segunda-feira, 3 de junho de 2013

Surto de peregrinações penitênciais e conversões

La Salette, surto de penitentes
Surto de peregrinações penitenciais marcou a primeira época de La Salette
O povo da região, inspirado pela aparição de La Salette, compreendeu a situação. E de início, ao menos, reagiu bem.

A falta de alimentos e a mortandade inusual das criancinhas foram determinantes para mover as almas à penitência.

Mas sobretudo todos tinham o pressentimento de que aquilo era um sinal de castigos muito mais graves que haveriam de vir.






Cresceram peregrinações penitenciais e multiplicaram-se as conversões. O próprio pároco de Corps descreve este movimento inspirado pela graça divina:

“A montanha parece se abaixar, e as asperezas desaparecerem. Crianças, velhos, mulheres idosas, mulheres grávidas, todos se precipitam em direção ao local, chegam suarentos e ofegantes, bebem da fonte e descem felizes e contentes. (...)

Nossos homens, inclusive aqueles de consciência dura, vencendo o respeito humano, esquecem o que são para se tornarem cristãos”.

O Pe. Melin vendo esse espetáculo de penitência e de conversão, após muito refletir concluiu que esses castigos acabaram fazendo um grande bem. Se viessem punições ainda mais doloridas e gerais, trazendo um bom efeito proporcional, era o caso de desejá-las, julgava ele.
La Salette: o sol sobre o local da aparição
La Salette: o sol sobre o local da aparição
“Eu desejo agora – escreveu – com todo o meu coração que ele [o castigo anunciado por Nossa Senhora] se realize.

Mais vale uma forte comoção que abale e purifique a chama da fé, do que vê-la desaparecer sob a poeira e a cinza com que está sendo coberta.

A sociedade se perde, o mundo não dá mais. Nas paróquias os braços do clero caem de cansaço. É também o caso dos pregadores ambulantes.

Sem ser profeta se poderia anunciar que estamos nas vésperas de grandes acontecimentos”.

As igrejas tornaram-se lotadas, os casais regularizaram situações irregulares, o repouso dominical passou a ser rigorosamente observado, não se ouviam mais blasfêmias, cessaram de vez os espetáculos e festas imorais ou levianas. O pai de Maximin converteu-se e recebeu a comunhão.

Teve lugar uma inimaginável e rápida mudança corretiva dos maus costumes, bafejada de modo suave e vigoroso pela graça. Era a penitência, o início da conversão pedida por Nossa Senhora.

2 comentários:

  1. MÃE de Misericórdia, rogai por nós e por todos os teus sacerdotes!!!

    ResponderExcluir
  2. Maria das Graças Dourado Pimenta3 de junho de 2013 21:50

    Teria sido assim também em Fátima, uma grande conversão ou apenas poucas pessoas se converteram a exemplo dos pastorinhos? O povo tem o coração tão duro que só mesmo com terríveis castigos poderão voltar-se para Deus. Salve Maria!

    ResponderExcluir