terça-feira, 26 de agosto de 2014

Novidades assombrosas chegam do Carmelo de Coimbra.
Texto inédito da Irmã Lúcia.

O livro "Um caminho sob o olhar de Maria" editado pelo Carmelo de Coimbra.
O livro "Um caminho sob o olhar de Maria" editado pelo Carmelo de Coimbra.
Um documento inédito da Irmã Lúcia que se insere no conjunto profético de Fátima foi publicado pelo Carmelo de Coimbra.

Esse documento revela coisas novas e pasmosas sobre o desfecho da crise do mundo que abandonou a Fé e a Civilização Cristã.

A origem desse documento é a seguinte. O Carmelo de Coimbra, onde viveu seus últimos anos e morreu (em 2005) a Irmã Lúcia, publicou um livro oficial com o título Um caminho sob o olhar de Maria.

Trata-se de uma biografia da vidente de Fátima, redigida por suas irmãs do Carmelo. Ela inclui documentos inéditos escritos pela própria religiosa.

Eis os dados bibliográficos do livro: Um caminho sob o olhar de Maria — Biografia da IRMÃ Maria LÚCIA de Jesus e do Coração Imaculado, Carmelo de Santa Teresa, Edições Carmelo, Coimbra, 2013, 496 pp.

A Terceira Guerra Mundial

Hoje se fala muito que vivemos no conturbado período histórico lugubremente inaugurado pela I Guerra Mundial. A II Guerra foi um deplorável desdobramento da Primeira, segundo a afirmação geral dos historiadores mais reputados.

Francisco I e muitas outras conhecidas vozes vêm dizendo que o mundo está entrando na III Guerra Mundial. O Pontífice se referiu a ela na sua viagem de retorno de Seul, Coréia do Sul.

Ele apenas fez a ressalva de que era fragmentada, por não se ter ainda universalizado. Mas constatou que a Guerra está crescendo por “capítulos” e que se destaca por sua “crueldade”.


O comunismo renasce astuciosamente na Rússia.
Comemoração da vitória soviética na II Guerra Mundial.
Praça Vermelha de Moscou, 9 de maio de 2014.
Sem dúvida, as altas esferas religiosas e políticas que vêm falando dessa III Guerra Mundial pensam sobretudo no massacre de cristãos no Oriente Médio e na feroz guerra empreendida pela Rússia de Putin contra os ucranianos, especialmente os católicos.

A era histórica de Fátima

Quando essa sinistra sucessão de Guerras começava, Nossa Senhora apareceu em Fátima, no dia 13 de maio de 1917, e advertiu sobre as suas causas: a decadência dos costumes. E os meios para evitá-la: a reforma dos costumes, ou penitência, e a consagração da Rússia.

Dominada poucos depois pelos erros do comunismo, a Rússia haveria de ser o instrumento do castigo, espalhando tais erros pelo mundo, como também guerras e perseguições à Igreja e ao Santo Padre, caso o mundo não se convertesse e fizesse penitência.

Mas Nossa Senhora completou que, após tremendos castigos, no final dessa era de calamidades Seu Coração Imaculado triunfaria.

Tudo foi se realizando como Nossa Senhora anunciou em Fátima.

Mas os homens não levaram a sério as misericordiosas advertências de Nossa Senhora.

Uma parte do segredo revelado pela Mãe de Deus deveria ser publicada em 1960. Porém, o Papa reinante nesse ano, João XXIII, julgou-a por demais terrível e não a deu a conhecer.

No ano 2000, fora do prazo fixado por Nossa Senhora, João Paulo II mandou publicar essa parte do segredo, a qual fala de um Papa (“bispo vestido de branco”) atravessando uma cidade destruída, em meio a muitos cadáveres, e padecendo por fim o martírio junto com bispos sacerdotes e fiéis.

Por sua vez, o Papa Bento XVI, em visita a Fátima no dia 13 de maio de 2010, afirmou: “Enganar-se-ia quem pensasse que a missão profética de Fátima esteja concluída”.

E acrescentou: “O homem pôde desencadear um ciclo de morte e de terror, e não consegue interrompê-lo. A fé em vastas regiões da terra ameaça apagar-se como uma chama que não é mais alimentada”.

Carmelo de Coimbra publica inédito manuscrito

E assim chegamos à atual publicação do Carmelo de Coimbra. O livro contém um relato, escrito pela Irmã Lúcia, de como ela superou o terror que a impedia de escrever o Terceiro Segredo.

No relato, a Irmã Lúcia conta que, por volta das 16 horas do dia 3 de janeiro de 1944, rezando na capela do convento diante do Tabernáculo, pediu a Jesus que lhe fizesse conhecer a sua vontade. E então, escreve ela:
Na última aparição, em 13.10.1917, Nossa Senhora se manifestou
como a Virgem do Carmo, coroada Rainha do Céu e da Terra.
“Senti então, que uma mão amiga, carinhosa e maternal me toca no ombro, levanto o olhar e vejo a querida Mãe do Céu.

“Não temas, quis Deus provar a tua obediência, Fé e humildade, está em paz e escreve o que te mandam, não porém o que te é dado entender do seu significado” (op. cit. p. 266).

O efeito destas palavras sobrenaturais é assim descrito pela vidente:

“E senti o espírito inundado por um mistério de luz que é Deus e N’Ele vi e ouvi,

— A ponta da lança como chama que se desprende, toca o eixo da terra.

— Ela estremece: montanhas, cidades, vilas e aldeias com os seus moradores são sepultados.

“O mar, os rios e as nuvens saem dos seus limites, transbordam, inundam e arrastam consigo num redemoinho, moradias e gente sem número que não se pode contar, é a purificação do mundo pelo pecado em que se mergulha.

“O ódio, a ambição provocam a guerra destruidora!

“Depois senti no palpitar acelerado do coração e no meu espírito o eco de uma voz suave que dizia:

— No tempo, uma só Fé, um só Batismo, uma só Igreja, Santa, Católica, Apostólica. Na eternidade, o Céu!

“Esta palavra Céu encheu a minha alma de paz e felicidade, de tal forma que quase sem me dar conta, fiquei repetindo por muito tempo:

— O Céu! o Céu!” (op. cit. p. 267).

A edição do Carmelo de Coimbra reproduz ainda, na p. 269, o fac-símile das páginas do manuscrito da Irmã Lúcia em que se encontra o presente texto.

Foi assim que a religiosa recebeu forças para escrever o Terceiro Segredo.

A Irmã Lúcia conclui o texto acima citado com a frase: “Apenas passou a maior força do sobrenatural, fui escrever [o terceiro Segredo] e fi-lo sem dificuldade, no dia 3 de janeiro de 1944, de joelhos apoiada sobre a cama que me serviu de mesa” (op. cit. p. 267).

A carta com esse segredo chegou ao seu destino, segundo confirma o recibo de recepção, mas não recebeu resposta.


Os dias de hoje

A publicação deste texto inédito da vidente de Fátima acontece num panorama mundial muito parecido com o descrito na visão.

As catástrofes humanas fazem que pessoas de tão alto nível eclesiástico e temporal julguem a Terceira Guerra Mundial já começada em regiões restritas, a partir das quais se espalha como um incêndio a outras partes da terra com que estão interligadas.

Mas o texto da Irmã Lúcia conclui com um anúncio consolador: o triunfo da religião católica em toda a Terra, imagem fidedigna do triunfo eterno de Deus no Céu:

— No tempo, uma só Fé, um só Batismo, uma só Igreja, Santa, Católica, Apostólica. Na eternidade, o Céu!

13 comentários:

  1. Nessa mensagem inédita de Irmã Lúcia caberia uma interpretação literal ou alegórica? A III Guerra Mundial seria belicosa ou cultural ou anticultural? Nas grandes Revelações a Santa Hildegarda as "montanhas" simbolizam os Eclesiásticos, que classes de pessoas seriam representadas nas outras descrições como "mar, rios, nuvens, cidades, vilas, etc."? Na minha opinião caberia uma dupla interpretação: literal e espiritual: uma guerra contra a fé que termina numa guerra contra a vida também. Nessas revelações inéditas afirma-se que o "ódio" é a causa dessa guerra e das derrotas dos cristãos. Ora, ódio é o contrário de amor. Na religião cristã seria uma espécie de jansenismo contra a caridade. Em La Salette Nossa Senhora pediu para que o Papa empunhasse as "armas da fé e do AMOR" para vencer ou render (converter) o inimigo. O ódio, aquilo que se opõe à Caridade, é a arma do inimigo, ao passo que o Amor, isto é, a Caridade, é a arma dos cristãos. Fé e Amor são as armas do Papa e da Igreja nestes tempos conturbados. Nunca como hoje somos chamados à Fé e ao Amor, amor à Deus e amor ao próximo, ainda que esse próximo sejam nossos inimigos mais violentos. Nossa Senhora do Bom Sucesso, ora pro nobis.

    ResponderExcluir
  2. Todos os elementos estão atuando juntos na guerra contra a fé. Os atentados frequentes contra a família, contra a religião (a exclusão dos símbolos cristãos dos lugares públicos, o "casamento" gay, a ideologia de gênero, o aborto, a ausência do ensino religioso nas escolas sob argumentos que revelam a mediocridade mental dos que são a favor, etc., etc.); agora mesmo, uma corte de um Estado norte-americano quer obrigar um sacerdote a quebrar o sigilo da confissão. Nós estamos vivendo um período dos princípios das desolações preditas. Nossa Senhora diz que se houver orações e penitências suficientes, as garndes tragédias poderão ser bastante amenizadas. Como se vê, Deus não tem pressa, mas nós não estamos correspondendo às necessidades emergenciais do momento.

    ResponderExcluir
  3. Queridos, depois da Consagração da Rússia (início do Triunfo do Imaculado Coração) houve uma mudança radical naquele país - a sua conversão. Hoje as igrejas estão reconstruídas, novas sendo construídas, os governantes participando de cerimônias religiosas... Um país que tem repetido estar disposto a defender os cristãos. Quanto à crise com a Ucrânia, a história é mais longa, penso que não cabe aqui discorrer sobre isto.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A Paz de Cristo! Permita-me discordar de você. A Rússia não foi consagrada como Nossa Senhora pediu. A respeito, veja esse vídeo:
      Consecration of Russia-by name
      https://youtu.be/gN1STzB4EVE

      Excluir
    2. A irmã Lúcia: afirmou que a Russia foi consagrada, já foi tarde e Deus não abreviará nada dos castigos.

      Excluir
  4. Agostinho de Hipona17 de outubro de 2014 22:20

    Esta "irmã Lúcia", pelo que se prova por documentos e pela análise do facies da verdadeira irmã Lúcia, não era a verdadeira, mas, sim, alguém que foi posta no seu lugar para evitar que a verdadeira irmã Lúcia transmitisse aquilo que Nossa Senhora de Fátima lhe deu a conhecer: que muitos sacerdotes, bispos e cardeais, são autênticas "cloacas". O que Nossa Senhora de La Salette já tinha transmitido a Melanie...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também não acredito que essa Irmã Lúcia seja a verdadeira Irmã Lúcia que viu Nossa Senhora em Fátima. Já vi um documentário sobre isso na internet.

      Excluir
  5. temos q parar de querer interpretar a simplicidade as palavras, transformando-as em chaves, códigos e etc... Nossa Mãe é simples e humilde, quando nos vem, vem para nos ajudar e não complicar nossas cabeças. è só parar e ver ao redor o quanto tudo esta se cumprindo, catástrofes, fome, seca guerra contra os cristãos, a desmoralização da família, a idealização sobre a opção sexual, o modernismo,o aborto a nova era e etc... os iluminates ( ONU) e companhia ja dominam o mundo com falsa prosperidade e fraternidade, eles ja estão a postos, estão na televisão, nas novelas, nos filmes, nos desenhos, nas musicas e nas escolas etc... então façamos o que nossa mãe sempre pede, jejum, oração, penitência, consagração a ela, força, fé e foco. não existe explicações, este mundo é passageiro, é feito para q avancemos o caminho certo.

    ResponderExcluir
  6. Este texto é uma prova (mais uma) de que o 3º segredo de Fátima não terá sido revelado na totalidade, conforme mostra o jornalista Antonio Socci:

    http://www.antoniosocci.com/novita-apocalittiche-da-fatima-lultimo-mistero-il-silenzio-delle-suore-ma-chi-tace/#more-1985

    O texto publicado por JPII no ano 2000 consistia numa visão, uma sucessão de imagens, mas faltam as palavras de Nossa Senhora que se seguiram ao "etc":

    «Em Portugal se conservará sempre o dogma da fé etc... Isto não digais a ninguém. Ao Francisco sim, podeis dizê-lo.»

    Das três crianças presentes na aparição em 1917, apenas o Francisco não ouvia as palavras de Maria, mas via perfeitamente as imagens, tal como as outras duas videntes, portanto não necessitaria que lhe dissessem o viam. As palavras de Nossa Senhora ocultadas dentro do "etc" têm algo de aterrador e completam a imagem observada pelos pastorinhos em Fátima.

    Basto

    ResponderExcluir
  7. Uma curiosa afirmação nestes escritos inéditos da Irmã Lúcia: “O mar, os rios e as nuvens saem dos seus limites, transbordam, inundam e arrastam consigo num redemoinho, moradias e gente sem número que não se pode contar, é a purificação do mundo pelo pecado em que se mergulha." Inédito não só os escritos, mas também as afirmações de Irmã Lúcia! "É a purificação do mundo pelo pecado"!!!! Pode o pecado purificar???!!! Se pode, de que forma poderia o pecado purificar o mundo???!!! É um assunto muito interessante, e que se torna ainda mais interessante porque nos vem da irmã Lúcia. Como o pecado pode purificar o mundo ou seria um erro de Irmã Lúcia essa expressão???

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Interessante isso que você disse! Confesso que a expressão "purificado pelo pecado" me tinha passado despercebida. Em verdade, o pecado causa impureza, o pecado mancha; como pode ele, então, purificar? As guerras, a fome e a peste podem purificar como castigo do pecado, mas não o pecado em si. Talvez essa Irmã Lúcia não seja a verdadeira Irmã Lúcia que viu Nossa Senhora. Creio que a verdadeira Irmã Lúcia não cometeria um erro desses. Tempos estranhos esses em que estamos vivendo, em que tantas coisas obscuras têm acontecido.

      Excluir
    2. Ela claramente quis dizer que o mundo de hoje mergulhado no pecado será purificado por tragédias. "é a purificação do mundo pelo pecado em que se mergulha". Com "pelo" ela quis apontar a causa, ou seja, a purificação se dará por causa/pelo pecado em que se mergulha.

      Excluir
    3. É bem claro o mundo mergulhou no pecado será purificado por tragédias, para ver se o homem, toma consciência e se arrepende, faz penitência e se converte, mas nem assim neste momento ele lá chega. Está anestesiado, já nada vê, não distingue o bem do mal, colocou-se no lugar de Deus e tornou-se ele senhor de Deus

      Excluir