segunda-feira, 18 de setembro de 2017

Mais santos e beatos que elogiaram
e recomendaram a aparição de La Salette

São João Maria Vianney: “Monsenhor, há poucos sacerdotes em vossa diocese que tenham feito tanto quanto eu por La Salette”
São João Maria Vianney: “Monsenhor, há poucos sacerdotes em vossa diocese
que tenham feito tanto quanto eu por La Salette”
Luis Dufaur
Escritor, jornalista,
conferencista de
política internacional,
sócio do IPCO,
webmaster de
diversos blogs





São João Maria Vianney

O célebre Cura de Ars, São João Maria Vianney (1786-1859), foi ordenado sacerdote na catedral de Grenoble, diocese da maravilhosa aparição. Ele foi acusado pelas maledicências de ser contra La Salette, sofrendo também análogas difamações.

Certa feita Maximin foi-lhe apresentado às pressas, e ocorreu um mal entendido que foi aproveitado contra os dois.

Tendo em vista desfazer essa confusão, Mons. de Bruillard, bispo de Grenoble, enviou carta ao santo sacerdote pedindo que desmentisse as murmurações.

Assim o fez São João Maria Vianney numa resposta onde podemos avaliar toda sua devoção à aparição:

“Ars, 5 de dezembro de 1850

“Monsenhor,

“Tenho uma grande confiança em Nossa Senhora de La Salette. Faço vir água da fonte. Abençoo e distribuo grande quantidade de medalhas e imagens representando esse fato.

“Distribuo pedacinhos da pedra sobre a qual a Santa Virgem teria sentado. Levo um pedaço continuamente comigo e até o fiz colocar num relicário.



São Pedro Julião Eymard: “eu iria pedir a meu bispo, de me consagrar
corpo e alma ao serviço de Nossa Senhora de La Salette”
“Falo muito frequentemente do fato na igreja. Parece-me, Monsenhor, que há poucos sacerdotes em vossa diocese que tenham feito tanto quanto eu por La Salette”. (Jean Stern, La Salette – Documents authentiques: dossier chronologique intégral, Éditions du Cerf, Paris, vol. 3, 1991, p. 161)

São Pedro Julião Eymard

O ardoroso apóstolo da adoração eucarística, São Pedro Julião Eymard (1811-1868), nasceu em La Mure, cidade que dista 40 quilômetros de La Salette.

Ele foi ordenado sacerdote pelo mesmo Mons. de Bruillard, bispo diocesano que aprovou oficialmente as aparições de La Salette e proibiu também oficialmente que alguém falasse mal delas.

São Pedro Julião Eymard foi testemunha da cura de Marguerita Guillot, que invocara a graça de Nossa Senhora de La Salette.

Ingressou na Sociedade de Maria (maristas) e depois fundou a Congregação dos Padres do Santíssimo Sacramento, após peregrinar a La Salette.

Ele conhecia Maximin e foi diretor espiritual da mãe adotiva do vidente. Faleceu em 1º de agosto de 1868, na sua cidade natal. Seu último gesto foi apertar contra o peito uma imagem da aparição.

Ele deixou escrito no livro de visitas do santuário de La Salette:

“Tive a honra de ser o primeiro a proclamar em Lyon o fato milagroso da aparição. E hoje estou feliz por vir beijar com amor e reconhecimento esta terra abençoada, esta montanha da salvação...

“Se eu não fosse marista, iria pedir a meu bispo, como o favor mais insigne, de me consagrar corpo e alma ao serviço de Nossa Senhora de La Salette”.

Vendo a morte se aproximar o Santo quis celebrar sua última Missa no altar de Nossa Senhora de La Salette na capela dos Missionários de La Salette em Grenoble. Cfr.

Venerável Leão Papin-Dupont

Leão Papin-Dupont (1797-1876), aristocrata francês conhecido como “o santo homem de Tours”, promoveu na França cruzadas de reparação das blasfêmias.

Entre elas figura a construção da basílica que custodia o túmulo do padroeiro do país, São Martinho de Tours.

A antiga basílica fora devastada pelos protestantes. Depois a Revolução Francesa a demoliu e fez passar uma rua por cima do túmulo do padroeiro nacional, para garantir que seria esquecido definitivamente.

A Sagrada Congregação para a Causa dos Santos proclamou a heroicidade das virtudes do Venerável Leão Dupont em 21-3-1983.

No decreto, a aparição de La Salette figura como um dos acontecimentos que levaram o Venerável Leão Dupont a crescer em virtude e se engajar no apostolado.

Assim que soube da aparição, o venerável instou o pároco de Corps a lhe enviar mais e mais notícias dela.

“Nossa misericordiosa mãe – escreveu ele – apresentou-se. Ai de nos! Ela encontrará corações mais duros que a pedra de La Salette.

“É o que se precisa temer, quando se conhece onde está o século. Mas é necessário estar certo, ao mesmo tempo, de que grande número de almas vai re-encontrar a luz”. (Jean Stern, La Salette – Documents authentiques: dossier chronologique intégral. Desclée de Brouwer, Paris, 1980, p. 270).

O Venerável Dupont peregrinou a La Salette e voltou tocadíssimo pelo espetáculo de piedade que ali viu.

“Tudo isto é positivo – escreveu a um caro amigo – e dá margem para pensar que, num porvir muito próximo, será dado um grande golpe contra a impiedade”. (Jean Stern, La Salette – Documents authentiques: dossier chronologique intégral. Éditions du Cerf, Paris, 1984, vol. 2, p.112).

Ele promoveu a criação da Arquiconfraria Reparadora da Blasfêmia e da Profanação do Domingo, canonicamente erigida na diocese de Langres.

A associação visava especialmente reparar a Santa Face de Nosso Senhor Jesus Cristo ultrajada, e tirava a inspiração em La Salette.

O Beato Pio IX quis se inscrever ele próprio na arquiconfraria, estimulando sua rápida expansão. Ela chegou a existir em 68 dioceses. Toda a família de Santa Teresinha do Menino Jesus ingressou nela.

São Luís Orione (don Orione) (1872-1940)
Mais santos e beatos

São quase incontáveis os santos, beatos e almas virtuosas que peregrinaram a La Salette ou foram seus devotos.

Entre eles podemos mencionar:

São Luís Orione (don Orione) (1872-1940);

São Leonardo Murialdo (1828-1900);

São Daniel Comboni (1831-1881);

Santa Madalena Sofia Barat (1776-1865);

Santa Maria Eufrásia Pelletier (1796-1868);

Santa Emilia de Rodat (1787-1852);

Beato Jacobo Cusmano (1834-1888);

Beato Antônio Maria Chevrier (1826-1879);

Beato Francisco Spinelli (1853-1913);

Beato Eduardo José Rosaz (1830-1903).


2 comentários:

  1. Interessantes e edificantes esses testemunhos! Bendita seja Nossa Senhora de La Salette! Obrigado por partilhar!

    ResponderExcluir
  2. Veja que terrível!
    Desfile de moda satânico dentro da Igreja anglicana de Saint Andrew, no centro de Londres. Não foi nada menos que uma missa negra satânica, a passar na passarela
    http://www.rainhamaria.com.br/Pagina/21532/Desfile-de-moda-satanico-dentro-da-Igreja-anglicana-de-Saint-Andrew-no-centro-de-Londres-Nao-foi-nada-menos-que-uma-missa-negra-satanica-a-passar-na-passarela

    ResponderExcluir