segunda-feira, 28 de março de 2016

Misericórdia farisaica no perseguidor dos bons.
Deus usará justiça com os ruins e misericórdia com os bons


Luis Dufaur
Escritor, jornalista,
conferencista de
política internacional,
sócio do IPCO,
webmaster de
diversos blogs




continuação do post anterior: Santa Brígida: infiltração na Igreja atrai a justiça de Deus. Nossa Senhora obtém a restauração da Igreja Militante

Significado da visão

Então Ele disse à sua esposa [Santa Brígida]:


– “Esposa minha, te escolhi e te revesti com Meu Espírito. Tu escutas Minhas palavras e as dos meus santos. Embora os santos vejam da mesma forma todas as coisas em mim, já que são espíritos, Eu agora vou também mostrar-te o que todas essas coisas significam.

“Afinal, tu que ainda estás no corpo, não me podes ver da mesma forma que eles, que são meus espíritos. Agora te mostrarei o que significam estas coisas.


Uma falsa pregação da misericórdia sugere que Deus é injusto

“A fortaleza da qual tenho te falado é a Santa Igreja, que construí com meu próprio sangue e o dos santos. Eu mesmo a cimentei com minha caridade e depois coloquei nela meus eleitos e amigos.

“Seu fundamento é a fé, ou seja, a crença em que Sou um Juiz justo e misericordioso.

“Este fundamento tem sido agora deturpado porque todos creem e pregam que sou misericordioso, mas quase ninguém crê que Eu seja um Juiz justo. Consideram-me um juiz iníquo.



“De fato, um juiz seria iníquo, se, à margem da misericórdia, deixasse os maus sem castigo de forma que pudessem continuar oprimindo os justos.

“Eu, porém sou um Juiz justo e misericordioso e não deixarei que o mínimo pecado fique sem castigo nem que o menor bem fique sem recompensa.


Os inimigos infiltrados perseguem os bons e blasfemam contra Deus

“Pelos buracos perfurados no muro, entram na Santa Igreja pessoas que pecam sem medo, que negam que Eu seja justo e atormentam meus amigos como se os cravassem em estacas.

“A estes meus amigos não se dá alegria nem consolo. Pelo contrário, são castigados e injuriados como se fossem demônios. Quando dizem a verdade sobre mim, são silenciados e acusados de mentir.

“Eles anseiam com paixão ouvir ou falar a verdade, mas não há ninguém que os escute nem quem lhes diga a verdade.

“Além disso, Eu, Deus Criador, estou sendo blasfemado. As pessoas dizem: ‘Não sabemos se Deus existe. E, se existe, não nos importa’.

“Jogam no chão minha bandeira e a pisoteiam dizendo: ‘Porque sofreu? Em que nos beneficia? Se cumpre nossos desejos estaremos satisfeitos, que mantenha Ele seu reino em seu Céu!’

“Quando quero entrar neles, dizem: ‘Antes morrermos que submeter nossa vontade!’

“Dá-te conta, esposa minha, que tipo de gente é! Eu os criei e posso destruí-los com uma palavra! Que soberbos são para comigo!


Com os falsos católicos será feita justiça e os fiéis conhecerão a divina misericórdia

“Graças aos rogos de minha Mãe e de todos os santos, permaneço misericordioso e tão paciente que estou desejando enviar-lhes palavras da minha boca e oferecer-lhes misericórdia. Se a quiserem aceitar, terei compaixão.

“Do contrário, conhecerão minha justiça e, como ladrões, serão publicamente envergonhados diante dos anjos e dos homens e condenados cada um deles.

“Como os criminosos são colocados nas forcas e devorados pelos corvos, assim eles serão devorados pelos demônios, mas não serão consumidos.

“Como as pessoas amarradas em cepos não podem descansar, eles padecerão dor e amargura em todas as partes.

“Um rio de fogo entrará por suas bocas, mas seus estômagos não serão saciados e sua sede e suplício se reavivarão a cada dia.

“Porém, meus amigos estarão a salvo, e serão consolados pelas palavras que saem de minha boca.

“Eles verão minha justiça junto de minha misericórdia. Revesti-los-ei com as armas do meu amor, que os tornarão tão fortes que os adversários da fé escorrerão diante deles como o barro; quando virem minha justiça, cairão em vergonha perpétua por haverem abusado de minha paciência”.


6 comentários:

  1. Um dia eu estava conversando com uma senhora e ela me perguntou se algo que ela tinha feito era pecado. Eu lhe respondi que ela não se preocupasse, que Deus é misericordioso. Ela então me respondeu: "Mas também é justo e justíssimo!" Eu então fiquei pensando: o mundo de hoje se esqueceu da justiça de Deus. As palavras de Nosso Senhor à Santa Brígida se aplicam perfeitamente aos dias de hoje.

    ResponderExcluir
  2. Realmente nos dias atuais,Satanás cegou muitos com o pretexto de que Deus é bonzinho etc...quantas vesez ouvi isso.... zombam de Deus e das pessoas que buscam a Deus com sinceridade quando falam por exemplo fulano é bonzinho,falam como se uma pessoa boa podesse se enganada com mais facilidade etc...assim justificam os erros ,os pecados e quando vejam uma pessoa que realmente temem a Deus, e quando digo temem não no sentido de ter medo de Deus mas sim de respeita-lo e adora-lo como se deve fazem zombar ,caluniar e tanta outras coisas,desculpe o desabafo mas é isso que acontece e vendo essas mensagens dou gloria ao altissímo pela sua justiça e misericórdia,só para terminar:os fariseus dos dias de hoje são sem dúvidas os falsos,tenho pena dessas pessoas que pensam que podem enganar a Deus,terão uma grande surpresa se não se converterem!!!.Louvado seja Nosso senhor Jesus Cristo!!!Essas mensagens da serva do Senhor Santa Brigida estão no site para download?Gostaria de baixa-la para medita-la melhor!!!Que Deus abençoem esta obra!Amém

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O referido livro está disponível no link abaixo do texto, este aqui: http://www.santos-catolicos.com/santos/santa-brigida-de-suecia/santa-brigida.php

      Excluir
    2. Ok,M.Maria,já estou baixando e brevemente irei lê e meditar muito obrigado!Que Deus te abençõe!

      Excluir
  3. O abuso da misericórdia não pode transformá-la num mau ou numa falsidade. Abuso é uma coisa, misericórdia outra coisa. Então mau é abusar da divina misericórdia. Jesus explica a Santa Brígida que a Fortaleza construída no Seu Sangue e no dos Santos é a Santa Igreja, cimentada na sua CARIDADE, ou seja, no Seu Amor, que é justiça e misericórdia. O fundamento da Igreja é a fé num Deus que é Juiz Justo e Misericordioso. Ora, aqui Jesus evoca os princípios de identidade e de simplicidade. Não nos esqueçamos de que Jesus é Deus, e que Deus é simples: "Deus simpliciter est", não há composição em Deus, o que permite afirmar, com São João da Cruz, que em Deus "tudo é Deus!". São João afirma que Deus é Amor. Ora, ele diz a essência mesma de Deus. Portanto, se Deus simpliciter est, segue que todos os atributos que qualificam a Deus são o que Deus é em essência. Portanto, se Deus é Caridade, na qual Jesus disse ter cimentado Sua Igreja, segue que em Deus Justiça é Amor, pois Deus é Amor, e Misericórdia é Amor, pois Deus é Caridade. A Justiça ou a Misericórdia serão falsas quando forem apresentadas distintas de sua essência, quando uma ou outra não exprimirem a essência mesma de Deus, quando não forem o que Deus é: Amor e perdão. A misericórdia nunca será um mau, a menos que seja concebida como indiferentismo religioso. O indiferentismo não se abre à misericórdia que purifica do pecado, que levanta o caído, mas simplesmente a despreza para continuar no pecado, abusando da misericórdia. Mas isso é muito complexo, pois não podemos saber quando alguém realmente abusa da misericórdia ou é um desesperado, se faz o mau por malícia ou por vício. Se for por vício, afirmam que quando se torna uma segunda natureza, deixa de ser pecado grave e é contado entre os veniais. Atribuem essa acepção a São Tomás. Para nós o castigo pode ser recebido como condenação, como ódio: a cólera divina. Mas nos provérbios está escrito que "Deus castiga a quem ama!" Portanto, em Deus os castigos são justiça e misericórdia. Uma coisa porém distingue os maus dos bons: a opressão, eles oprimem os bons. Mau é aquele que não pratica a bondade, bom o que a pratica. Jesus é um Juiz justo que não deixará o mínimo mau sem castigo, mas também não deixará o menor bem sem recompensa. Ora, os maus não conseguem reconhecer o mínimo bem, pois para eles mais pesa o mau que o bem. Maria, porém, reza para que Jesus permaneça misericordioso e Ele assim faz. Depois Jesus promete: "Eles verão minha justiça dentro de minha misericórdia." É o princípio de identidade e simplicidade em Deus, sem os quais cairemos no dualismo que divorcia os atributos divinos de sua essência. Por fim Jesus diz: "Revesti-lo-eis com as armas do Meu Amor..." Vemos hoje um Papa Francisco, um Bento VI, um São João Paulo II revestidos de Amor e Misericórdia. Abusar da misericórdia não é só entregar-se aos pecados, mas muito mais que isso, é recusar ser misericordioso, preferir a condenação à salvação, não deixar-se revestir do Amor de Deus, mas do espírito de Satanás, que não perdoa, mas só condena. Não perdoar, não ser misericordioso equivale a jogar a bandeira de Cristo ao chão. Por que Jesus morreu se não é pra sermos misericordiosos?
    Gerson

    ResponderExcluir
  4. Profecias que nos tocam profundamente ,hoje mais que nunca .]]
    Vivemos uma [eopca que se fundamenta na secularzação ,tecnologia e dinheiro a corromper almas e corpos .
    Obrigada

    ResponderExcluir