terça-feira, 6 de julho de 2021

Soeur Marie des Vallées e a feitiçaria incubada no “Século das Luzes”

Soeur Marie des Vallées assiste à Missa de São João Eudes. Chapelle Notre Dame de la Roquelle
Soeur Marie des Vallées assiste à Missa de São João Eudes.
Chapelle Notre Dame de la Roquelle
Luis Dufaur
Escritor, jornalista,
conferencista de
política internacional,
sócio do IPCO,
webmaster de
diversos blogs










O chamado Século das Luzes foi também uma época de grandes santos e almas de escol que opuseram uma luta heroica ao trabalho oculto das sociedades secretas.

Além dos santos mencionados no post anterior poderíamos acrescentar São Vicente de Paul (1581 – 1660), e a venerável Marguerita do Santíssimo Sacramento O.C.D. (1619-1648) a quem o Menino Jesus e São Luis denunciaram a corrupção reinante na França, se oferecendo ela como vítima para afastar a cólera celeste.

A carmelita iniciou o culto ao Menino Jesus de Beaune conhecido como “le petit Roi de grâce”, devoção que se espalhou na nobreza e atraiu ao próprio Luis XIII.

Essa devoção ao Menino Jesus se espalhou pela França contrariando o jansenismo reinante, sendo Santa Teresinha do Menino de Jesus no século XIX uma de suas mais proeminentes figuras.

Entre essas almas de escol houve leigos como o barão Gaston de Renty (1611 - 1649) muitas vezes presidente da Companhia do Santíssimo Sacramento.

Essa era composta por membros da nobreza e elites análogas e combatia no campo cultural-moral a revolução cultural que preparava a Revolução Francesa.


O barão de Renty quis ser cartuxo, mas as circunstâncias o levaram a fazer um casamento exemplar e ser pai de uma família numerosa.

Dotado de uma extraordinária capacidade articuladora expandiu a Companhia do Santíssimo Sacramento pela França, inspirou sua fundação de Montreal no Canadá – terra que jamais pisou.


Gaston de Renty e o Menino Jesus de Beaune. Vídeo, clique a foto para ver



Ele doou a imagem milagrosa do Menino Jesus de Beaune, e acredita-se que possa tê-la entalhado ele próprio.

“Sua devoção ao Menino Jesus, tão característica da espiritualidade do final do século XVII e dos séculos seguintes, não foi, no entanto, uma devoção ao “pequeno Jesus” pedindo que as crianças fossem boazinhas como as imagens.

“Sua devoção à Infância é a de um abandono radical de si mesmo, retomando o tema da Infância de Jesus, o que os quietistas condenados designavam erroneamente com os termos do abandono a Deus, da expropriação de si mesmo para quem alcançou o fim do caminho espiritual. (...)

“Encontramos em Gaston de Renty o misticismo medieval e do início da reforma católica ligada ao Concílio de Trento que no final do século XVII não era mais reconhecida”. Cfr. Gaston de Renty

O próprio Menino Jesus fez saber à venerável Margarida do Santíssimo Sacramento, carmelita em Beaune, que desejava lhe pedisse um filho para o rei Luis XIII e a rainha Ana de Áustria, casal que não tinha sucessão, com grave perigo para a unidade da França.

O nascimento de Luis XIV foi uma graça da Santa Infância, segundo relembrou o próprio Sagrado Coração de Jesus numa das mensagens ao rei por intermédio de Santa Margarita Maria Alacoque.

Venerável Margarida do Santíssimo Sacramento OCD
Venerável Margarida do Santíssimo Sacramento OCD
Em 1658 Luis XIV foi a Beaune para visitar a imagem, dada no meio termo pelo barão de Renty, em agradecimento pela graça de sua concepção.

As vidas e apostolado destas figuras cresceram admiravelmente com os ensinamentos e exemplos de Soeur Marie des Vallées.

Em ocasiões diversas a mística lhes desvendou uma via espiritual que até então não tinha sido excogitada pelo pela generalidade das almas melhores.

Assim figuras chaves da História giraram em volta da problemática da trocada de vontades com o Sagrado Coração de Jesus e de Nossa Senhora.

Uns agindo para o bem, outros infelizmente recusando, e outros ainda hesitando. E esse jogo condicionou o rumo da História.

A luta entre a Luz e as trevas


O racionalismo e o racionalismo reinantes nos séculos XVI, XVII e XVIII encobriram com enganosas aparências, por contraditório que possa parecer, a expansão em proporções surpreendentes da bruxaria e da magia – branca ou negra, no seio dos arautos do laicismo.

Esses apelavam ao poder de Satanás e seus anjos de perdição que infestavam a Europa desde a Renascença, especialmente na Itália, na Alemanha e na França.

A ânsia imoderada de riquezas, prestigio e cargos – sociais e/ou eclesiásticos – além dos prazeres carnais fazia que um número importante de pessoas que perderam a fé apelasse aos poderes ocultos.

Esse recurso cresceu tanto que e 1586, o Papa Sixto Quinto promulgou a bula “Cœli et terra creator Deus” proibindo todas as práticas ocultas: adivinhação, astrologia, necrologia, bruxaria, etc... que iam associadas naturalmente com o relaxamento dos costumes e eram cultivadas até nos conventos.

Paradoxalmente, a Normandia – terra de Soeur Marie des Vallées e de São João Eudes – era uma região gravemente perturbada pelo desenvolvimento do satanismo.

Especialmente, a diocese de Coutances, que era a de Soeur Marie des Vallées.

Sabbat das bruxas. Francisco Goya (1746 – 1828),
Museu del Prado, Madri
A floresta do Monte Étenclin era o lugar escolhido para sabbats que reuniam centenas de praticantes da bruxaria. As reuniões se passavam muito perto de onde vivia a Soeur.

Batalhas espirituais tremendas haveriam de acontecer, como veremos.

Foi também uma época em que as perturbações materiais e ideológicas reinavam por todo lado. Guerras incessantes, fomes, epidemias enchiam o clima de angústias.

E junto com a bruxaria e o satanismo pululavam “profecias” abstrusas e perturbadoras: anunciava-se uma nova monarquia, o retorno de Cristo a começar por 1584; corriam como água pestilenta as profecias de Paracelso e Nostradamus, etc.


Das visões de Soeur Marie: os espíritos malignos destruirão suas próprias obras
“É por isso que se cumprirão estas palavras do Espírito Santo: Salutem ex inimicis nostris et de manu omnium qui oderunt nos. Deus, por um poder admirável e por uma bondade incomparável, forçará nossos inimigos a contribuir para nossa salvação.

“Certa vez, ela ouviu as três pessoas divinas e a Virgem Maria falando aos demônios, impondo-lhes os seguintes mandamentos.

“Deus Pai disse: ‘Ide, eu vos envio como trombetas para acordar meus filhos que dormem na sombra da morte”, isto é, do pecado.

“Deus Filho disse-lhes: “Ide, Eu vos envio como núncios para anunciar a todos os homens que venham a Mim e que Eu tenho meus braços abertos para recebê-los.

“E o Espírito Santo lhes dizia: “Ide, Eu vos envio como servos para dizer a todas as almas que elas venham porque o festim de casamento está preparado e que todas as coisas estão prontas”.

“E também ouvi a Virgem Maria dizer a eles: ‘Ide, Eu vos envio como pregadores para anunciar a todos os homens que o reino de Deus está próximo pregando a penitência para eles’.

“Finalmente, ouvi a Santíssima Trindade dizendo a eles: ‘Ide, Eu vos mando como sargentos e arqueiros armados pela cólera para prender aqueles que não querem se converter’.

“Os demônios cumprirão todos esses mandamentos, porque possuirão todos aqueles que não desejarão se converter.

“Eles tornarão públicos seus pecados e os farão sofrer tantos tormentos que ficarão constrangidos a fazer penitência.

“Naquele momento, se um sacerdote quiser subir ao altar em pecado mortal, ficará possuído.

“Se ele confessar com dor, ele será liberado.

“Se ele voltar ao pecado, a possessão recomeçará.

“Aqueles que zombem dos possessos, dizendo ‘Ha! Como eles mereciam!’ ficarão possuídos.

“Por causa dos suplícios que os demônios aplicarão sobre eles, muitos quererão se matar por desespero, mas os diabos impedirão.

“São Rafael será enviado por Deus para curar os desesperados.

“São Miguel será enviado para liderar e levar as almas para Deus”. (p. 311-312)

Continua no próximo post: Sociedade secreta de feiticeiros se rebela contra Soeur Marie des Vallées


Nota : Todas as citações desta série de posts, salvo indicação em contrário, foram extraídas de “La vie admirable de Marie des Vallées et son abrégé rédigés par Saint Jean Eudes, suivis de conseils d’une grande servante de Dieu”, Centre Saint-Jean-de-la-Croix, Mers-sur-Indre, França, 2013, 693 páginas.

Coleção “Sources mystiques”, textos presentados e editados por Dominique Tronc e Joseph Racapé, CJM.


3 comentários:

  1. Achei o texto todo muito interessante! Obrigado por nos divulgar a vida dessa santa!

    Me chamou a atenção esta citação: “São Rafael será enviado por Deus para curar os desesperados."

    Que possamos ter mais devoção a São Rafael Arcanjo!

    ResponderExcluir
  2. Agora no século XXI, está havendo um retorno muito forte da bruxaria, satanismo e ocultismo. Acredito que isso tenha a ver com a proximidade do Anticristo. Os cristãos precisam estar preparados para a guerra espiritual.

    ResponderExcluir
  3. Veja esse comentário de um padre português sobre o final dos tempos.

    Padre Vitor Sousa - A Vinda de Jesus Cristo se Aproxima!

    https://www.rainhamaria.com.br/Pagina/26578/Padre-Vitor-Sousa-A-Vinda-de-Jesus-Cristo-se-Aproxima

    ResponderExcluir