quarta-feira, 18 de setembro de 2013

O olhar irreproduzível de Nossa Senhora de La Salette

Os olhos são o resumo da face e a quintessência de toda a expressão do corpo. Como é que se exprimiria a alma de Nossa Senhora na parte de seu corpo santíssimo que é a mais expressiva?

“Os olhos da Santíssima Virgem, nossa terna mãe, não podem ser descritos por uma língua humana.

“Para deles falar, seria preciso um serafim, seria preciso a própria linguagem de Deus, de Deus que formou a Virgem Imaculada, obra prima de seu poder.

Realmente, é o sublime. O próprio do sublime é não poder ser descrito por língua humana.

“Os olhos da augusta Maria pareciam mil e mil vezes mais belos do que os brilhantes, os diamantes e as pedras preciosas.

Mais uma vez ela compara não só as lágrimas de Nossa Senhora, mas também os olhos dEla com cristais, com pedrarias.

“Eram como a porta de Deus de onde se podia ver tudo aquilo que pode encantar a alma.

A expressão é magnífica. Porque na Ladainha se diz: Nossa Senhora Janua caeli, porta do Céu.

E, realmente, Nossa Senhora é a mais clara manifestação de Deus, mais do que qualquer anjo. E quem olhar, portanto, os olhos de Nossa Senhora, olha a mais alta manifestação de uma alma que é o espelho da justiça de Deus.


Mais transcendente, apenas o olhar de Nosso Senhor Jesus Cristo. Que não há palavras para falar.

Se a gente pensar nos mil olhares de Nosso Senhor, e acompanhar as cenas do Evangelho pensando no olhar que Ele tinha daria uma meditação dos Evangelhos superabundante, magnífica.

Imaginando como era a Sagrada Face. As duas imagens onde uma meditação assim melhor se possa fazer são o Santo Sudário e o Beau Dieu d'Amiens, que pelo que eu conheça, é a mais bela imagem de Nosso Senhor.

Então continua:

“Somente essa visão dos olhos da mais pura das Virgens seria suficiente para ser o Céu de um bem-aventurado.

Fala da mais pura das virgens e como é que não poderia ser puríssima? Eu tenho impressão que é um olhar castificante.

Quem olhasse esse olhar, poderia ficar casto a vida inteira na hora. Só porque seu olhar conseguiu fitar o olhar imaculadamente puro de Nossa Senhora.

“Seria suficiente para fazer uma alma entrar na plenitude das vontades do Altíssimo, entre todos os acontecimentos que sucedem no curso da vida.

“Quem visse os olhos de Nossa Senhora faria a vontade de Deus para sempre. Seria suficiente para impelir uma alma a contínuos atos de louvor, agradecimento, reparação e expiação.

São os atos de culto: louvor, agradecimento, expiação e reparação. Quer dizer, bastaria isso para ter tanto o que louvar, tanto que expiar, tanto para reparar, tanto para dar ação de graças, que a vida inteira se passaria nisso.

“Somente essa visão concentra a alma em Deus e a torna como uma morta-viva, que olha as coisas da terra sem importância...

Depois que uma pessoa viu isso não dá importância a mais nada, que só dá importância a não pecar.

Vamos pedir a Nossa Senhora de la Salette que nos dê uma impregnação de algo de todas essas graças na alma.



E que, sobretudo, nós tenhamos a apetência de ver os sagrados olhos e Nossa Senhora no Céu, o espelho de Sua face, espelho de Seu coração.

Imaginem que o Céu fosse só isto: nós, a vida inteira, a eternidade, sentirmos sobre nós, fitados, os olhos de Nossa Senhora. E fitados os olhos divinos de Nosso Senhor Jesus Cristo.

Ainda que não houvesse mais nada, haveria matéria para nós sermos inundados de felicidade eternamente.

Coroação de Nossa Senhora no Céu. Gentile da Fabriano (1370-1427), Museu Paul Getty
Então, para nos dar o desejo do Céu, nós devemos pensar uma eternidade nesses olhos, contendo todas as variedades de expressão, de amor para conosco, de sublimidade, de grandeza de Deus.

Tudo isso pousado sobre nós a nos ver, e a nos analisar, a se embeber em nós, e nós embebidos eternamente neles.

Não precisaria mais nada para a gente ter um imenso desejo do Céu.

(Comentários: Plinio Corrêa de Oliveira, 19/09/66. Sem revisão do autor)


Um comentário:

  1. Maria das Graças Dourado Pimenta19 de setembro de 2013 15:18

    Que Nossa Senhora de La Sallete mantenha seu olhar sobre nós e também não desviemos nossos olhos da fonte da santidade.

    ResponderExcluir