia, ele os mostra como duas perspectivas e dois horizontes com características semelhantes e que se assemelham em seus contornos, seus desenhos e suas cores.

Em São Mateus e São Marcos, os dois eventos, a ruína de Jerusalém e o fim do mundo, parecem antes se fundir.

Em São Lucas, a separação dos dois fatos aparece muito claramente: há características que se referem apenas ao fim do mundo, por exemplo estas:

“E haverá sinais no sol, na lua e na as estrelas.

“E na terra as nações estarão em desânimo e o mar fará um barulho terrível com a agitação de suas ondas ...

“E então eles verão o Filho do Homem vindo em uma nuvem com grande poder e grande majestade”.
O mundo existirá por mais cem anos? Isso terminará com nosso atual milênio?

Irá a humanidade, sob a lei da graça do Cristianismo, cobrir uma medida de anos correspondente ao que cobriu sob a lei da natureza ou sob a lei mosaica?

Estas são questões sobre as quais não são permitidas suposições ou conjecturas.

Todos os cálculos e investigações a que os intérpretes eruditos se empenharam são pesquisas inúteis, que não têm outro interesse senão a satisfação de vã curiosidade.

A Providência determinou que este dia seja desconhecido e que ninguém conseguirá descobri-lo até o momento de sua realização: De die illa nemo scit.

E que ninguém se oponha a nós que, se não podemos fixar o dia, podemos pelo menos determinar a época ou o ano.

Não; pois Santo Agostinho observa que a palavra dia, na Sagrada Escritura, deve ser interpretada no sentido de qualquer duração.

O testemunho do santo doutor concorda com o do profeta Malaquias, que nos diz:

“Ei-lo que vem – diz o Senhor dos exércitos. Quem estará seguro no dia de sua vinda?” (Malaquias, 3, 1) Ecce venit, dicit Dominus exercitum: Et quis poterit cogitare diem adventus ejus.

Zacharias é ainda mais preciso e explícito:

“Naquele dia, não haverá frio nem gelo. Será um dia contínuo conhecido somente do Senhor, e não haverá sucessão de dia e noite, e a noite será clara”. (Zacarias, 14, 6-7) Et erit in die illa: non erit lux, sed frigus et gelu, et erit dies una, quœ nota est Domino, non dies neque nox: et in tempore vesperi erit lux.

A razão é que o fim do mundo não será apenas efeito de uma causa natural, mas depende sobretudo da vontade de Deus, que não nos foi revelada.

É pela fé que os destinos humanos serão fechados, quando a medida dos santos for preenchida, e o número dos eleitos consumado.

Agora, nenhum homem pode, não apenas por certos motivos, mas mesmo com base em conjecturas prováveis, saber qual é o número dos predestinados, e menos ainda depois de quanto tempo esse número estará completo.

Quem ousaria, por exemplo, afirmar que se salvarão mais ou menos homens nos séculos vindouros do que nos séculos anteriores?

E se os futuros santos estão em maior número ou são encontrados em menor número do que os santos do passado, como podemos prever por quanto tempo seu número será consumido?

Não é constante que, na vida da Igreja, haja tempos de esterilidade em que os santos são raros e tempos de fecundidade quando abundam?

Portanto, considerando a causa primordial do mundo, que nada mais é do que o mistério oculto da predestinação, ninguém pode concluir que o fim do mundo está próximo ou distante.

Porém, Jesus Cristo nos ensina que este grande dia é um segredo que Deus reservou para si nos conselhos de seu poder:

“Respondeu-lhes ele: ‘Não vos pertence a vós saber os tempos nem os momentos que o Pai fixou em seu poder’” (Atos dos Apóstolos, 1, 7)  tempora et momenta quœ Pater posuit in sua potestate.

Ele escapa a todas as nossas predições até a hora de sua realização, porém, a fim de nos proteger contra o descuido e a falsa segurança, nunca deixa de lembrar aos homens,

em primeiro lugar que o fim do mundo é certo;

em segundo lugar, que está relativamente próximo;

em terceiro lugar, que não acontecerá antes de terem sido produzidos, não sinais comuns e gerais como foi realizado em todos os tempos, mas sinais específicos e especiais que ele nos indicou claramente .

Esses sinais não são apenas calamidades e revoluções nas estrelas, mas acontecimentos de caráter público, relativos tanto à ordem religiosa quanto à social, e sobre os quais a humanidade não pode se enganar.



Do fim do mundo e dos sinais que será precedido
e das circunstâncias que o acompanharão


Está escrito que no final dos tempos o Evangelho terá sido dado como testemunho a todas as nações.

“Todos os povos”, exclamou Davi, “todos os povos até os confins da terra, se lembrarão do Senhor e voltarão para ele, pois o Senhor é o império e Ele governará as nações” (Salmo XXI).

O profeta Davi anunciou nos salmos que antes do fim do mundo, as nações todas se converterão
O profeta Davi anunciou nos salmos que antes do fim do mundo,
as nações todas se converterão.
Iluminura University of California-Berkeley 131
Além disso, Davi diz mais: “Seu governo se estenderá de mar a mar, e do rio até os confins da terra; os habitantes da Etiópia se prostrarão diante dEle, os reis da Arábia e de Sabá trarão seus presentes a Ele” (Salmo LXXI, 8).

O Senhor então se dirige à Igreja por meio de Isaías: “Estendam o cerco de seus pavilhões, desenvolvam as velas de suas tendas, não poupem nada, alonguem suas cordas, fortaleçam suas estacas. Pois tu penetrarás à direita e à esquerda, tua semente herdará as nações e encherá as cidades da terra” (Isaías, LIV, 2).

Esses textos são formais, precisos e, a partir de seu testemunho, é claro que chegará um tempo em que todas as heresias, todos os cismas serão destruídos, e a religião verdadeira será unanimemente conhecida e praticada em todos os lugares onde o sol brilhar.

Certamente, essa unidade não será alcançada sem dificuldade.

A humanidade não chegará a esta idade de ouro por caminhos semeados de rosas: todos os alicerces da Igreja estão cimentados com o sangue dos mártires misturado com o suor dos apóstolos.

Portanto, devemos esperar lutas ferozes e resistência.

Haverá derramamento de sangue; o espírito das trevas acumulará novamente suas seduções e sua astúcia; perseguições mais terríveis podem ser previstas para a Igreja do que aquelas que tem suportado até agora.

Mas, por outro lado, é preciso aprender a pesquisar os pensamentos de Deus e a ler os decretos de seu poder.

Todas as invenções admiráveis dos tempos modernos têm seu fim providencial.

Hoje em dia, Deus teria revelado os segredos e tesouros escondidos da criação ao homem, teria ele colocado todos esses instrumentos maravilhosos como o vapor, magnetismo, eletricidade, em suas mãos com o único propósito de fornecer novo alimento para seu orgulho, de ser os escravos dóceis de seu egoísmo e ganância?

Não era esse o pensamento que Ele expressava por meio da voz do profeta, quando disse: “Vou dar asas à minha palavra, atrelar o fogo às minhas carruagens, agarrar os meus apóstolos como num redemoinho e levá-los para dentro uma piscadela no meio das nações bárbaras”.

Aproxima-se o tempo em que Jesus Cristo triunfará completamente.
Rei Davi, vitral da catedral de Edinburgo.
Aproxima-se, pois, o tempo em que Jesus Cristo obterá um triunfo completo e em que, em toda a verdade, poderá ser chamado o Deus da terra: Deus omnis terræ vocabitur.

Na atualidade, muitos são os sinais que apontam para uma grande vitória do Cristianismo.

Nossos inimigos não têm um pressentimento disso?

Um instinto secreto não os adverte de que os dias de sua força estão contados e que o tempo em que é dado a eles prevalecer não pode ser longo?

É por isso que na guerra ímpia que fazem à Igreja eles engajam toda a corrupção hedionda, todas as hipocrisias impacientes para tirar sua máscara, todas as ciências hostis, todas as políticas sombrias e ateístas.

A Revolução ergue ousadamente sua bandeira contra a religião, a propriedade, a família, ela mina as bases do edifício social e lança seus ataques contra nós simultaneamente e em todos os pontos.

A imprensa, livre de qualquer restrição, inocula, por seus mil órgãos, as doutrinas mais subversivas e os venenos mais mortais.

O dez vezes secular trono da Santa Sé, atacado com infernal audácia, apontado como uma instituição de ignorância e obscurantismo, manchando-se em meio aos esplendores de nossa civilização, sucumbiu a esta multidão de esforços combinados; ele desabou de cima a baixo, sem falar humanamente, podemos alimentar a esperança de que em breve ele poderá se levantar novamente.

É compreensível que, em tal situação, os sábios se sintam irresolutos em seus conselhos e que sua coragem e firmeza pareçam vacilar.

Podemos imaginar que por entre essas nuvens e sob esses horizontes conturbados, eles vislumbram perspectivas sombrias e que nos anunciam um surto de crimes, guerras e revoltas terríveis.

Mas o que nos dá esperança para uma nova era gloriosa para a Igreja é precisamente a incrível, ousada e sempre ressurgente fúria de nossos inimigos.

Hoje o Cristianismo é atacado em toda parte: nas artes, nas ciências, na Igreja e no Estado, na Europa como também na Ásia, no velho e no novo mundo.

É um sinal seguro de que ele triunfará em todos os lugares.

São João Bosco também viu o triunfo do Papado
quando parecia destruído pelos inimigos.
Basílica Maria Auxiliatrice, Turim.
Quando? Deus sabe disso, mas o fato é certo.

O sangue dos mártires se torna semente de cristãos, a Igreja tem promessas imutáveis.

Ao deixar o Mar Vermelho, Ela entra na Terra Prometida.

A hora das trevas precede à da luz e do triunfo.

Após os ultrajes do Gólgota, Ela ouve as bênçãos e hosanas de libertação ressoando ao seu redor.

Então, não vamos desanimar. Vamos saudar o futuro próximo.

Neste momento, nossa pátria está em convulsões, dilacerada pela discórdia; sua fortuna e sua influência política se tornaram uma aposta contestada por ambições não realizadas e mediocridades vulgares.

Como o filho pródigo do Evangelho, Ela logo se lembrará da paz e da honra dos séculos de sua juventude; ela se livrará das correntes e da venda de sua ignomínia, haverá mais uma vez páginas brilhantes para escrever neste livro cujo título é: Gesta Dei per Francos.



Sinal certo do Fim do Mundo: a manifestação do Anticristo


Anticristo, detalhe de Luca-Signorelli  (1445 - 1523), basílica de Orvieto, estilizado por Stephen M. Miller
Anticristo, detalhe de Luca-Signorelli  (1445 - 1523),
basílica de Orvieto, estilizado por Stephen M. Miller

Et tunc revelabitur ille iniquus, quem Dominus Jesus interficiet spiritu oris sui, et destruet illustratione adventus sui.

“Então, o tal ímpio se manifestará. Mas o Senhor Jesus o destruirá com o sopro de sua boca e o aniquilará com o resplendor da sua vinda”. (II Tessalonicenses, II, 8)

O mundo chegará ao fim. Esta é uma verdade demonstrada pela fé e pela razão.

O fim do mundo, e a última vinda do Filho de Deus que se seguirá, acontecerão de forma inesperada, com a velocidade de raios que rasgam as nuvens e disparam de leste a oeste.

Mas a data exata desse dia é um segredo escondido nas profundezas da orientação divina.

Não sabemos o dia ou a hora, e Jesus Cristo, Embaixador da Trindade na Terra, nos diz que recebeu ordem formal de não os revelar a nós.

Assim, todas as opiniões que pessoas eruditas e piedosas em vários momentos acreditaram que poderiam expressar sobre esta questão são apenas sentimentos pessoais e privados.

Trata-se de afirmações baseadas em dados puramente conjecturais, e das quais mais de uma vez os acontecimentos trouxeram à luz o erro e a futilidade.

Já no tempo de São Paulo, terrores tomavam conta das mentes.

São Cipriano, Tertuliano, considerando a fúria dos perseguidores e a violência desta guerra de extermínio perseguida excessivamente contra os cristãos, apontaram essas calamidades e todos esses horrores como prognóstico da proximidade do Juízo Final.

“O fim do mundo não está longe”, disse São João Crisóstomo; “Terremotos, o resfriamento da caridade, são como os precursores e presságios deste terrível evento”.

Todos sabem que na época da queda do Império Romano a dissolução social acompanhou esse grande cataclismo.

Mais tarde, no início do ano 1000 da era cristã, os povos acreditaram chegados os tempos preditos do colapso das instituições, e eles achavam ver o prelúdio da destruição final.

Os sectários iluminados e falsos interpretaram as palavras do Evangelho de São Mateus em um sentido bruto e literal.

Convencidos de que a ruína do mundo adviria perto da ruína de Jerusalém, eles se entregaram a predições desordenadas e excessivas, que encheram de terror as imaginações.

Desviavam os homens do cumprimento de seus deveres religiosos e civis, convidavam-nos a não se casar, a não construir, a se entregar a uma inércia surpreendente, enquanto aguardavam a catástrofe que os iria atingir.

O Anticristo sentado sobre a serpente Leviatã, Liber Floridus (por volta de 1120), p135
O Anticristo sentado sobre a serpente Leviatã,
Liber Floridus (por volta de 1120), p135
São Paulo considerou seu dever desiludir essas almas enganadas e desorientadas e disse-lhes:

“1. No que diz respeito à vinda de nosso Senhor Jesus Cristo e nossa reunião com ele, rogamos-vos, irmãos,

“2. não vos deixeis facilmente perturbar o espírito e alarmar-vos, nem por alguma pretensa revelação nem por palavra ou carta tidas como procedentes de nós e que vos afirmassem estar iminente o dia do Senhor.

“3. Ninguém de modo algum vos engane. Porque primeiro deve vir a apostasia, e deve manifestar-se o homem da iniquidade, o filho da perdição,

“4. o adversário, aquele que se levanta contra tudo o que é divino e sagrado, a ponto de tomar lugar no Templo de Deus, e apresentar-se como se fosse Deus.
(II Tessalonicenses, II, 1-4)

Eis, pois, um fato preciso, enunciado pelo Espírito Santo e que São Paulo anuncia com clareza, para dissipar os temores em que certas mentes se abandonaram e para ajudar os fiéis cristãos a acautelar-se contra os falsos sistemas e predições, incertos e perigosos.




O Anticristo será um homem de infame origem


O Anticristo. Igreja de Santa Maria em Frankfurt, Alemanha

O Anticristo. Igreja de Santa Maria em Frankfurt, Alemanha

O que emerge das palavras de São Paulo de modo certo e inegável – “primeiro deve manifestar-se o filho da perdição ... e apresentar-se como se fosse Deus” – é que antes do fim do mundo, aparecerá na terra um homem profundamente perverso (II Tessalonicenses, II, 3-4).

Esse será investido de um poder de alguma forma sobre-humano, que, se voltando contra Jesus Cristo, travará uma guerra ímpia e sem sentido contra Ele.

Pelo medo que este homem irá inspirar, e especialmente por seus artifícios, por seu gênio de sedução, ele conseguirá conquistar quase todo o universo, ele levantará altares para si mesmo, e obrigará todos os povos a adorá-lo.

Este homem estranho, excepcional por sua malícia, será de nossa raça, terá as feições de homem em seu rosto, será que o mesmo sangue nosso correrá nas veias deste corifeu do erro e da corrupção?

Ou, como alguns pretendem, ele será uma encarnação de Satanás, um demônio emanado do Inferno e disfarçado em forma humana?

Ou ainda, como outros Doutores argumentaram, esse ímpio é apenas um mito, um personagem alegórico em que as Sagradas Escrituras e os Padres queriam demonstrar um universo geral de tiranos e perseguidores; para destacar a imagem coletiva de todos os ímpios e todos os heresiarcas que lutaram contra Deus e contra sua Igreja desde o início dos tempos?

A besta do mar, figura do falso-profeta que se apossa do Papado e vira antipapa. Tapeçaria do Apocalipse, Angers, detalhe
A besta do mar (figura das potências pagãs segundo Holzhauser)
estará a serviço do anticristo que usurpa o Papado e vira antipapa.
Tapeçaria do Apocalipse, Angers, detalhe
Essas várias interpretações não podem ser conciliadas com o texto positivo e preciso dos Livros Sagrados.

Quase todos os Doutores e Padres, Santo Agostinho, São Jerônimo, Santo Tomás, afirmam claramente que este malfeitor de proporções terríveis, este colosso de impiedade e depravação será um sujeito humano.

O erudito São Roberto Belarmino demonstra que é impossível dar outro sentido às palavras de São Paulo e de Daniel, cap. XI, V, 36 e 37.

São Paulo designa este grande adversário substantivamente, chamando-o de homem:

“o homem do pecado, o filho da perdição”.


Daniel nos ensina que atacará tudo o que é respeitável e sagrado, que se exaltará com coragem contra o Deus dos deuses e considerará o Deus de seus Pais como nada: “Et Deum patrum suorum non reputabit”. (“Não respeitará nem os deuses de seus antepassados, (...) ele se julgará superior a todos” Daniel, 11, 37)

O Apóstolo acrescenta que Jesus Cristo o matará ...

Todos esses traços obviamente não podem ser aplicados a um ser ideal e abstrato; eles só podem se adequar a um indivíduo de carne e osso, um caráter real e determinado.

Os Padres e Doutores começaram a pesquisar as origens do Anticristo, para descobrir de quais pais e de qual raça ele virá.

A universalidade deles sente que ele nascerá de pais judeus afastados dos filhos de Jacó, e muitos afirmam que ele será da tribo de Dan.

Esta é a sua interpretação desta passagem de Gênesis, cap. XLIX:

“Deixe Dan se tornar uma cobra no caminho, um escorpião no caminho”.

E a este outro de Jeremias, cap. VIII: “De Dan ouvimos o estremecimento dos mensageiros”.

Eles presumem que São João em seu Apocalipse deixou de mencionar a tribo de Dan em ódio ao Anticristo, mas todos esses dados são incertos.

O que parece positivo é que o Anticristo sairá da raça judaica de Israel.

Santo Ambrósio, em seus comentários à Epístola aos Tessalonicenses, diz que será circuncidado ...

Sulpício Severo, no livro II de seus Diálogos, diz que forçará todos os seus súditos a se submeterem à circuncisão.

Além disso, todos concordam em dizer que no início de seu reinado, ele conseguirá, por seus enganos e seu prestígio, fazer os judeus acreditarem que ele é o Messias que eles aguardam incessantemente, e que em sua cegueira, se apressarão em recebê-lo e honrá-lo como tal.

A festa das bruxas. Francisco de Goya (1746 —1828), Museu Lázaro Galdiano, Madri.
Toda espécie de supersticiosos e incrédulos acreditarão no Anticristo.
A festa das bruxas. Francisco Goya (1746 -1828), Museu Lázaro Galdiano, Madri.
Esta é a interpretação que Suárez e a generalidade dos comentadores dão a esta palavra de Nosso Senhor Jesus Cristo em São João, cap. v, v. 43:

“Eu vim em nome de meu Pai, e vocês não me recebem; se outro vier em seu próprio nome, vocês o recebem”.

Devemos dar o mesmo significado a esta outra palavra de São Paulo para os Tessalonicenses:

“Por não quererem receber a verdade, Deus lhes enviará uma operação de erro para que acreditem na mentira”.

Agora, é provável que os judeus saudassem, como o Messias, um homem que não é de sua raça e que não terá sido circuncidado?

Então o Anticristo será judeu.

Ele vai nascer de uma união ilegítima?

O teólogo Suárez nos diz que isso é incerto.

No entanto, deve-se supor que um homem tão profundamente perverso, tão oposto a Cristo em sua vida e em seus costumes, terá uma origem infame.

E assim como Jesus Cristo teve a Virgem Imaculada por mãe, também podemos concluir por analogia e por indução que o seu adversário declarado nascerá de uma união impura e que será fruto de uma mulher impura.

“Ele será um filho da fornicação”, diz São João Damasceno, “e seu nascimento será imbuído da respiração e do espírito de Satanás”.

O que se pode dizer com certeza sobre esse homem de iniquidade é que desde seus mais tenros anos ele estará totalmente possuído pelo espírito e pela genialidade do demônio.


Anticristo: macaqueação de Cristo no Fim dos Tempos


Fará adorar sua imagem. Tapeçaria do Apocalipse, Angers, detalhe.
Fará adorar sua imagem.
Tapeçaria do Apocalipse, Angers, detalhe.
Nos últimos tempos da humanidade, nos segredos de sua Justiça, Deus terá desencadeado o Leão do abismo para punir a infidelidade dos homens, e o demônio se identificará de certo modo com o Anticristo, e lhe inoculará a plenitude de sua malícia.

Sem dúvida esse homem não carecerá da ajuda de seu bom anjo, nem com a ajuda necessária da graça suficiente, que Deus nesta vida concede a todo homem sem exceção.

Mas seu ódio contra Deus será tão violento, sua repulsa por toda boa obra tão invencível, suas relações e seus tratos com o espírito das trevas tão próximos e tão constantes, que, do berço até o último suspiro, ele permanecerá firmemente rebelde a todos os convites divinos e a graça do alto nunca terá acesso a seu coração.
Esta série de posts foi traduzida do livro "Fim do mundo presente e mistérios da vida futura" do Pe. Charles-Marie-Antoine Arminjon (1824-1885), edição do Office Central de Lisieux  Em linha
Santo Tomás nos diz que na sua pessoa e nas suas obras se manifestará como o antípoda do Filho de Deus e que será a paródia dos seus milagres e das suas obras.

O espírito maligno, desde a sua origem, só perseguiu um único objetivo: o de usurpar o lugar do Todo-poderoso, para constituir para si mesmo aqui abaixo um reino que o compensa pelo reino dos céus, do qual sua revolta o excluiu.

E para atingir esse objetivo com mais segurança, é costume, diz Tertuliano, fazer-se o macaco de Deus, falsificá-lo em todas as suas obras.

O adversário dos últimos tempos, portanto, não se apresentará apenas como o inimigo declarado e pessoal de Jesus Cristo.

Mas ele aspirará abertamente destroná-lo, suplantá-lo na homenagem e veneração dos homens, para receber a adoração e a glória que são devidas apenas ao Criador.

Ele afirmará, diz Santo Tomás, que é o Ser supremo e eterno e, como tal, receberá honras e um culto de latria.

Assim, terá sacerdotes, oferecerá sacrifícios, exigirá que seu nome seja invocado em juramentos e que os homens o utilizem para selar a fé dos tratados: Ita ut ostendens tanquam sit Deus.

Para melhor credenciar esta persuasão, ele irá opor suas falsas revelações às revelações divinas; seus rituais ímpios às cerimônias do culto divino; à Igreja Eterna fundada por Jesus Cristo, uma sociedade abominável da qual ele será o cabeça e o pontífice.

E da mesma forma, acrescenta Santo Tomás, que a plenitude da Divindade habita corporalmente no Verbo Encarnado, assim a plenitude de todo o mal habitará neste homem terrível, cuja missão e obras serão apenas uma cópia reversa e execrável, uma falsificação da missão e obras de Jesus Cristo.

Os homens adorarão a besta da Terra e a Besta do mar, Museo Paul Getty
Levará os homens a adorar as bestas da Terra e do Mar, Museu Paul Getty
Por meio dele Satanás selará sua impiedade.

Ele vai de certa forma quintessenciar neste tipo de vida todos os projetos sinistros que concebeu contra os homens, e que nunca deixou de inspirá-lo animado pelo ódio ardente e implacável contra Deus

E em seus conselhos ocultos, o Senhor do Céu permitirá que este tipo de Inferno prevaleça por um tempo.

Santo Tomás caracteriza este delegado de Satanás chamando-o de caput omnium malorum: o príncipe e o inspirador de todas as concupiscências da carne e de todos os delírios do espírito.

A tal ponto que os gênios da mentira e os artífices da vilania, que se sucederam em idades diferentes, aparecerão junto a este homem apenas como pigmeus para um gigante.

Assim, ele renovará as infâmias de Nero; ele será animado pelo ódio e violência de Diocleciano; ele terá a astúcia e duplicidade de Juliano, o Apóstata; ele recorrerá à intimidação e fará com que a terra se curve sob seu cetro, como Maomé; será letrado, filósofo, orador hábil, será eminente nas artes e nas ciências industriais, lidará com zombarias e risos como Voltaire.

As bestias da terra (nações cristãs renegadas) e do mar (nações pagãs) servirão ao Anticristo
As bestas da terra (nações cristãs renegadas) e do mar (nações pagãs) servirão ao Anticristo
Tapeçaria do Apocalipse, Angers.
Finalmente, ele fará maravilhas e se elevará no ar como o mágico Simon.

Se você perguntar por que a Providência Divina permitirá que ele exerça tanto poder e tal sedução, o apóstolo São Paulo nos dá a razão:

“Porque os homens não receberam o amor da verdade para serem salvos”.

Como castigo, Deus enviará a eles um espírito que tornará eficaz o erro, para que creiam no erro, para que sejam condenados todos aqueles que não acreditaram na verdade, mas se divertiram na injustiça. 




Prodígios para seduzir os homens


A besta de sete cabeças e 10 chifres ou coroas. Ottheinrich-Bibel 11, Bayerische Staatsbibliothek, Cgm 8010, Folio295r_Rev12
A besta de sete cabeças e 10 chifres ou coroas.
Ottheinrich-Bibel 11, Bayerische Staatsbibliothek, Cgm 8010, Folio295r_Rev12
Suárez disse que Deus permitirá o advento do Anticristo, especialmente para punir a descrença dos judeus, o povo da antiga aliança.

Estes, não tendo querido adorar o verdadeiro Messias, nem ser convencidos por sua doutrina e por seus milagres, Deus permitirá para punição deles que se liguem a um falso messias, que deem fé às suas impiedades e à sua doutrina e que eles se tornem imitadores de sua vida dissoluta.

Nesta hora, o perigo das almas será grande e o contágio do escândalo será universal.

No entanto, para que os surpreendidos não atribuam a si próprios o seu infortúnio, o Espírito Santo quis delinear-nos de antemão as principais fases dessa terrível e decisiva prova, o desfecho de todas aquelas que o a humanidade terá sofrido.

Em primeiro lugar, para nos revelar a violência e a ferocidade do homem do pecado, a habilidade com que conduzirá a guerra que empreendeu contra os santos.

O apóstolo São João, em Apocalipse, cap. XIII, nós o retrata como uma besta monstruosa, com dez chifres ou dez diademas em sua testa, e em cada um desses diademas está escrito um nome de blasfêmia.

Segundo os intérpretes, essas dez cabeças e esses dez diademas expressam dez reis tributários, que serão seus tenentes e executores de suas artimanhas e crueldades.

Além disso, São João nos diz que será investido de absoluta soberania, que seu poder se estenderá a todas as tribos e todos os povos, aos homens de todas as nações e línguas.

Ao mesmo tempo que ele conseguirá derrotar os santos perseguindo-os excessivamente, ele abrirá uma carreira para todas as licenças, e haverá liberdade apenas para o mal.

Fará prodígios que seduzirão os homens. Tapeçaria do Apocalipse, Angers
Fará prodígios que seduzirão os homens. Tapeçaria do Apocalipse, Angers
Finalmente, ele será versado nas ciências ocultas e nas artes da magia e, por intermédio de demônios, fará obras maravilhosas, que os homens enganados considerarão verdadeiros milagres.

O primeiro desses milagres citados por São João será uma aparente ressurreição.

Em uma daquelas guerras em que o Anticristo aparecerá montado em uma carruagem de luz e fogo, ele será atingido na cabeça com um ferimento mortal.

Por um tempo, o veremos sem vida e como se estivesse morto.

Então, de repente, ele se levantará e sua ferida será curada instantaneamente.

Neste espetáculo, os homens seduzidos, os incrédulos e as mentes fortes desta época, que como aqueles de nossos dias não tendo fé no sobrenatural e nas verdades reveladas, rejeitarão desdenhosamente o milagre, como irreparavelmente condenado pela ciência e pela razão; esses homens, eu digo, vão acreditar na farsa.

Eles gritarão com entusiasmo e admiração: “Quem é como a besta? Quem será capaz de lutar e derrotar a besta?”

Em segundo lugar, o homem do pecado fará descer fogo do céu, para fazer parecer que ele é o senhor da natureza, o regulador das estações, e que tem sob seu domínio o céu e as estrelas.

Fará descer fogo do céu, para parecer que é o senhor da natureza. Ottheinrich-Bibel, Bayerische Staatsbibliothek, Cgm 8010, Folio296r_Rev13
Fará descer fogo do céu, para parecer que é o senhor da natureza.
Ottheinrich-Bibel, Bayerische Staatsbibliothek, Cgm 8010, Folio296r_Rev13
Terceiro, ele fará uma estátua falar; os demônios usarão uma árvore ou madeira inanimada como instrumento, com a ajuda da qual desencadearão seus enganos e falsos oráculos.

Também veremos a mobília se mover e correr por conta própria, montanhas se moverem instantaneamente, multidões de demônios transfigurados em anjos de luz aparecerem no ar.

E então, por um julgamento incompreensível de Deus, os pensadores livres e os grandes céticos dos últimos séculos levarão a sério esses malabarismos e esses conjuros.

Tolos de sua presunção e credulidade, eles se entregarão de cabeça a todas as loucuras da necromancia e adivinhação, verificando na face do mundo o oráculo dos Livros Sagrados:

“Aqueles que se afastam da verdade, agarram-se ao espírito do erro e ao a doutrina dos demônios: attentes spiritibus erroris e doctrinis dœmoniorum” (“dando ouvidos a espíritos embusteiros e a doutrinas diabólicas”. (I Timóteo, 4) .

Finalmente, ainda está escrito, o orgulho do homem do pecado não terá mais limites.

Ele abrirá sua boca em blasfêmias contra Deus, para blasfemar seu nome, seu tabernáculo e os santos que estão no céu.

“Ele acreditará que é certo”, disse Daniel, “suprimir os tempos e a lei” e putabit quod possit mutare tempora et leges (“formará o projeto de mudar os tempos e a Lei”) (Daniel, 7, 25).

Isto é, irá abolir as festas e o descanso dominical, irá modificar a ordem dos meses, a duração e a divisão das semanas, irá apagar os nomes de batismo do calendário, para substituí-los pelo emblema dos animais mais vis.

Em uma palavra, esta falsificação de Cristo será ateísta de acordo com toda a força desta expressão. 


Os fiéis perseguidos pelo Anticristo


Perseguições do Anticristo. Tapeçaria do Apocalipse, Angers, detalhe
Perseguições do Anticristo.
Tapeçaria do Apocalipse, Angers, detalhe
Ele fará desaparecer a cruz e todos os símbolos religiosos. Como Daniel ainda afirma, ele substituirá os sacrifícios cristãos em todos os ritos por abominações que fará nos templos.

Os púlpitos sagrados ficarão silenciosos; o ensino e a educação serão laicos, obrigatórios e sem Deus.

Jesus Cristo será proscrito desde o berço da criança, será banido no altar onde os esposos se unem, da cabeceira dos moribundos.

Em toda a terra, não tolerará adorar qualquer deus que não seja o falso Cristo de Satanás.

Deus, em seus desígnios impenetráveis, permitirá que os homens passem por esta prova suprema e terrível, a fim de lhes ensinar quão grande é o poder do demônio e quão extrema é a fraqueza humana.

Ele quis anunciá-lo, para que nós nos preparemos desde o primeiro momento recorrendo a Ele com a oração e munindo-nos com as armas espirituais da caridade e da fé.

Além disso, o Anticristo acabará trazendo à tona e fazendo se manifestar vividamente a fidelidade e a firmeza daqueles cujos nomes estão escritos no Livro da Vida e a quem toda a sua violência e seus artifícios combinados não conseguirão abalar.

Por outro lado, é certo que essa formidável perseverança será um princípio de ruína e a espada do grande discernimento: ut revelentur ex multis cordibus cogitationes. (“a fim de serem revelados os pensamentos de muitos corações” Lucas, 2,35)

Os fiéis verdadeiros lutarão contra as potências do mal. Tapeçaria do Apocalipse, Angers
Os fiéis verdadeiros lutarão contra as potências do mal. Tapeçaria do Apocalipse, Angers
As apostasias serão numerosas e a coragem escasseará.

Está escrito que as virtudes dos céus serão abaladas e as estrelas do céu cairão.

Em outras palavras, veremos os líderes dos povos ajoelhando-se diante do ídolo reinante.

E, o que é ainda mais angustiante, é que, entre os dispensadores da ciência, as estrelas da teologia, as bocas de sagrada eloquência, muitos abandonarão a verdade e serão levados pela correnteza da depravação.

São João ainda fala de um signo estranho e misterioso que todos “jovens e velhos, ricos e pobres, livres e escravos” serão obrigados a carregar nas mãos ou na testa.

Este sinal será um sinal de apostasia, testificará que todos aqueles que se dotaram dele, seja para agradar o mestre ou para escapar de sua fúria, negaram o verdadeiro Cristo e se inscreveram para sempre sob a bandeira de seu inimigo.

Aqueles que carregam este sinal infame irão desfrutar das vantagens da fortuna em abundância; eles terão os altos salários, os empregos públicos, a profusão de prazeres e todos os bens desejáveis.

Mas aqueles que se recusarem a se marcar com este selo de abominação serão proscritos.

Está escrito que “Ninguém poderá vender ou comprar a menos que tenha o caráter ou o nome da besta ou o número de seu nome sobre si.

“Quem não tiver esta marca será proibido de sacar em fontes públicas, será mesmo indigno de abrir os olhos para a luz e respirar o ar puro dos céus”.

A desolação será grande “como nunca foi desde o início do mundo até agora, e nunca será”.

Os poderosos civis e eclesiásticos se ajoelharão ante a bestiaa, catedral de York
Os poderosos civis e eclesiásticos se ajoelharão ante a bestia.
Vitral da catedral de York (York Munster)
Os justos serão odiados, desprezados; eles serão chamados de tolos, perturbadores da paz pública
; eles serão acusados de atropelar a honra e o patriotismo, por se recusarem a aclamar o maior homem que apareceu no mundo, o gênio incomparável que terá elevado a civilização humana ao apogeu da perfeição e progresso.

Se os justos não fossem amparados por uma assistência especial de Deus, não haveria ninguém que pudesse resistir à violência de tal tentação: Ita ut in errorem inducantur (si fieri potest) etiam electi (“se levantarão falsos cristos e falsos profetas, que farão milagres a ponto de seduzir, se isso fosse possível, até mesmo os escolhidos”, São Mateus, 24, 24).

Nos dias nefastos da grande Revolução Francesa ainda havia asilos, locais de segurança abertos para condenados e proscritos.

O campo era saudável; havia florestas impenetráveis, estradas secretas e tortuosas.

Mas quando no tempo que descrevemos a ciência e a descoberta humana terá atingido seu auge, o globo estará entrelaçado com fios telegráficos e ferrovias.

Todas as montanhas terão sido perfuradas.

Não haverá mais rochas, nem cavernas, nem ilhas ou desertos, onde a liberdade possa procurar um refúgio.

O próprio lar doméstico não será mais um lugar seguro: pois se diz “que o irmão trairá seu irmão e que o amigo denunciará seu amigo”. (“O irmão entregará à morte o irmão, e o pai, o filho; e os filhos irão insurgir-se contra os pais e lhes darão a morte” São Marcos, 13, 12).




Número e nome revelarão o Anticristo


Profeta Daniel: “a abominação da desolação reinará no lugar santo”
Quando nos revelam o futuro, não é costume dos Livros Sagrados entrar em detalhes em extremo precisos e minuciosos.

Os profetas falam conosco de forma enigmática e abreviada.

Em via de regra eles se limitam a nos dar um esboço dos eventos futuros.

Mas na luta derradeira travada contra os santos, os apóstolos inspirados colocaram em prática a máxima: mala prœvisa minus feriunt (os males quando previstos fazem menos mal), e eles não omitirão nada que possa fortalecer os justos durante esses dias de provação e de grande calamidade.

Assim, eles nos ensinam que nesse momento o Oriente voltará a ser o centro da política e dos assuntos humanos.

Esta série de posts foi traduzida do livro "Fim do mundo presente e mistérios da vida futura" do Pe. Charles-Marie-Antoine Arminjon (1824-1885), edição do Office Central de Lisieux  Em linha
Que o impostor possuído pela mania e pela cega raiva de profanar os lugares mais sagrados que foram o teatro dos trabalhos e sofrimentos do Homem Deus, erguerá sua realeza em Jerusalém.

Mas nos dizem para consolo nosso que Deus encurtará a duração de seu poder, que o limitará a quarenta e dois meses, três anos e meio, menses quadraginta duos.

Sem dúvida, o número declarado nos Livros Sagrados não expressa a extensão de tempo que o homem do pecado levará para conquistar a terra e alcançar o ápice de seu poder onipotente.

Não podemos razoavelmente supor que, apesar das forças satânicas e sobre-humanas com as quais será investido, ele pode em um dia tornar-se senhor do mundo.

Acredita-se que ele obterá a plenitude de sua soberania apenas gradualmente, que demorará mais ou menos tempo para subjugar os povos e entrelaçar todo o universo na rede escura de seus truques e de suas seduções.

Tudo o que São João e Daniel nos ensinam é que seu domínio sobre os homens “de todas as raças, de todas as tribos, de todas as línguas subsistirá” usque ad tempus, et tempora et dimidium temporis, isto é, um ano, mais dois anos e meio ano.

Daniel, cap. XII, nos diz: “A partir do momento em que o sacrifício perpétuo cesse, e quando a abominação da desolação for vista em seu lugar, reinando no lugar santo, mil duzentos e sessenta dias se passarão”.

Abolirá o culto verdadeiro. BNF Français 403 Apocalypse, Salisbury England, 1275-6
Abolirá o culto verdadeiro.
BNF Français 403 Apocalypse, Salisbury England, 1275-6
Segue-se, portanto, que o momento em que Jesus Cristo deixará de estar presente em nossos altares e de se oferecer ali como vítima à justiça de seu Pai para contrabalançar os crimes dos homens deve ser contado a partir do dia em que o Anticristo obterá o domínio universal.

Só então o sacrifício incruento do altar deixará de ser celebrado; mas até esse dia e durante o tempo que o Anticristo levará para conquistar sua monarquia, o sacrifício da missa continuará a existir.

São João ainda designa o nome do Anticristo; mas ele achou por bem nos dizer apenas em código.

Sabe-se que em várias línguas as figuras podem ser traduzidas em caracteres alfabéticos e, inversamente, as letras alfabéticas em caracteres cifrados.

São João, portanto, diz-nos numa linguagem que não nos deixa saber, o nome da besta é expresso pelo número 666.

Os Padres e Doutores estudaram para entender a chave desse número e para descobrir o nome escondido sob esse número misterioso, mas sua pesquisa não teve sucesso.

Pode-se imaginar uma infinidade de nomes diferentes cujas letras, segundo sua justaposição, exprimem o número indicado por São João.

Imprimirá uma marca misteriosa em seus seguidores
Imprimirá uma marca misteriosa em seus seguidores
Devemos nos ater ao sentimento de Santo Irineu que nos assegura que o Espírito Santo nos propôs o nome do Anticristo, sob a fórmula desse número enigmático, porque ele queria que seu verdadeiro significado permanecesse desconhecido até o advento de sua profecia, no dia em que será útil para os homens que o Anticristo seja indicado a eles.

“Então”, disse São João, “aqueles que receberam entendimento não estarão mais sujeitos a mal-entendidos, e para reconhecer a besta eles terão apenas que contar o número de seu nome. Qui habet intellectum computat numerum Bestiœ”.

Mas Deus, diz São Paulo, é fiel, fez um pacto com a tentação e não permite que o homem seja tentado além de suas forças.

Aqui, a tentação excederá as condições normais e as leis da humanidade.



Elias e Enoque paladinos de Deus contra o filho do pecado


Elias e Enoque, Apocalipse de Berry
Elias e Enoque, Apocalipse de Berry
É digno da misericórdia de Deus que o remédio seja proporcionado à dimensão do mal.

Ora, a ajuda anunciada é a mais sobre-humana, a mais extraordinária, a mais fora das regras da história e do curso ordinário da Providência, de todas aquelas que o Céu enviou aos homens desde a Encarnação.

Quando a tempestade for mais violenta, quando a Igreja ficar sem piloto, quando o sacrifício incruento tiver cessado em todos os lugares, quando tudo parecer humanamente desesperador, diz São João, veremos aparecer duas testemunhas.

Estas duas testemunhas serão dois estrangeiros, surgindo repentinamente no meio do mundo, sem que ninguém possa dizer qual é o seu nascimento, a sua origem, de que lugar ou de que família vieram.

Assim fala São João no capítulo onze do Apocalipse: “E darei o meu espírito e a minha força às minhas duas testemunhas, e profetizarão durante mil duzentos e sessenta dias, vestidas de saco.

Santo Elias e Enoque, Apocalipse do duque de Berry, facsímil
Santo Elias e Enoque, Apocalipse do duque de Berry, facsímil
“São duas oliveiras e dois castiçais na presença do Senhor da terra”.

Nenhuma linguagem pode expressar o espanto que tomará conta dos homens ao ver estes dois homens alheios às nossas paixões e aos nossos negócios.

Um terá vivido seis mil anos, o outro trinta séculos, em não sei que região etérea, sob firmamentos e em esferas inacessíveis aos nossos sentidos e a nosso entendimento.

No entanto, nenhuma dessas testemunhas é estranha à família humana.


Uma dessas duas tochas e duas oliveiras é Enoque, o bisavô de Noé, o ancestral direto de toda a humanidade.

O outro é o profeta Elias, que, como disse o Salvador, está destinado a restaurar todas as coisas.

Ele vem uma segunda vez para conter a maré de impiedade, mais impetuosa e opressora do que nos dias do rei Acabe (entre 874 e 853 a.C).

É também a hora da redenção de Israel.

O grande profeta convencerá os descendentes de Abraão da vinda do Messias, removerá a venda da ignorância e das trevas que pesou sobre seus olhos por dezenove séculos.

Qual será o exterior e a atitude desses fantasmas de outra época?

Que antiga majestade brilhará em sua pessoa?

Que acentos inspirados sairão de seus lábios?

Isso é o que a Sagrada Escritura não nos diz.

As duas tesemunhas invectivarão o Anticristo, Ottheinrich-Bibel 23,Bayerische Staatsbibliothek, Cgm 8010.
As duas testemunhas increparão o Anticristo,
Ottheinrich-Bibel 23,Bayerische Staatsbibliothek, Cgm 8010.
Ela nos ensina que eles profetizarão por mil duzentos e sessenta dias, vestidos de saco, trazendo nas roupas e no rosto a imagem da humildade e da penitência.

De acordo com Daniel, a duração da perseguição ao Anticristo será de mil duzentos e noventa dias.

Portanto, a pregação de Enoque e Elias será trinta dias mais curta.

Daí decorre que eles aparecerão em uma época em que a perseguição será desencadeada com mais violência.

Como, no espaço de tempo em que sua missão será limitada, eles conseguirão prestar seu testemunho em todos os lugares habitados e viajar por toda a terra?

Respondemos que não é necessário que visitem todas as cidades; basta que apareçam nas principais, que façam seus sermões ouvidos nas capitais e grandes centros populacionais, onde o Anticristo terá estado presente, e onde terá exercido um fascínio mais formidável.

Além disso, não é provável que Enoque e Elias estejam constantemente reunidos.

É mais provável que preguem separadamente, até que por ordem de Deus, ou pelo efeito de uma inspiração providencial, eles de repente se encontram unidos para a luta suprema.

Sem dúvida, em princípio, os homens incrédulos se recusarão a admitir sua identidade.

O Anticristo matará as duas testemunhas. MS. LUDWIG III 1 (Getty museum) - Dyson Perrins Apocalypse
O Anticristo matará as duas testemunhas.
MS. LUDWIG III 1 (Getty museum) - Dyson Perrins Apocalypse
Eles procurarão prendê-los, castigá-los como embusteiros e falsos visionários; a opinião pública os menosprezará com traços satíricos e desdém, os grandes jornais persistirão em não os mencionar e afetarão não os conhecer.

O perseguidor, espumando de raiva, tentará matá-los.

Mas enquanto sua missão durar, eles serão protegidos por uma força superior; pois assim diz São João, capítulo XI, versículo 5:

“E, quando alguém quiser fazer mal a eles, sairá de sua boca fogo que devorará seus inimigos; e se alguém os ofender, será morto”.

“Esses homens terão a missão de fechar o céu, para que não chova durante o período de sua profecia, e eles terão poder sobre as águas para transformá-las em sangue, e também terão o poder de golpear todo local de terra quantas vezes eles quiserem”.

O Evangelho não é tão específico quanto ao sucesso e eficácia da missão dessas duas grandes testemunhas; mas podemos presumir que eles irão desiludir a multidão dos homens ludibriados

Os homens comemorarão a morte dos enviados de Deus. Bibliothèque municipale de Toulouse
Os homens comemorarão a morte dos enviados de Deus.
Bibliothèque municipale de Toulouse
E que trarão de volta a maioria daqueles que por medo ou ambição se afastaram da adoração do Deus verdadeiro.

Sua pregação deve ter um poder que nenhuma outra palavra desde a palavra do Evangelho terá.

Porque superará a obstinação dos homens, judeus ou pagãos, que, cedendo ao esplendor das maravilhas, sob a liderança do Pastor dos pastores, virão formar com os cristãos um só rebanho e nada mais que um rebanho.

No entanto, Deus só dá Suas graças com mesura.

Quando a luz for derramada, quando os homens tiverem tido tempo integral para discernir a verdade do erro, então Deus em sua sabedoria suspenderá o milagre ...

Esta é uma lei constante da Providência.

Tendo transcorrido um longo tempo em que os filisteus foram humilhados e derrotados por Sansão, Deus lhe tirou seu espírito e a tremenda força com que o havia investido.

O céu novamente procedeu da mesma maneira em relação a Joana d'Arc; uma vez que sua missão foi cumprida, quando ela derrotou os ingleses e recolocou a coroa na testa de Carlos VII, seu gênio e habilidade guerreira pareceram enfraquecer; ela foi feita cativa e voltou às condições comuns da vida humana.

Assim deve ser com Enoque e Elias.

Além disso, sendo prolongado, o milagre não teria outro efeito senão confirmar na sua dureza os obstinados que se recusaram a emprestar à sua palavra um ouvido e um coração dócil.

Os homens comemorarão a morte dos enviados de Deus. Mas eles ressuscitarão para espanto universal. Tapeçaria do Apocalipse, Angers
Mas eles ressuscitarão para espanto universal. Tapeçaria do Apocalipse, Angers
Por fim, as duas testemunhas, embora idosas, uma de seis mil, a outra de três mil anos, não estarão mortas, e é importante que selem seu depoimento pelo derramamento de seu sangue, e que elas estejam sujeitas à lei da natureza humana da qual o próprio Cristo não quis ser libertado.

Ora, é o que vai acontecer, diz São João, no capítulo já citado:

“E, quando acabarem o seu testemunho, a besta que sobe das profundezas lhes fará guerra e matará.

“E seus corpos jazerão nas praças da grande cidade, espiritualmente chamada odoma, onde seu Senhor foi crucificado.

“E homens, tribos e povos os verão por três dias e meio, e eles não permitirão que seus corpos sejam colocados na tumba.

“E os habitantes da terra se regozijarão com sua sorte, e farão festas por ela, e enviarão presentes uns aos outros, porque esses dois profetas atormentavam aqueles que habitavam na terra.

“Mas depois de três dias e meio dia, o espírito de Deus voltará para eles.

“E eles se levantarão, e grande temor se apoderará daqueles que os virem.

“E naquela mesma hora haverá um grande terremoto, e a décima parte da cidade cairá, sete mil homens morrerão no terremoto, e os demais ficarão temerosos e darão glória ao verdadeiro Deus”.

Jesus volta à Terra para fulminar o Anticristo, Exeter College chapel, Oxford
Jesus volta à Terra para fulminar o Anticristo,
Exeter College chapel, Oxford
São João não nos diz qual será o destino do Anticristo, mas São Paulo nos ensina “que o Senhor Jesus o matará com o sopro de sua boca e o destruirá com o brilho de sua vinda”.

Muitos concluíram desta passagem que Jesus Cristo deve descer em pessoa para derrubar seu grande adversário, e que esse será o dia em que Ele aparecerá em sua glória e em sua majestade.

Mas essa interpretação não é muito exata.

Santo Tomás, São João Crisóstomo explicam as palavras quem Dominus Jesus destruet illustratione adventus sui, no sentido de que Jesus Cristo atingirá o Anticristo deslumbrando-o com um esplendor que será como um presságio e um sinal de seu segundo advento.

São Paulo não nos diz que Jesus Cristo o matará com suas próprias mãos, mas com seu sopro, spiritu oris sui, isto é, como explica Santo Tomás, em virtude de seu poder, pelo efeito de seu comando.

Seja como querem alguns, que use para executá-lo o auxílio do Arcanjo São Miguel, seja que empregue qualquer outro agente visível ou invisível, espiritual ou inanimado.




Cristo jogará Satanás e o Anticristo no inferno


Jesus precipita Satanás e seguidores ao inferno. Tapeçaria do Apocalipse, Angers
Jesus precipita Satanás e seguidores ao inferno. Tapeçaria do Apocalipse, Angers
O certo é que em um instante, Satanás será empurrado de volta para as trevas do abismo, o reino dos ímpios será completamente destruído, e seu poder, que aspirava subir às estrelas, terá desaparecido como uma nuvem de fumaça.

A ressurreição dos corpos e o julgamento final seguirão de perto esse grande evento?

A Sagrada Escritura silencia sobre este ponto, a Igreja nada quis definir.

Esta série de posts foi traduzida do livro "Fim do mundo presente e mistérios da vida futura" do Pe. Charles-Marie-Antoine Arminjon (1824-1885), edição do Office Central de Lisieux  Em linha
Entre os intérpretes dos Livros Sagrados, alguns o afirmam, outros o negam.

Suárez sente que após a morte do Anticristo, o mundo existirá apenas por quarenta e cinco dias.

Baseia sua opinião na profecia de Daniel que, após anunciar que a perseguição do homem do pecado durará mil duzentos e noventa dias, acrescenta estas palavras:

Beatus qui exespectat et pervenit usque ad dies 1335. “Bendito seja ele quem terá esperança e quem chegará até mil trezentos e trinta e cinco dias”.

Mas essa opinião não parece a mais certa.

O sentimento mais acreditado e que mais parece em conformidade com as Sagradas Escrituras é que após a queda do Anticristo, a Igreja Católica entrará novamente em uma era de prosperidade e triunfo.

Com efeito, São Paulo, o apóstolo inspirado, o de todos os filhos de Israel que viu o mais claro no futuro e nos destinos do seu povo, parece afirmar com clareza esta doutrina.

Refazendo os efeitos de graça e bênção trazidos pela conversão dos filhos judeus de Israel, que, de acordo com o profeta Malaquias, não serão revividos para a verdade a menos que sejam iluminados pela predicação de Enoque e Elias, ele exclama tomado por um transporte sagrado:

“Se a queda dos judeus ao obter a conversão dos pagãos foi a força da Igreja e a riqueza do mundo, quanto mais a sua ressurreição enriquecerá o mundo, e se a sua perda se tornou a salvação dos homens, qual será o seu retorno senão uma ressurreição para o mundo da morte para a vida?”

Estas palavras são formais e não parecem suscitar dúvidas.

São Miguel e os anjos derrotam as bestas. Tapeçaria do Apocalipse, Angers
São Miguel e os anjos derrotam as bestas. Tapeçaria do Apocalipse, Angers
Eles concordam com as de São João (Apocalipse, cap. XV, vers. 2): “E eu vi”, disse ele, “aqueles que venceram a besta e sua imagem; eles cantaram a canção de Moisés e a canção do Cordeiro”.

Em outras palavras, os cristãos e o remanescente dos judeus de Israel terão um só espírito, uma só fé, dirigirão ao Filho de Deus os mesmos louvores e as mesmas bênçãos, e proclamara sua gloria juntos, dizendo:

“Vossas obras são grandes e admiráveis, ó Senhor Todo-Poderoso!” Ó Rei dos séculos, vossos caminhos são justos e verdadeiros!”

Podemos acreditar, de fato, que o dia em que todos os povos se unirem neste tão desejado acordo será o dia em que os céus passarão com estrondo, que o tempo em que a Igreja militante entrar em sua plenitude coincidirá com o desastre final?

Jesus Cristo teria feito renascer a Igreja com todo o seu brilho e com todo o brilho de sua beleza, apenas para secar imediatamente as fontes de sua juventude e de sua fecundidade inesgotável?

Mas, embora seja permissível admitir que depois do Anticristo o fim do mundo ainda será adiado por vários séculos, o mesmo não pode ser dito da crise suprema que deve trazer a realização da grande unidade.

Pois, enquanto estudamos os sinais do tempo presente, os sintomas ameaçadores de nosso estado político e nossas revoluções, a marcha ascendente da impiedade correspondendo ao progresso da civilização e das descobertas na ordem material, não podemos deixar de prever a proximidade da vinda do homem do pecado e dos dias de desolação que Jesus Cristo nos predisse.


A globalização sob o Anticristo e seu trono em Jerusalém


Um império despótico sobre toda a humanidade
Um império despótico sobre toda a humanidade
As Sagradas Escrituras nos descrevem três características principais que sinalizarão o domínio do Anticristo.

Primeiro, ele será o imperador e governante absoluto do universo.

Em segundo lugar, sua capital será Jerusalém.

Terceiro, ele será astuto e violento, e a guerra que engajará contra os santos será travada acima de tudo pela astúcia e sedução.

Primeiro, o Anticristo governará o mundo.


É evidente que, na atualidade, todos os acontecimentos que se desenrolam têm por efeito preparar o ambiente social em que se exercerá o domínio do homem do pecado.

Por um lado, as ferrovias reduzirão as barreiras e removerão todas as distâncias.


O telégrafo permite que um déspota transmita suas ordens de um ponto do universo a outro com a impalpabilidade do pensamento.

Por outro lado, as pessoas das várias raças se fundirão.


O russo e o americano, o japonês e o chinês se encontram nos mesmos navios, se acotovelam e se cruzam em nossas grandes cidades, nos mercados públicos da Europa, Califórnia, África Equatorial.

Os povos remotos da Índia já estão adotando nossas invenções, estão construindo armas de fogo e começando a construir navios blindados e arsenais.

A China, aquele vasto império onde enxameia a população, onde os mares e os rios engolem a cada dia um enorme excedente de seres humanos, que seu solo tão rico e tão fértil já não pode alimentar, a China tem os seus mecânicos e engenheiros, está iniciada em nossa estratégia e em nosso progresso industrial.

Nossas guerras recentes não mostraram que o destino das batalhas reside sobretudo nas massas, e que nos exércitos, como nas arenas políticas, é a preponderância dos números, da lei mecânica e brutal, que decide o sucesso e ganha a vitória?

A interconexão universal assentará as bases do império universal, das invasões pagãs e da fusão espandongada dos povos. Gravura da abertura do Canal de Suez com "bênção" ecumênica.
A interconexão universal assentará as bases do império universal,
das invasões pagãs e da fusão espandongada dos povos.
Gravura da abertura do Canal de Suez com "bênção" ecumênica.
Podemos, portanto, prever a hora não muito distante em que esses milhões de bárbaros, que povoam o Leste e o Norte da Ásia, receberão mais soldados, mais munições, mais canhões de guerra do que todos os outros povos.

Podemos prever o dia em que, tendo adquirido plena consciência de seu número e de sua força, eles correrão em inúmeras hordas em nossa Europa amolecida e abandonada por Deus.

Haverá então invasões mais terríveis que as dos vândalos e dos hunos ...


As províncias serão saqueadas, os direitos violados, as pequenas nacionalidades destruídas e esmagadas como cinzas.

Então, haverá uma vasta aglomeração de todos os habitantes da terra, sob o cetro de um único governante que será o Anticristo ou um de seus predecessores imediatos.

Esse dia será de luto para a liberdade humana.


A unidade de todos os povos será reconstruída uma última vez a partir dos escombros de todas as nacionalidades abolidas.

Mas, quando isso for atingido, o império do mal terminará.


A Providência Divina flagelará o mundo submetendo-o de corpo e alma ao supremo corifeu das lojas maçônicas, a um mestre que terá em seu coração apenas ódio aos homens e desprezo a Deus.

Assim, quem está atento nos acontecimentos atuais, não pode repelir a convicção de que tudo se prepara para provocar um estado social onde o homem do pecado, condensando na sua pessoa todas as depravações e todas as falsas doutrinas do seu tempo, se instalará espontaneamente e sem esforço, como a tênia parasita naturalmente gerada por carne e órgãos gangrenados.




O cetro do dinheiro nas mãos do Anticristo


Judas e o dinheiro, Semana Santa em Úbeda, detalhe da confraría da Última Ceia.
Judas e o dinheiro, Semana Santa em Úbeda,
detalhe da confraria da Última Ceia.
Mas o que à primeira vista nenhuma pista parece sugerir e parece incompreensível, é que a sede de seu império seja Jerusalém.

Bem, é fácil ver isso, se a civilização materialista e ateísta, cujo pensamento livre e a imprensa irreligiosa nunca cessam de prever o pior que virá até nós.

Se alguma vez se inaugura no mundo, seu centro de ação e lar de seu poder público será Jerusalém.

Com efeito, quando a fé cristã tiver acabado de se extinguir nos corações, quando o prazer e o bem-estar se tornarem os deuses do dia e a preocupação exclusiva das almas, então a atividade humana terá apenas só uma meta:

o poder do Estado,

só uma mola e um único estímulo: a opinião pública,

só uma respiração e um motor, e esse estímulo, esse nervo, esse motor, será o ouro.


O dinheiro terá precedência sobre a religião e a moralidade, se tornará a base da política e a pedra angular de todas as instituições, os financistas serão pontífices e reis.


E as pessoas que têm mais ouro serão aquelas que nos governarão mais em breve.

Agora, aqui, depois de cinquenta séculos de existência, dezenove de desgraças, encontra-se um povo por toda a parte, espalhado por baixo de todos os céus, nas regiões mais distantes, mesclado com toda a família humana.

Esse povo ainda de pé, ainda em busca do seu Messias, sonhando com a reconstrução de seu templo, e apesar de todas as mudanças e de todos os solavancos, inabalável na sua homogeneidade e na prossecução do seu propósito.

Este povo, devemos fazer-lhe justiça, é ativo, sóbrio, trabalhador; se falamos disso, é de forma abstrata, exclusivamente do ponto de vista de seus destinos e de seu papel histórico e providencial.

Lamentaríamos que nossas palavras pudessem parecer um ultraje contra este povo de ancestrais gloriosos, que deu ao mundo Cristo, os Apóstolos, a Virgem Imaculada.

Não reconheceu seu verdadeiro Messias e procura um outro que trará sua desgraça. Cristo del Soberano Poder ante Caifás, Semana Santa, Sevilha
Não reconheceu seu verdadeiro Messias e procura um outro que trará sua desgraça.
Cristo del Soberano Poder ante Caifás, Semana Santa, Sevilha

Cristãos e filhos de Israel, estamos mais próximos uns dos outros do que imaginamos.

Como disse um famoso orador: o cristianismo é o judaísmo coroado, o judaísmo é um cristianismo que carece de coroa.

Porém, os fatos estão aí, e é impossível ao filósofo cristão passá-los em silêncio ou ocultá-los.

Ora, é improvável que, em condições sociais como as nossas, onde os acontecimentos mais terríveis e imprevistos surgem com a rapidez do vapor e do relâmpago, não se encontre um homem que, aproveita o caos em que as nossas revoluções nos terão lançado.

E que consegue fascinar as multidões, se faz senhor das mentes e dos corações, e ergue a bandeira da regeneração cosmopolita.

Lança então um grito de guerra ao qual todos os seus irmãos fazem eco e assim chega à conquista de um poder universal, de uma dominação prodigiosa de inteligências e corpos aceita pela universalidade dos povos perdidos e seduzidos?

Finalmente, não é permitido acreditar que este homem poderoso e perverso envolverá o mundo nas garras de um despotismo sem nome e incomensurável?

Que unificará a humanidade pela servidão das consciências e pela humilhação da coragem?

Não será esse o personagem retratado e previsto por São João como o Anticristo?

Será ele o homem que a Divina Providência desejará usar para desiludir Israel, que o terá saudado por um momento como seu Messias e seu rei?

 


No Fim do Mundo: torturas morais e refinamentos de maldade


Serão abertas as portas do inferno e Satanás sairá com todos os demonios. Tapeçaria do Apocalipse, Angers
Serão abertas as portas do inferno e Satanás sairá com todos os demônios.
Tapeçaria do Apocalipse, Angers
Finalmente, quais serão as características da perseguição do Anticristo?

Cornelius a Lapide, Suárez, de acordo com as Escrituras e os Padres, apontaram as características principais.

Em primeiro lugar, é quase certo que de todas as perseguições que a Igreja teve de suportar, a do Anticristo será a mais terrível e a mais violenta.

Primeiro, porque essa perseguição será geral e se estenderá por toda a terra.

Está escrito: “Eles se espalharam pela face da terra e cercaram o acampamento dos santos e a cidade amada”.

Santo Agostinho, livro XX da Cidade de Deus, explica esse texto de São João, dizendo que todos os infiéis, hereges, sectários e depravados espalhados pela superfície do globo, se unirão ao Anticristo para fazer guerra aos santos e perseguir os homens fiéis a Deus.

Em segundo lugar, essa perseguição será a mais dura e violenta de todas, porque não será inspirada por superstições e fanatismo, nem por um apego cego à adoração de ídolos, como foram as perseguições desencadeadas pelos imperadores pagãos.

Não se proporá apaziguar o orgulho, nem satisfazer o frenético desejo de dominação, como Maomé.

Não será inflamado nem pelos desejos desenfreados da carne, nem pela isca da pilhagem com que os príncipes alemães sujeitaram à Igreja, sob o protestantismo e na época da vida de Lutero.

A mulher (Nossa Senhora) foge da bestia que quer lhe arrancar o Filho dos braços. Tapeçaria do Apocalipse, Angers
A mulher (Nossa Senhora) foge da bestia que quer lhe arrancar o Filho dos braços.
Tapeçaria do Apocalipse, Angers
Mas será uma perseguição sugerida exclusivamente pelo ódio a Deus, onde Deus e seu Cristo serão procurados diretamente, cujo único objetivo será o extermínio do reino divino, a aniquilação total do Cristianismo e de toda religião positiva.

Assim o Tibério, o Nero, os mais terríveis tiranos do paganismo, pelo menos queriam obrigar os cristãos a adorar os ídolos, como um reflexo distante da divindade.

Mas nos tempos de que falamos, não será mais permitido prestar a qualquer divindade, mesmo uma adoração corrupta.

Todos os homens, sem exceção, serão forçados a honrar e adorar o próprio Satanás personificado no Anticristo, ou seja, o homem mais ímpio, o mais abominável que já produziu a humanidade.

Em terceiro lugar, essa perseguição que marcará os últimos tempos será exercida com uma espécie de sedução irresistível, ut in errorem inducantur, si fieri potest, etiam electi (“a ponto de seduzir, se isso fosse possível, até mesmo os escolhidos”, São Mateus, 24, 24)

Cornelius a Lapide diz: Omnes politicorum artes, dolos e praxes callebit [será um especialista em todas as artes, enganos e conluios dos políticos].

Em princípio, o Anticristo persuadirá os filhos dos judeus de Israel de que ele é o Messias.

Para enganá-los com mais eficácia, ele colocará a máscara da moderação hipócrita e da santidade.

São Paulo, ao nos ensinar que será adorado no templo de Deus, parece indicar-nos que reconstruirá o templo de Jerusalém destruído de alto a baixo por Tito.

Será a pior perseguição da Historia. Tapeçaria do Apocalipse, Angers
Será a pior perseguição da Historia. Tapeçaria do Apocalipse, Angers
Consequentemente, ele ordenará a circuncisão e restaurará por algum tempo os sacrifícios sangrentos e os outros ritos da religião judaica.

Quanto aos homens estranhos à religião da sinagoga judaica, ele os atrairá primeiro pela persuasão e eloquência.

Ele será treinado em artifícios e instruído pelo próprio demônio em todo o conhecimento útil para os fins para os quais o espírito maligno o pretende.

Santo Anselmo diz que dominará todas as ciências naturais e conhecerá de cor todos os textos das Escrituras.

Em segundo lugar, ele conquistará os homens semeando abundantemente ouro e riqueza.

Ele será o sujeito mais opulento da terra.

Satanás lhe entregará todos os tesouros escondidos nas entranhas dos mares e nas profundezas secretas da terra.

Ele irá encher todos os homens de admiração por seu gênio e pela velocidade prodigiosa com que ele terá ascendido ao pináculo da fortuna e onipotência.

Quanto aos ignorantes e à multidão, ele os fascinará com maravilhas, cujus est adventus secundum operationem Satanœ, in omni virtute et prodigiis mendacibus [“A manifestação do ímpio será acompanhada, graças ao poder de Satanás, de toda a sorte de portentos, sinais e prodígios enganadores” (II Tessalonicenses, 2, 9).

Confira comentário de Santo Tomás de Aquino à II carta aos Tessalonicenses: Quando virá o Anticristo?

Assim como Cristo, diz Santo Tomás, fez milagres na confirmação de sua doutrina, o homem do pecado fará falsos milagres na confirmação de seus erros.

Mas assim como o verdadeiro Cristo também operou maravilhas em virtude de Deus, autor de toda a verdade, assim seu adversário, como indicamos acima, trabalhará pela virtude de Satanás, o pai do engano e da mentira.

Todos os maus da Terra se unirão a ele. Bibliothèque municipale de Toulouse
Todos os maus da Terra se unirão a ele. Bibliothèque municipale de Toulouse
Portanto, o homem do pecado não fará milagres verdadeiros como Jesus Cristo, mas fará milagres falsos e aparentes.

Todas as suas obras maravilhosas, na realidade, nada mais serão do que ilusões e obras fantásticas.

Assim, diz Santo Atanásio, que quando ele aparecer para ressuscitar um morto, ou o homem que ele ressuscita não estará realmente morto, ou se estiver morto não o ressuscitará realmente.

“Finalmente”, disse o mesmo santo novamente, “as obras realizadas pelo Anticristo e que parecerão exceder as forças da natureza, não serão milagres propriamente ditos, mas efeitos e fenômenos da ordem física provocados pela mediação de algumas causas naturais secretas e ocultas”.

Para cativar melhor os homens, o Anticristo autorizará a luxúria e as licenças da carne, apelará para os prazeres mais inebriantes, totus erit in libidinibus et concupiscentiis feminarum [tudo se converterá em prazeres da carne e desejo ardente das mulheres].

A perseguição ao Anticristo será a mais desumana e sangrenta que o Cristianismo já sofreu.

Jesus Cristo nos garante isso quando nos diz: “Então será grande a tribulação, como nunca houve desde o princípio do mundo até agora e nunca mais será”.

Seu poder de destruição não terá igual. Ottheinrich-Bibel 14, Bayerische Staatsbibliothek, Cgm 8010, Folio299r_Rev16B
Seu poder de destruição não terá igual.
Ottheinrich-Bibel 14, Bayerische Staatsbibliothek, Cgm 8010, Folio299r_Rev16B

Podemos conjeturá-la nos ligando duas causas.

A primeira é o poder colossal e os meios prodigiosos de força e destruição com os quais o Anticristo será fornecido e, ao mesmo tempo, a impiedade e a fúria dos homens designados para cumprir seus comandos.

A segunda será a terrível malícia do demônio, porque, diz São João, nestes dias Deus o deixará sair da prisão das chamas onde está acorrentado e lhe dará plena licença para seduzir e saciar seu ódio contra o gênero. humano.

Donde se segue, diz São Cirilo, que então haverá multidões de mártires, mais gloriosos e mais admiráveis do que aqueles que uma vez lutaram contra os leões nos anfiteatros de Roma e da Gália.

Esses só tiveram que lutar contra simples ministros do diabo, mas os confessores dos últimos tempos terão que lutar contra aquele que é homicida desde o início.

O antigo inimigo empregará engenhos de tortura e refinamentos inéditos para atormentá-los, sem exemplo nos séculos passados, e que a mente humana jamais teria sido capaz de inventar por si mesma.




Vitória final de Cristo sobre a grande apostasia


Cristo em majestade, Tapeçaria do Apocalipse, Angers.
Cristo em majestade, Tapeçaria do Apocalipse, Angers.
Finalmente, a última característica da perseguição do Anticristo é que será de tal violência que conseguirá levar à apostasia a quase universalidade dos cristãos.

“E foi-lhe permitido fazer guerra aos santos e vencê-los. E esse chifre, que eu vi, fez guerra aos santos, e foi dado para prevalecer”.

São Paulo também nos ensina que Jesus Cristo não descerá uma segunda vez antes que venha a grande apostasia.

Santo Agostinho, interpretando essa palavra do Apóstolo, nos diz que em todos os tempos vimos fiéis renunciarem a Cristo por efeito dos artifícios dos hereges e por medo dos perseguidores e tiranos.

Porém, a deserção que ocorrerá sob o Anticristo é chamada de apostasia real, porque pelo número e pela sua generalização, excederá qualquer coisa vista em tempos anteriores.

No entanto, não se deve concluir destes testemunhos que não haverá mais escolhidos na terra, e que o Filho de Deus falhará na promessa feita à sua Igreja quando disse: Propter electos, dies breviabuntur, por causa dos eleitos, os dias serão encurtados.

Assanhamento da perseguição do Anticristo. Cambridge R.16.2 Trinity Apocalypse 010r
Assanhamento da perseguição do Anticristo. Cambridge R.16.2 Trinity Apocalypse 010r
Além disso, São João no Apocalipse acrescenta: “A besta será adorada por todos os que habitam a terra, cujos nomes não estão escritos no Livro da Vida”.

Santo Agostinho nos afirma que no reinado do Anticristo haverá multidões de mártires que exibirão uma constância heroica.

Haverá também um número mais ou menos grande de confessores, que conseguirão refugiar-se em cavernas ou em montanhas íngremes.

Deus fará com que esses retiros escapem da vigilância e investigação dos perseguidores, e não permitirá que o diabo os indique a eles.

Daniel nos ensina que durante os dias desta terrível perseguição, a abominação da desolação reinará plenamente no lugar santo.

“O rei”, disse ele, “agirá como quiser: ele se levantará, ele falará com orgulho contra todo deus; ele falará insolentemente contra o Deus dos deuses ...

A queda de Babilônia. Tapeçaria do Apocalipse, Angers
A queda de Babilônia. Tapeçaria do Apocalipse, Angers
“Ele não terá consideração pelo Deus de seus pais e ele não vai se importar com Deus algum ...”

Em outras palavras, uma vez que o homem do pecado tenha feito a humanidade se curvar a suas ameaças e a tenha enleiado nas redes de suas mentiras e artimanhas, ele não guardará mais nenhuma medida, se despojará de todas as máscaras e prosseguira com o rosto descoberto.

Ele não sofrerá mais quando adorarmos ou invocarmos Deus além de si mesmo, ele se proclamará o único senhor do céu e da terra.

Onde ele não estiver pessoalmente presente, os homens serão obrigados a homenagear sua imagem ou sua estátua: Et elevabitur, magnificabitur adversus omnem Deum [será elevado e engrandecido diante de qualquer deus].

Ele não tolerará mais a religião mosaica ou a própria religião natural.

Ele perseguirá com a mesma ferocidade os judeus, os cismáticos, os hereges, os deístas e todas as seitas que admitem a existência de um ser supremo e a imortalidade da vida futura.

Mas Deus, em sua sabedoria, tirará o bem do mal.

A queda de Babilônia. Tapeçaria do Apocalipse, Angers
A queda de Babilônia. Tapeçaria do Apocalipse, Angers
A horrível tempestade que sua Justiça permitiu que se desencadeasse sobre a terra terá o efeito de destruir falsos cultos.

Isso irá abolir, junto com o judaísmo, os resquícios do maometismo, as superstições idólatras e todas as religiões hostis à Igreja.

Isso dará o golpe final nas seitas das trevas.

A Maçonaria, o Carbonarismo, o Iluminismo e todas as sociedades subversivas desaparecerão no turbilhão da impiedade que será a sua obra, e que prepararam durante séculos aquilo que acreditavam que seria o seu triunfo decisivo e supremo.

Inconscientemente, eles terão cooperado na fundação do reino de unidade anunciado pelo profeta, erit unum ovile et unum pastor, “será um só rebanho, e um só pastor”.

O triunfo dos ímpios terá durado pouco.

Mas as consolações que se seguem serão universais, abundantes, proporcionais à extensão das tribulações que a Igreja suportou.

Os reis depositam suas coroas aos pés de Cristo, Tapeçaria do Apocalipse. Angers
Os reis depositam suas coroas aos pés de Cristo, Tapeçaria do Apocalipse. Angers
Um filho de Israel, convertido há pouco tempo, hoje sacerdote e médico, contemplando com deleite o grande espetáculo que a Igreja de Deus oferecerá neste período feliz em que judeus e gentios, sentados no mesmo banquete, terão se tornado uma só família sob a liderança do mesmo pastor, exclama com transporte:

Na vida de Jesus Cristo na terra, houve dois grandes dias de triunfo:

– quando ele foi reconhecido como Messias e como Rei: a festa de Epifania, que era de certa forma a festa da manhã que as nações que haviam se reunido e representado na pessoa dos Magos fizeram a Jesus Cristo,

– e no Domingo de Ramos que era a festa da noite, que a Jerusalém tardia fez a Jesus Cristo, o dia de Ramos de palmeira que foi o dia das aclamações de Israel.

Agora, depois de dezenove séculos de fidelidade, a grande festa da Epifania é esquecida pelas nações e seus líderes, que rejeitaram Jesus Cristo e sua Igreja.

Permita-me saudar, na noite da vida da Igreja, o grande Domingo de Ramos e a inesperada explosão de aplausos dos idosos de Jacob.

Cristo gladífero no trono, as sete igrejas e São João. Tapeçaria do Apocalipse, Angers.
Cristo gladífero no trono, as sete igrejas e São João. Tapeçaria do Apocalipse, Angers.
Permita-me saudar e cantar este dia, quando as portas da sinagoga se abrirão em embriaguez para a entrada triunfal do Messias, que ela tanto esperou e ignorou.

Deixe-me cantar o dia em que os remanescentes de Israel espalharão suas roupas no caminho de Cristo e sua Igreja, e quando o ar será embalsamado com os perfumes desse sangue que cairá desta vez em chuva de amor sobre Israel e seu povo. crianças.

Ó Domingo de Ramos, levanta-te sobre a Igreja! ...

Jerusalém, Jerusalém, quantas vezes quis reunir os teus filhos como a galinha ajunta os seus filhotes sob as suas asas; mas desta vez você o quis, ó Jerusalém, sob as asas você terá se precipitado.

Hosana e glória eterna a Jesus Cristo nos céus mais elevados e à Igreja onde Israel, após uma longa ausência, encontrou seu Messias e seu Rei.

E ainda não será o consumo final, pois está escrito (Apocalipse, cap. XI): “O sétimo anjo soará a trombeta neste tempo, e o céu soará com grandes vozes”.

A Jerusalém celeste, Tapeçaria do Apocalipse. Angers
A Jerusalém celeste, Tapeçaria do Apocalipse. Angers
As vozes dos anjos, vozes de virgens, vozes de confessores e santos mártires saudarão a Cristo com seus louvores e aclamações, darão graças por sua vitória sobre o Anticristo e pelo extermínio dos ímpios.


Todos os homens que se tornaram adoradores do mesmo Deus, todos professando a mesma fé, unidos na mesma adoração, participando da mesma mesa, clamarão juntos:

“O reino de Deus tornou-se o reino de Nosso Senhor e do seu Cristo ...
Esta série de posts foi traduzida do livro "Fim do mundo presente e mistérios da vida futura" do Pe. Charles-Marie-Antoine Arminjon (1824-1885), edição do Office Central de Lisieux  Em linha

“Nós te damos glória, Senhor Deus Todo-Poderoso, quem é e quem foi e deve vir, porque recebeste o teu grande poder e reinas”. 



FIM



(Fonte: “Fin du monde present et mysteres de la vie future”, Saint Remi éditions ESR, Chiré-en-Montreuil, 312 págs. Office Central de Lisieux  Em linha ).




36 comentários:

  1. A pessoa não está obrigada a crer nelas, mas poderia cometer grave imprudência não lhes prestando ouvidos, sobre tudo quando declaradas isentas de erro contra a Fé e contra os bons costumes, pela autoridade eclesiástica. Mas nós estamos vendo que essas boas revelações particulares insistem cada vez mais em eventos terríveis que a humanidade está atraindo sobre si com uma chuva de pecados, desordens e revoluções. Dessa maneira, compreende-se que abalos formidáveis no mundo já estejam dando sinais de próxima realização. Não será o Fim do Mundo, mas sim sua prefigura com calamidades inimagináveis, mas onde também se manifestará a Misericórdia de Deus, a onipotência suplicante de Nossa Senhora, e a intercessão de santos e anjos.

    ResponderExcluir
  2. OMNIPOTENTE E MISERICORDIOSO SOIS MEU DEUS, POIS, APESAR DAS NOSSOS PECADOS, VIRÁS SOCORRER-NOS MAIS UMA VEZ. AMÉM.

    ResponderExcluir
  3. Muito interessante! Obrigado pela divulgação dos textos do Pe. C. Arminjon!

    ResponderExcluir
  4. Extremamente interessante! Eu acredito que estamos no final dos tempos. Esse texto elucida muita coisa.

    ResponderExcluir
  5. Sigamos perseverantes na oração diária, na leitura do Evangelho e na oração do Santo Terço. Confesse-se e comungue com frequência. Eis as nossas armas.

    ResponderExcluir
  6. Meditação muito oportuna sobre o Anticristo! Com efeito, o mundo caiu em uma tal degeneração que nos perguntamos por que ainda o Anticristo não se manifestou??? Alguma coisa ou alguém o está retendo conforme nos fala a Sagrada Escritura! (2Tessalonissenses 2,6)

    ResponderExcluir
  7. Sinais de que o mundo está preparado para receber o Anticristo: “Estas são as marcas da vinda do Anticristo: Quando os velhos não tiverem nem bom senso nem prudência, Quando os cristãos estiverem sem fé, Quando os cristãos estiverem sem amor, eles falarão de amor, mas não terão amor pelo próximo, Quando os ricos forem sem misericórdia. Quando os jovens não tiverem respeito, Quando as mulheres tiverem perdido o pudor, Quando, no casamento, não houver mais continência, Quando os clérigos forem sem honra e sem santidade, Quando os religiosos não tiverem verdade nem austeridade, sacerdotes bispos e padres, serão homens frívolos, completamente incapazes de distinguir entre o caminho da direita e o da esquerda, Quando os bispos não tiverem piedade. As igrejas serão privadas de pastores piedosos e tementes a Deus, e infelizes dos cristãos que estiverem na terra nesses momentos! Perderão a fé, porque não haverá mais quem lhes mostre a luz da verdade, Quando os governantes da terra não tiverem nenhuma misericórdia”. http://www.rainhamaria.com.br/Pagina/21255/Lembrando-que-o-cenario-mundial-perfeito-para-o-aparecimento-do-anticristo-esta-quase-pronto-Homens-inspirados-pelo-demonio-usam-da-palavra-misericordia-para-tornar-o-pecado-uma-coisa-comum-e-aceitavel-ate-mesmo-dentro-da-Igreja

    ResponderExcluir
  8. São impressionantes essas revelações de Nossa Senhora de La Salette. Quando vemos a Pachamama nos altares em Roma e até no Altar da Confissão na Basílica de São Pedro, o que falta para a chegada do anticristo? A esperança é que o Santo Sacrifício da Missa continua através de poucos, mas fiéis sacerdotes em várias partes do mundo. Que a Virgem - "Terribilis ut castrorum acies ordinata" fortaleça a fé de todos que devem padecer naqueles dias de tragedia previstos no Antigo e Novo Testamento. Domine Iesu, miserere nobis et adjuva nos.

    ResponderExcluir
  9. Mal espero pelo dia da vinda deles

    ResponderExcluir
  10. Será que a manifestação do Anticristo está próxima??? Tanta coisa ruim acontecendo!!! O controle populacional se tornando cada vez mais forte. Isso só pode ser um instrumento do Anticristo!

    ResponderExcluir
  11. Que terrível! Que a misericórdia de Deus nos livre de inimigo tão feroz!

    ResponderExcluir
  12. O texto é claro. O Anticristo será um homem, uma pessoa humana. O Comunismo perseguiu sim os cristãos, mas é uma ideologia, não uma pessoa.

    ResponderExcluir
  13. O exorcista espanhol, Padre Fortea, em sua Summa Daemoniaca, também diz que o Anticristo será um homem. Pena que esse dado tenha sido deturpado por interpretações erradas da Bíblia. Tem até a opinião de que ele será o demônio, mas não ele será um homem.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é Anônimo as INTERPRETAÇÕES ERRADAS DA BÍBLIA, creio que são o que mais existem nos dias atuais. Em mais de 1500 anos de história e evolução da humanidade, os textos ditos sagrados foram compilados, traduzidos, interpretados, manipulados, sendo que as traduções eram feitas em mosteiros, cada um com seu tradutor e escrevente. Assim, cada um além de entender o que lia segundo suas crenças, compreensão, provavelmente "arredondava" o texto adequando-o ao seu tempo, suas ideias. Certo é que quem conta um conto, acrescenta um ponto. Luz, Paz e Amor.

      Excluir
  14. Muito bom esse texto. Ele esclarece sobre quem será a pessoa do Anticristo. A propósito, gostaria de indicar um texto sobre o Anticristo em inglês. Quem tiver dificuldade de ler em inglês, pode usar um tradutor automático na internet. Texto sobre o Anticristo http://www.roman-catholic.com/Roman/Articles/666.htmMuito bom esse texto. Ele esclarece sobre quem será a pessoa do Anticristo. A propósito, gostaria de indicar um texto sobre o Anticristo em inglês. Quem tiver dificuldade de ler em inglês, pode usar um tradutor automático na internet. Texto sobre o Anticristo http://www.roman-catholic.com/Roman/Articles/666.htm

    ResponderExcluir
  15. Pois é Anônimo as INTERPRETAÇÕES ERRADAS DA BÍBLIA, creio que são o que mais existem nos dias atuais. Em mais de 1500 anos de história e evolução da humanidade, os textos ditos sagrados foram compilados, traduzidos, interpretados, manipulados, sendo que as traduções eram feitas em mosteiros, cada um com seu tradutor e escrevente. Assim, cada um além de entender o que lia segundo suas crenças, compreensão, provavelmente "arredondava" o texto adequando-o ao seu tempo, suas ideias. Certo é que quem conta um conto, acrescenta um ponto. Luz, Paz e Amor.

    ResponderExcluir
  16. Todos que traduziram as Sagradas Escrituras eram pessoas especiais e que carregavam consigo o paraclito o Espírito Santo. Deus nunca permitiria mentiras nas escriturasEle sempre esteve no controle e nada fica obscuro afinal Ele é Divindade quem pode mais que o Criador?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Perfeita sua resposta,porque pra alguns ainda ainda não acreditam,parece q deveria ler as escrituras pra entender que tudo está lá,céus e terras passarao mas suas palavras não passarão.

      Excluir
    2. Perfeita sua resposta,porque pra alguns ainda ainda não acreditam,parece q deveria ler as escrituras pra entender que tudo está lá,céus e terras passarao mas suas palavras não passarão.

      Excluir
  17. Ao ler estas informações, arrepiei-me. Penso muito interrogativamente no descalabro em que se vive. O que muito me perturba é o que vai surgindo nas redes sociais artigos de "consagrados" amenizando ,certamente, a vivência espiritual -igrejas fechadas,Cristo confinado. É de temer. Obrigada, Professor pelo que tenho recebido.

    ResponderExcluir
  18. Muito interessante! Não conhecia a obra desse padre francês. É uma preciosidade. Obrigado por divulgar.

    ResponderExcluir
  19. Amém com fé em Deus o imaculado coração de Jesus e de Maria Santíssima e à paz reinará ao final 🙏

    ResponderExcluir
  20. Amém ao final o Imaculado coração de Jesus Cristo e de Maria Santíssima reinará a paz em toda terra

    ResponderExcluir
  21. Só quem é cego ,pelo menos ,não se inquieta perante os múltiplos acontecimentos catastóficos que assolam este mundão . Simplesmente ,os avanços tecnológicos endeusaram o ser humano . Descristianizou-se. Julgo ainda que o VATICANO II não foi bem compreendido .Dentro da Igreja criou-se um vazio grande . Muito poderia referir .Seria falta de respeito . Urgente recatequizaromo-nos ,uns e outros . Obrigada ,Professor

    ResponderExcluir
  22. ......" os sinais do tempo presente, os sintomas ameaçadores de nosso estado político e nossas revoluções, a marcha ascendente da impiedade correspondendo ao progresso da civilização e das descobertas na ordem material, não podemos deixar de prever a proximidade da vinda do homem do pecado e dos dias de desolação que Jesus Cristo nos predisse."
    A época actual caracteriza-se essencialmente pela CORRUPÇÃO a todos os níveis.
    A Igreja começa a acordar do sonambulismo em que mergulhou incompreensivelmente . O confinamento ORIGINOU uma igreja digital com o que discordo.
    Há toda a semana oração ao Santíssimo ,sendo ultimamente presentificada por sacerdotes que oram dialogando ,partindo agora de São Marcos,como
    hoje .Foi a primeira vez que ouvi com satisfação a interpretação da decepção dos pescadores por terem uma lida vazia .
    Sempre defendi a necessidade de se ser RECATEQUIZAÇÃO -talvez a ausência de uma catequeze ,Deus não passa de um mito com pés de barro .
    A digitalização originou por sua vez contactos via telemovel à procura de palavras animadoras para angústias existenciais.
    Cristo não é digital .
    É o FILHO DE DEUS e há que O sentir vivamente na EUCARISTIA e a EUCARISTIA não será nunca digital .

    ResponderExcluir
  23. Obrigada PROFESSOR . Um manancial de dados bíblicos desconhecidos . Vive-se na ausência do conhecimento . Impressionante a incredulidade actual.

    ResponderExcluir
  24. Mal espero pelo dia da vinda deles

    ResponderExcluir
  25. Será que a manifestação do Anticristo está próxima??? Tanta coisa ruim acontecendo!!! O controle populacional se tornando cada vez mais forte. Isso só pode ser um instrumento do Anticristo!

    ResponderExcluir
  26. Que terrível! Que a misericórdia de Deus nos livre de inimigo tão feroz!

    ResponderExcluir
  27. O texto é claro. O Anticristo será um homem, uma pessoa humana. O Comunismo perseguiu sim os cristãos, mas é uma ideologia, não uma pessoa.

    ResponderExcluir
  28. O exorcista espanhol, Padre Fortea, em sua Summa Daemoniaca, também diz que o Anticristo será um homem. Pena que esse dado tenha sido deturpado por interpretações erradas da Bíblia. Tem até a opinião de que ele será o demônio, mas não ele será um homem.

    ResponderExcluir
  29. Muito bom esse texto. Ele esclarece sobre quem será a pessoa do Anticristo. A propósito, gostaria de indicar um texto sobre o Anticristo em inglês. Quem tiver dificuldade de ler em inglês, pode usar um tradutor automático na internet. Texto sobre o Anticristo http://www.roman-catholic.com/Roman/Articles/666.htmMuito bom esse texto. Ele esclarece sobre quem será a pessoa do Anticristo. A propósito, gostaria de indicar um texto sobre o Anticristo em inglês. Quem tiver dificuldade de ler em inglês, pode usar um tradutor automático na internet. Texto sobre o Anticristo http://www.roman-catholic.com/Roman/Articles/666.htm

    ResponderExcluir
  30. Impressionante e aterrissente o que li ,não só sobre o Anticristo como os esclarecimentos doutrinérios seguintes. Muito obrigada pelos textos ,PROFESSOR. Vêm ao encontro do que vejo :indiferença absoluta por DEUS ,visível nas postagens enviadas pela PASTORAL CATÓLICA. Nada diz nada. Triste.

    ResponderExcluir
  31. Muito interessante por um lado ,mas ARREPIANTE.
    COM: Não será esse o personagem retratado e previsto por São João como o Anticristo?
    Será ele o homem que a Divina Providência desejará usar para desiludir Israel, que o terá saudado por um momento como seu Messias e seu rei?

    ResponderExcluir
  32. Arrepia ao ler-se o percurso do Anticristo.
    Lentamente se introduz nos templos.
    Vive-se tempos sem Deus com a maior neutralidade e naturalidade.
    As igrejas fechadas,com um Cristo digital.
    Uma despreocupação com a ausência de servidores.
    Enfim.
    Obrigada Professor pelo que envia permitindo um conhecimento bíblico.

    ResponderExcluir
  33. É sempre com agrado a leitura bíblica dos textos enviados.
    Lembro-me do tempo da guerra colonial associar à derrocada dos tempos actuais ,bem como a previsões da Senhora de Fátima a que tive acesso numa reunião da JUC .Nunca compreendi porque os pedidos da Senhora durante anos sem fim ,fossem resguardados num secretismo incomodativo .Foi preciso JOÃO PAULO aparecer para que o secretismo saísse da "interdição" ,com a não consagração ao CORAÇÃO IMACULADO CORAÇÃO da RUSSIA .Ao longo do século vinte ,espalhou erros sem fim até que caiu com o desmembramento da UNIÃO SOVIÉTICA .MESMO ASSIM ,PROFESSOR ,ainda há quem insista em servir-se das palavras chave do actual PAPA como pertença dos pedidos da SENHORA.Agora ,temos mais um ANTICRISTO:JINPING ,outro estilo de fascinora a que sucederão mais algozes ,como lhes seja possível derrotar a FÉ no âmago da interioridade espiritual.
    Abençoada Melanie ,la Salette e tantos outros servidores de Deus ,como São Palau ,incompreendidos mas testemunhas da Fé.
    A leitura dos textos enviados permitiu-me reflectir no ANTI CRISTO a partir da MAÇONARIA,CARBORANISMO ,ILUMINISMO tão profícuo, hereges,perseguidores ,tiranos que fazem gritar as almas crentes a ausência de Deus na nossa interioridade.
    Agradeço de coração o que me dá a conhecer sobre quem denuncia o ANTICRISTO -PRIVILÉGIO de Deus.
    A época que vivenciamos está vazia ,fria ,indiferente .Não sei a razão porque não há a recatequização.
    Obrigada PROFESSOR pelo tanto aprendido.
    Bem haja

    ResponderExcluir