segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013

O beato Francisco Palau y Quer O.C.D. anteviu para nossa era a libertação de Satanás anunciada no Apocalipse

Beato Francisco Palau y Quer O.C.D. (1811-1872)
Beato Francisco Palau y Quer O.C.D. (1811-1872)
Luis Dufaur
Escritor, jornalista,
conferencista de
política internacional,
sócio do IPCO,
webmaster de
diversos blogs






O bem-aventurado Francisco Palau y Quer O.C.D. nasceu no dia 20 de dezembro de 1811 em Aitona, na província espanhola de Lérida, e faleceu 20 de março de 1872 socorrendo as vítimas de uma epidemia em Tarragona.

Fundou em Barcelona a “Escola da Virtude”, modelo de ensino catequético. Em 1860-61 fundou congregações de irmãos e irmãs carmelitanas terceiras, que deram origem posteriormente às congregações de Carmelitas Missionárias Teresianas e às Carmelitas Missionárias.

Pregou missões populares e difundiu a devoção a Nossa Senhora. Foi beatificado em 24 de abril de 1988. Sua festa litúrgica se celebra em 7 de novembro.

O Beato Palau professou solenemente seus votos na Ordem Carmelitana em 15 de novembro de 1833, tempo de perseguição religiosa. Em 25 de julho de 1835 as turbas republicanas, socialistas e comunistas incendiaram os conventos e as casas religiosas, inclusive o convento do Beato.

Ele teve que partir para o exílio e usou o resto de sua vida o hábito carmelita por baixo de uma batina de padre secular.

Visite nossas páginas de Quaresma, Semana Santa e Páscoa 
 † Veja e medite a VIA SACRA AQUI †

Escolheu para morar uma gruta a dois quilômetros de Aitona, hoje conhecida como Cueva del Padre Palau e transformada em santuário mariano.

Mas a perseguição chegou até ali. Ele sofreu atentados de morte e teve de partir para o exílio na França, onde residiu por onze anos até 1851. Na França, a sua fama de santidade se espalhou entre o povo e a nobreza, pelo que também foi perseguido pelo anticristianismo.

Voltou à Espanha em 13 de abril de 1851. Nomeado diretor espiritual do seminário diocesano de Barcelona, ele organizou a “Escola da Virtude” na paróquia de Santo Agostinho.

Gruta de Aitona, onde foi ermitão, hoje é local de romaria
Gruta de Aitona, onde foi ermitão, hoje é local de romaria
O extraordinário sucesso da Escola em tirar o povo da influência revolucionária anticristã motivou arruaças socialistas e comunistas.

O governo liberal desterrou então o Beato Palau para a ilha de Ibiza, onde ele permaneceu durante seis anos e fundou uma ermida consagrada a Nossa Senhora das Virtudes, primeiro santuário mariano da ilha.

É autor de vários livros. No fim de sua vida dirigiu e foi o principal redator do semanário “El Ermitaño”, onde publicou suas reflexões sobre o presente e o futuro da Igreja. Seus escritos se destacam pelas suas luzes proféticas.

Nos anos finais de sua vida o Beato Palau trabalhou muito como exorcista. Até concebeu o projeto de uma Ordem de exorcistas e enviou ao Concilio Vaticano I um amplo escrito sobre o tema.

Muitas das formulações mais caras ao Beato encontram-se incluídas no exorcismo para uso público e privado aprovado por S.S. Leão XIII.

Em seu jornal “El Ermitaño”, o Beato Palau tratou especialmente dos eventos de sua época.

Ele via os problemas religiosos, políticos, sociais, econômicos – e até tecnológicos – como fazendo parte de um só e imenso movimento que, animado por Lúcifer e seus sequazes, procurava derrubar a Igreja Católica e a ordem social cristã.

Arguto e intenso analista das informações que chegavam a Barcelona através dos jornais e telégrafos, ele teceu visualizações inspiradas pela Fé e pelos seus estudos teológicos às quais é difícil recusar uma inspiração profética.

Sua linguagem, como era usual em seu tempo, utiliza muitas figuras e símbolos.

Por exemplo, no artigo seguinte, intitulado “Um cometa”, publicado em 25 de Agosto de 1870. O cometa simboliza aqui a libertação de Satanás para fazer o dano ao mundo previsto no Apocalipse:

Exilado a Ibiza, ia ao rochedo Vedrà (foto) a fazer retiro espiritual
Exilado a Ibiza, ia ao rochedo Vedrà (foto) a fazer retiro espiritual
“Eu vi um cometa, o mesmo cometa, aquele sinal misterioso, sobre o qual fiz tantas reflexões. Sua cauda tinha forma de espada, de uma espada de fogo que lançava bolas de fogo em direção à terra. Eu fiquei atento olhando para a espada. Horrivelmente fiquei tomado de espanto, porque apareceu uma mão misteriosa que empunhou a espada, e na hora pelo orbe inteiro se ouviram hinos de guerra: guerra no mundo oficial político, guerra entre os reis, guerra por razões de interesse puramente material.

“Enquanto eu olhava a mão que empunhava a espada de aço voltada contra a cabeça dos reis, saiu do cometa outra cauda, e apareceu na hora uma outra mão que pegou a cauda do cometa que era toda de fogo e em forma de espada, e entre trovões e relâmpagos a espada jogava raios e faíscas contra o globo terrestre, e as duas espadas, batendo entre elas, acendiam sobre a terra a mais encarniçada guerra que os séculos já viram: na política e na religião: uma guerra universal. (...)

“O cometa era um sinal colocado no firmamento do mundo espiritual. Ele joga uma luz que ilumina a história presente e vindoura deste mundo material visível onde acontece a atividade humana. (...)

“A luz desse cometa ilustra o cumprimento desta profecia: ‘Satanás será solto da prisão. Sairá dela para seduzir as nações dos quatro cantos da terra’ (Apoc. cap. XX, 7-8).

“À luz deste cometa se vê a obra de Satanás, aquele mistério de iniquidade que começou a se tramar contra a Igreja, quando Ela estava ainda em seus primórdios. Satanás desencadeado seduziu todos os reis e todos os príncipes da terra; ele voltou suas espadas e cetros contra a Igreja: esta é a sua obra.

“O cometa mostra duas mãos e as duas empunham uma espada, e as duas vão contra Cristo e sua Igreja, e anunciam uma guerra igual à dos primeiros séculos, porém mais horrorosa, sem comparação. (...)

“Satanás desencadeado consumou sua maldade, porque obteve nesta ordem material política a apostasia de todos os reis e governos.

“Eu, o Ermitão, percebendo este fato, peguei dois pedaços de madeira, fiz uma Cruz e escrevi nela Quis ut Deus? (...)

“O cometa significa e desvenda o desencadeamento e a libertação do diabo e, em consequência, a apostasia predita pelo apóstolo: um reino de trevas e de maldade, uma época de incredulidade e de erros.

“O cometa descobre anátema, maldição, morte, guerra anarquia social, dias de luto e pranto; e quando o Ermitão vir este sinal, quer dizer, o diabo desencadeado, vos dirá, e vos repetirá sempre a mesma coisa, certo de que o tempo confirmará a verdade destes fatos.”

10 comentários:

  1. Gostei muito desse artigo. Já tinha lido antes sobre ele em uma entrevista com Pe. Gabrielle Amorth. A propósito, o senhor teria mais informações sobre a atividade de exorcista do Beato Francisco Palau?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Prezado Alex,
      Desejamos publicar mais escritos do Beato Palau na medida que formos traduzindo sua abundante produção apologética em função dos dias atuais.
      atenciosamente

      Excluir
  2. A entrevista que eu li e que eu mencionei foi publicada na Revista Catolicismo, bem como no site Lepanto. Se me permite, gostaria de partilhar o trecho dela em questão. Acredito que os outros leitores também vão gostar de lê-la.

    Catolicismo - V. Revma. baseia-se em alguma escola espiritual, em algum Santo, para tomar uma posição tão louvável quanto destemida?

    Pe. Amorth - Eu procuro seguir a linha iniciada por um santo espanhol, o Beato Francisco Palau, carmelitano, que já em 1870 veio a Roma falar sobre o exorcismo com o Papa Pio IX. Voltou depois a Roma durante as sessões do Concílio Vaticano I, para que se tratasse da necessidade de exorcistas. Com a interrupção daquele Concílio em razão da tomada de Roma, o assunto sequer foi levantado.

    http://www.lepanto.com.br/dados/DCsat2.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Prezado Alex,
      Agradecemos a lembrança. Conheço bem a revista CATOLICISMO na qual tenho a honra de escrever. E seu comentário nos anima a republicar neste blog essa importante entrevista, assim que a agenda permita.
      Atenciosamente,

      Excluir
    2. Prezado Luis, eu já li vários artigos da Revista Catolicismo, mas não sou assinante dela (infelizmente). Não sabia que o senhor escrevia para ela. É uma agradável supresa saber disso, pois gosto dos blogs que o senhor escreve. Fico contente também de saber que meu comentário foi útil.
      Cordialmente, Alex.

      Excluir
    3. O cometa por um acaso seria aquele raio que caiu no Vaticano após a renúncia do Papa Bento XVI?

      Isso só o tempo dirá...

      Excluir
  3. Obrigado pelo artigo! Deus lhe pague. O senhor sabe se seria possível encontrar os semanários originais El Ermitaño do Beato Francisco Palau? Tenho procurado, mas somente encontrei excertos deles.

    ResponderExcluir
  4. SALVE MARIA!, Sr. LUIS OU RESPONSAVELS DO BLOG, VOCÊS TEM ESCRITOS DO BEATO PALAU QUE POSSAM-ME PROVIDENCIAR?, ESPECIALMENTE O JOURNAL DO ERMITAÑO, SE ESTÁ EM ESPANHOL MUITO MELHOR, JÁ QUE É MINHA LÍNGUA NATIVA.. DEUS LHES PAGUE! NOSSA SENHORA OS ABENÇO

    ResponderExcluir