segunda-feira, 20 de maio de 2019

Nossa Senhora mudou de idioma para ser melhor entendida pelos videntes

Mélanie dois anos depois da aparição

Luis Dufaur
Escritor, jornalista,
conferencista de
política internacional,
sócio do IPCO,
webmaster de
diversos blogs




continuação do post anterior: Nossa Senhora tenta sustar o braço de Nosso Senhor





Quando Nossa Senhora indicou aos videntes que as colheitas se estragariam em sinal do cumprimento da profecia, incluindo as batatas, Mélanie não entendeu a palavra batatas, pois Nossa Senhora falava em francês.

As crianças não o entendiam bem, pois no dia-a-dia usavam o “patois” da região, um dialeto do francês misturado com muitos particularismos regionais.

Nossa Senhora percebeu a dificuldade e disse:

“Ah! vocês não entendem o francês, meus filhos. Vou vos falar de outro modo”. 

E prosseguiu retomando em “patois” o que já tinha dito.

Então Maximin exclamou:

“Oh! não, minha senhora, isso não pode ser verdade!”.

“Sim, meu filho, você vai ver.”



E prosseguiu seu arrazoado:

“Que aquele que tem trigo não o semeie, senão os animais vão comê-lo.

“E se ainda brotarem alguns pés, na hora de batê-lo ele vai se desfazer em pó.

“Virá uma grande fome. Antes que venha, as criancinhas de menos de sete anos apresentarão um tremor e morrerão nos braços das pessoas que as cuidam.

“Os maiores farão penitência com a fome.

“As uvas se estragarão e as nozes se arruinarão”.

Enquanto fazia estes dolorosos anúncios, Nossa Senhora não cessava de derramar abundantes lágrimas.

Maximin dois anos depois da apariçãoEstes anúncios cumpriram-se fielmente na hora da colheita e serviram como prova da autenticidade da aparição e do segredo que Nossa Senhora comunicou naquela ocasião.

O Segredo

Estes anúncios cumpriram-se fielmente e serviram como prova da autenticidade da aparição de Nossa Senhora e do segredo que Ela comunicou na referida aparição.

Foi nesta visão que Nossa Senhora transmitiu a cada um dos pastores uma mensagem que só deveria ser revelada doze anos depois, em 1858.

Eles não sabiam, nem podiam saber, que naquele ano, Nossa Senhora voltaria se aparecer, mas em Lourdes, para dar formidáveis graças, armas espirituais para a realização dos pedidos de La Salette

Maximin explicou como a bela dama passou o segredo.

Embora conservasse o mesmo tom de voz “quando falava a Mélanie, eu não ouvia nada. E quando Ela me confiava seu segredo, Mélanie ficava completamente surda”.

Cada um viu que Nossa Senhora movia os lábios falando ao outro, mas nada entendeu.

Após confiar um segredo a cada um, os dois voltaram a ouvir tudo.


continua no próximo post: Primeiros milagres logo após a aparição


2 comentários:

  1. Certamente que Nossa Senhora sabia que eles não iriam entender se Ela falasse, como falou, em Francês. No entanto, mesmo assim, Ela começa falando em Francês e depois de perceber que as crianças não entendiam, muda para o dialeto local. Nossa Senhora já sabia disso, mas o que Ela faz aqui é dar uma catequese. Estava dizendo que a Igreja deve se comunicar na língua do povo, no vernáculo. A Igreja tem que se aproximar dos pobres, das pessoas em geral, e se fazer entender. Nesta catequese a Virgem aprova e abençoa o vernáculo que mais tarde se tornaria usual no Vaticano II, e critica o Latim, que foi abandonado mais tarde. Ela se veste como uma camponesa e se comunica na linguagem do local, Ela se adapta, como na África, no México e na China, toma as aparências do lugar em que aparece. Adapta-se na linguagem e na indumentária. Uma grande catequese dá á Igreja.

    ResponderExcluir
  2. Eu penso que essa interpretação não será correcta, pois não encontro analogia, entre os dois factos distintos: 1-Aparição de Nossa Senhora, solicitando conversão;2- Liturgia.
    O Latim é a Língua Oficial da Igreja. Todos sabemos que a Língua une um povo ou uma Nação, neste caso a Igreja Católica.

    ResponderExcluir