segunda-feira, 24 de junho de 2019

Congresso em Roma: o beato Palau e
o imperativo da guerra ao demônio

Congresso Francisco Palau, na Pontifícia Faculdade Teológica Teresianum, Roma. Com a palavra Soror Josefa Pastor CMT
Congresso Francisco Palau, na Pontifícia Faculdade Teológica
Teresianum, Roma. Com a palavra Soror Josefa Pastor CMT
Luis Dufaur
Escritor, jornalista,
conferencista de
política internacional,
sócio do IPCO,
webmaster de
diversos blogs






Quando iniciamos a série de posts sobre o Beato Francisco Palau y Quer O.C.D., sabíamos que ele não era conhecido no Brasil como mereceria.

A série esta reunida numa só página: “Um profeta de ontem, para hoje, para amanhã e para o fim dos tempos”

Desde então, graças a Deus, constatamos nas repercussões e comentários recebidos que essa ausência de notoriedade diminuiu notoriamente.

Seu nome e seu rosto vão se tornando frequentes, sobretudo nas redes sociais

A ponto que uma dificuldade começou a ser mais sensível, em verdade sem muita força de convicção: não poderia haver da nossa parte um certo exagero na interpretação dos escritos do profético frade espanhol, especialmente de seus polêmicos artigos no “El Ermitaño”?


Para dissipá-la, vieram a ser publicados felizmente em Youtube os vídeos do Congresso Francisco Palau, celebrado entre 26 e 28 de novembro de 2018, no Teresianum, Pontifícia Faculdade Teológica, Pontifício Instituto de Espiritualidade, em Roma, a sé dos Papas.

Desses três dias de palestras dedicadas à vida e à obra do bem-aventurado carmelitano, destacamos a conferência de Soror Josefa Pastor Miralles CMT, intitulada “O exorcistado segundo Francisco Palau”. Cfr. Youtube “O exorcistado segundo Francisco Palau”.

Desde uma perspectiva que não é a nossa, a religiosa trata de temas candentes que o Beato Palau enfrentou de cheio e que podem parecer tal vez carregados pelo zelo fogoso do carmelitano.

Porém, Soror Josefa Pastor exibe um profundo conhecimento dos escritos e da vida do religioso. E, a partir de seu ponto de vista, vem a corroborar e enriquecer tudo quanto temos publicado.

Por isso lhe dedicaremos o número de posts que seja necessário.

A religiosa começa abordando um ponto da ordem de universo e da doutrina católica que até não muitos anos era um “tabu”. Quer dizer, objeto de proibição irracional: a existência do demônio e da sua influência – necessariamente grande – nos eventos humanos.

É verdade que em anos mais recentes essa manifestação do poder infernal se vem tornado cada vez mais palpável. A procura de exorcistas – que, aliás, faltam em grande número – está aí para confirma-lo.

Sor Josefa: “Quem se atreveria a negar hoje a existência do demônio?”
Mas, já no século XIX, o Beato Palau teve dificuldades para fazer sentir, até a almas santas, a atividade diabólica nos grandes fatos da política nacional e internacional, nos problemas religiosos, na História, etc.

Ele respondeu com acurada e meticulosa análise das informações mais atualizadas e não só com raciocínios teológicos, em que se apoiou com abundância.

A teóloga que citamos pertence a um instituto fundado pelo Beato Palau. Ela abriu sua intervenção afastando diretamente a dificuldade. Perguntou:

“Quem se atreveria a negar hoje direta e explicitamente a existência do demônio? (...)

É reconhecível a influência demoníaca no curso da História nos graves, tristes, violentos acontecimentos e ações que quotidianamente estão ante nossos olhos?”

Ela desconsidera o respeito humano na hora de falar da atividade luciferina no mundo. E mostra a incongruência que há ao escamotear essa interferência dos antros infernais na modernidade, perguntando:

“A nosso mundo moderno e progressista, globalizado e empobrecido (...) de continuadas afluências migratórias, de fomes, de máfias sem piedade, pode se lhe apresentar a necessidade do ministério do Exorcistado como luta contra o diabo e como serviço de cura, liberação, redenção e reconciliação individual e social?”

Ela reconhece a crescente necessidade do Exorcismo sentida pela sociedade e pelos fiéis praticantes.

E, em sentido contrário, constata a fraca ação exorcística de parte do clero, carência que arrancava lágrimas de sangue a nosso Beato Palau:

“Em geral, disse a religiosa, o Exorcistado desperta certa expectativa, mas não se enfrenta e assume como missão evangélica e em toda sua importância e significado.

“No parecer e dizer do exorcista Francisco Palau, a razão primeira dessa impostação é que não se acredita no diabo nem na sua rebelião constante contra Deus e sua obra salvadora Cristo Jesus”.

No mesmo ato que o carmelitano registra essa entrada dos poderes infernais, ele confia na intervenção onipotente de Nosso Senhor Jesus Cristo:
“Os argumentos se multiplicam em seu jornal “El Ermitaño” desde 1868 até 1873 e confluem essencialmente na chegada do Reino de Deus, disse a conferencista.

A queda dos demônios no inferno será o signo do triunfo da Igreja, palavras de Palau: “é mandato para o apóstolo seguidor de Jesus: daemones effugate, infirmos curate e tem fundamento na Fé da missão de Jesus a sua Igreja. Acreditai nesse poder”.

Santa Cruz de Vallcarca, capela atual sobre a capela de Els Penitents, demolida pelo ódio revolucionário
Santa Cruz de Vallcarca, capela atual sobre a de Els Penitents,
demolida pelo ódio revolucionário
Por isso no bairro periférico de Vallcarca, Barcelona, o Beato Palau criou uma casa de acolhida para possessos e para doentes sem recursos, conhecida como Els Penitents (Os Penitentes).

Naquela casa, explica Soror Josefa, “sua luta se voltou contra o inimigo do gênero humano que continua atacando a Igreja com raiva e furor”.

Para o grande carmelitano o exorcismo não era apenas uma arma para aliviar casos pessoais, aliás tão dramáticos.

Ele via mais longe e discernia um fenômeno universal: o esforço das hostes infernais para se apossar dos povos, deforma-los, afasta-los do bom caminho que outrora percorriam animados pelo Espírito Santo através da Igreja e da Civilização Cristã e assim afunda-los na infelicidade.

Para ele, cada batalha contra um demônio possuidor é um episódio de uma grande guerra que o demônio e seus asseclas declararam contra Cristo, sua Igreja, as nações cristãs e os fiéis.

Diz a especialista: “Palau fala de ‘guerra horrorosa’, de ‘fato histórico ante o olhar de todos’ e pondera a especial agressão contra Jesus e sua Igreja.

“O diabo é o pai de todas as revoluções.

“Tem apresentado combate como cabeça de bilhões de anjos rebeldes e com seu grito ‘Revolução! Guerra a Deus!’ se atrincheira na maçonaria, no espiritismo, na magia maléfica, se apodera dos corpos energúmenos, vítimas de malefícios, possessos”.





8 comentários:

  1. Muito interessante o texto! Achei todas as informações interessantes, mas gostaria de frisar a de que o Beato Palau tinha uma casa dedicada a acolher pessoas possessas ou doentes, sendo que alguns desses doentes poderiam ser pessoas, que além da doença, também sofriam de possessão.

    ResponderExcluir
  2. É impressionante, se pensarmos em termos dos problemas atuais, o grau de degradação moral e espiritual em que vive a sociedade hoje em dia, a visão de futuro, por assim dizer, que teve o Beato Palau. Foi um profeta mesmo! Pois é assustador como o mal tem destruído o mundo, os relacionamentos humanos, sobretudo a partir do âmbito familiar. E há também a destruição de indivíduos pelas forças do mal através das ações extraordinárias do demônio e dos espíritos malignos. Nesse sentido, o exorcismo é uma grande obra de misericórdia para algumas pessoas que, infelizmente, sofrem de algum distúrbio diabólico, inclusive a possessão.

    ResponderExcluir
  3. Obrigado por indicar a palestra da Soror Josefa Pastor! Eu assisti ao vídeo da palestra dela e achei interessante a palestra. Fiquei com uma impressão de que ela fala com conhecimentos de demonologia. O senhor saberia dizer se ele é demonóloga?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gostaria de corrigir um erro de digitação meu. Em lugar de "ele", entenda-se ela. Assim a frase fica: "se ela é demonóloga?"

      Excluir
  4. O Padre Fortea, que é um famoso exorcista espanhol, fala algumas coisas interessantes sobre os possessos na questão 174 da Summa Daemoniaca. De certa forma, ele reafirma com suas palavras o que outros exorcista também o dizem; como, por exemplo, o Pe. Gabriele Amorth. Me refiro ao fato de os possessos acabarem isolados socialmente, seja dentro de casa na família, ou irem parar em asilos psiquiátricos, quando não tem um destino mais cruel... (Cf. Summa Daemoniaca, Questão 174)

    Não era a toa que o Beato Palau se dedicou com misericórdia a pessoas com um destino tão cruel.

    ResponderExcluir
  5. Veja essa notícia!
    Curso sobre Ministério de Exorcismos para leigos acontece em Goiânia
    https://www.rccbrasil.org.br/eventos/index.php/artigos/1510-curso-sobre-ministerio-de-exorcismos-para-leigos-acontece-em-goiania

    ResponderExcluir
  6. Peço licença para partilhar mais uma notícia.
    Arcebispo de Goiânia fala a alunos no Curso sobre Ministério de exorcismos para leigos
    https://www.rccbrasil.org.br/eventos/index.php/artigos/1512-

    ResponderExcluir
  7. Esse ano, 2019, o curso anual sobre exorcismo do Vaticano foi aberto também a outras igrejas cristãs: anglicanos, luteranos, grego ortodoxos e pentecostais.

    Infelizmente, em português, não foi publicada nenhuma notícia sobre esse curso este ano. Quem quiser, poder conferir este texto em inglês:

    As satanic groups rise, Vatican opens up exorcism summit to non-Catholics
    https://www.foxnews.com/world/satanic-vatican-catholics-exorcism-summit

    ResponderExcluir