segunda-feira, 19 de julho de 2021

Sociedade secreta de feiticeiros
se volta contra Soeur Marie des Vallées

Soeur Marie des Vallées, dita La Sainte de Coutances
Soeur Marie des Vallées, dita A Santa de Coutances
Luis Dufaur
Escritor, jornalista,
conferencista de
política internacional,
sócio do IPCO,
webmaster de
diversos blogs







Continuação do post anterior: Soeur Marie des Vallées e a feitiçaria incubada no “Século das Luzes”



Soeur Marie des Vallées nasceu o dia 15 de fevereiro de 1590 em Saint-Sauveur-Lendelin, aldeia perto de Coutances, Normandia. Foi a terceira criança de um casal católico pouco praticante.

Desde criança Marie foi muito voltada para a religião. Após a morte de seus pais, sua juventude foi um calvário, passando de lar em lar, confiada a tios relaxados moralmente e/ou brutais no tratamento.

Aos dezenove anos era bonita e inteligente, não faltando candidatos para casamento. Nos costumes da região, ficar celibatário era considerado uma maldição e até sinal de possessão, mas Marie queria conservar sua virgindade.

Um pretendente recusado apelou para uma feiticeira. Essa soltou sobre ela um bruxedo que a atormentou durante três anos. Assanharam-se contra ela vários sorciers (bruxos ou feiticeiros), entre os quais um sacerdote.

Marie apelou então para o bispo diocesano de Coutances, Dom Nicolas de Briroy, que a acolheu em instalações do bispado e recomendou que fosse exorcizada.

As sessões foram muito penosas e os exorcistas constataram uma inusual insistência dos assaltos demoníacos decorrentes de sortilégios lançados incessantemente contra ela por assembleias de bruxos.

Soeur Marie des Vallées foi acusada de feiticeira e conduzida ao Parlamento de Rouen, que a processou com métodos semelhantes aos da tortura, reconhecendo-a possessa, porém sem culpa própria, concedendo até que se tratava de uma pessoa virtuosa.

Saint-Sauveur-Lendelin, a cidade onde nasceu a mística
Saint-Sauveur-Lendelin, a cidade onde nasceu a mística
Os eclesiásticos retomaram os exorcismos em condições muito penosas, porque os demônios se recusavam a abandoná-la devido à incessante conjuração dos bruxos contra ela.

São João Eudes, que haveria de ser seu confessor, confidente e anotador de sua vida, de suas obras e doutrinas, certa feita atendeu um satanista arrependido que lhe contou:

“Conheço um homem que infelizmente esteve envolvido nesse detestável partido pelo espaço de dez anos [...]

“Ele me garantiu que, quando se faz algo na terra para a glória de Deus, os maiores inimigos são os feiticeiros, que organizam reuniões para tramar os meios de impedi-lo, destruí-lo [...]

“Por causa disso, eles tentavam destruir a obra que a Divina Bondade fazia através da Sœur Marie”.

De 1609 a 1614, Marie foi como um campo de combate onde se travava grande batalha da guerra das trevas contra a Luz.

Na história da Igreja há santos que foram possuídos ou especialmente assediados pelo demônio.

No caso dela, por permissão divina, os exorcismos tinham pouco efeito, pois Deus desejava essa provação devido a uma grande obra que lhe desvendaria depois.

Paradoxalmente, Marie rezava pelos sorciers (bruxos), seus inimigos mais cruéis, que ela chamava de “os religiosos de Satanás”, pelas razões que veremos.

Marie não temia os demônios, porque sua experiência lhe tinha feito ver que são “as mais impotentes de todas as criaturas”, e instrumentos de que Deus se serve até para a conversão dos impenitentes.

Soa assombroso, mas acabaremos vendo o poder que ela adquiriu sobre os príncipes dos abismos.

Marie queria aniquilar os efeitos dos sortilégios nos homens que conduziam a França. E, inclusive, converter os feiticeiros em função de uma imensa batalha que se daria na Terra.

Madre Mechtilde (Matilde) do Santíssimo Sacramento fundou a primeira ordem consagrada à Adoração Perpetua
Madre Mechtilde (Matilde) do Santíssimo Sacramento OSB
fundou a primeira ordem consagrada à Adoração Perpétua.
Praticava os conselhos de Soeur Marie des Vallées
A serva de Deus Madre Mechtilde do Santíssimo Sacramento (1614 – 1698), fundadora da Ordem das Beneditinas da Adoração Perpétua do Santíssimo Sacramento, a primeira do gênero no mundo, iniciou a Adoração Permanente na colina de Montmartre (hoje Paris), aconselhada por São Vicente de Paulo. Não era ainda a famosa basílica de Montmartre, construída no século XIX.

A Madre teve de enfrentar os bispos jansenistas e galicanos, e manteve estreitas relações com Soeur Marie des Vallées, porque sua comunidade de Paris padecia muito por causa de ataques preternaturais provenientes dos bruxos e de seus sortilégios.

Soeur Marie des Vallées recomendou à congregação da Madre Matilde, como missão importante, a reparação pelos crimes dos magos.

Para salvar as almas que se perdem, Marie aceitou sofrer durante muitos anos os tormentos do inferno. No meio desta provação apareceu em sua vida São João Eudes.

A natureza das penas infernais era intelectual, mas repercutia em seu corpo com sentimentos de ódio, fome, morte e desespero.

Ela passaria ainda por outro período, que denominou “mal de douze ans”, e que foi um inferno pior. Afligiram-na sete estranhas febres, representando os sete pecados capitais.

Nessas circunstâncias adversas, segundo São João Eudes, Nossa Senhora conduzia “seu sacrifício até a perfeição”. 
Naquela época, muito provavelmente Marie já estava estigmatizada e as chagas sanguinolentas eram visíveis.


Das visões de Soeur Marie: vítima expiatória pelos pecados dos homens

Cristo fazendo Justiça, Fairford, Inglaterra
Cristo fazendo Justiça, Fairford, Inglaterra
Um dia, cuja data São João Eudes não precisa, Soeur Marie des Vallées viu a Justiça divina descendo dos Céus para cobrar dos homens o que devem.

Atrás dEla vinha a Ira de Deus como uma enchente que ia submergir o mundo por culpa de seus pecados. Ela tinha na mão uma espada, flechas e um raio.

Mas, a Caridade saiu a seu encontro e a convidou a uma refeição e lhe ofereceu um vinho tão precioso que a Justiça se adormeceu. Então a Caridade pegou suas armas e as cravou em Soeur Marie.

Quando a Justiça acordou se mostrou tão satisfeita que desistiu do castigo que ia aplicar ao mundo e convidou à Caridade a um festim que Ela iria lhe oferecer no Céu.

O que é que isso significava? Escreve São João Eudes:

“É que a Justiça divina estava pronta para condenar a todos por causa de seus pecados; mas a Caridade divina lhe ofereceu uma refeição que são os sofrimentos da Soeur Marie, em cujo sangue a espada e as flechas da justiça divina foram embebidas. (...)

“mas depois que Nosso Senhor os abençoou e os converteu, inundou toda a Terra com um dilúvio de graças e bênçãos”. (p. 331-332)

E ainda outra vez, Nosso Senhor lhe falou dos três dilúvios comentando o Libro da Sabedoria (1, 7) onde diz Spiritus Domini replevit orbem terrarum [O Espírito do Senhor encheu a Terra toda], porque isso se deve entender do momento em que o Espírito Santo ateará o fogo do amor divino pela terra toda e fará seu dilúvio.

“Pois há três inundações que são tristes, todas enviadas para destruir o pecado.

“O primeiro dilúvio foi do Pai Eterno, e foi um dilúvio de água.

“O segundo foi o dilúvio do Filho, que foi um dilúvio de sangue.

“O terceiro, o dilúvio do Espírito Santo, será um dilúvio de fogo, mas será triste como os outros, porque encontrará muita resistência e muita madeira verde que será difícil de queimar”. (p.332)

E em 1639 completou: “sabei que quando a minha misericórdia virá no tempo da grande tribulação, ela jogará todas as criações dos homens pelas janelas e as esmagará, quer dizer os pecados que são produto dos pecadores.

“Será minha divina Misericórdia que fará esse massacre e que executará todos esses castigos, mas não a reconhecerão enquanto tal; acreditar-se-á que foi a Justiça porque Ela vira revestida com as roupagens da Justiça”. (p. 335)





Nota importante: Todas as citações desta série de posts, salvo indicação em contrário, foram extraídas de “La vie admirable de Marie des Vallées et son abrégé rédigés par Saint Jean Eudes, suivis de conseils d’une grande servante de Dieu”, Centre Saint-Jean-de-la-Croix, Mers-sur-Indre, França, 2013, 693 páginas.

Coleção “Sources mystiques”, textos presentados e editados por Dominique Tronc e Joseph Racapé, CJM.


5 comentários:

  1. Estou gostando muito dessa séria sobre a Soeur Marie des Vallées!!!
    Os sofrimentos que ela sofreu em decorrência dos feitiços que lançavam sobre ela são uma luz sobre os nossos tempos, pois hoje também há uma grande prática de bruxaria/ocultismo.
    A Soeur Marie des Vallées nos mostra que até mesmo os sofrimentos causados pelo demônio podem servir para nossa salvação. Mas ela era uma vítima pura. Agora coitados dos que devido ao pecado sofrem nas mãos de Satanás. Mesmo assim não é em vão, se buscam a salvação eterna. Que possam ser auxiliados por exorcistas. A força e a oração dos exorcistas trazem grande alívio e força nos sofrimentos. Que os bispos possam nomear mais exorcistas!

    ResponderExcluir
  2. Embora isto não se aplique ao caso da Soeur Marie des Vallées, pois ela fez uma opção livre pelo celibato, é comprovado pelos exorcistas que a pessoa possessa não consegue se casar. O Pe. Gabriele Amorth costumava dizer que a pessoa possessa que chega aos 40 anos sem se casar, depois disso não consegue mais. O demônio gosta de ver as pessoas na infelicidade e tristeza.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acredito que deve ser o demônio asmodeu que aparece no livro bíblico de Tobias. É preciso a devoção a São Rafael Arcanjo para se livrar dele...

      Excluir
  3. "Assanharam-se contra ela vários sorciers (bruxos ou feiticeiros), entre os quais um sacerdote."

    Como é triste essa realidade: sacerdotes corrompidos e apóstatas que se entregam ao ocultimo, satanismo, etc.

    Quando o juízo de Deus cairá sobre esses sacerdotes infieis que servem ao demônio???

    ResponderExcluir
  4. Se formos pensar no tanto de bruxarias e feitiços que as pessoas fazem ou mandam fazer nos dias de hoje, a situação é muito preocupante!!! Fazem-se necessários muitos exorcistas! Não é à toa que o saudoso Pe. Gabriele Amorth propunha que todos os sacerdotes tivessem a faculdade de exorcizar. Pena que não foi atendido. Porém é muito triste a situação de tantas pessoas destruídas por magia negra.

    ResponderExcluir