quarta-feira, 21 de março de 2012

Sofrimentos de Pio IX. Caos e anarquia universal -- Continua o segredo

Beato Pio IX, foto que perteneceu a Don Bosco
Beato Pio IX
Prossegue o segredo de La Salette:
“O Vigário de meu Filho terá muito que sofrer, porque durante algum tempo a Igreja será entregue a grandes perseguições. Será o tempo das trevas, e a Igreja passará por uma crise pavorosa.

“Tendo sido esquecida a santa fé em Deus, cada indivíduo desejará guiar-se por si próprio e ser superior a seus semelhantes. Serão abolidos os poderes civis e eclesiásticos.

“Toda ordem e toda justiça serão calcados aos pés. Não se verá outra coisa senão homicídios, ódio, inveja, mentira e discórdia, sem amor pela pátria e sem amor pela família.

“O Santo Padre sofrerá muito. Eu estarei com ele até o fim, para receber o seu sacrifício. Os maus atentarão várias vezes contra sua vida sem poder abreviar seus dias, mas nem ele nem seu sucessor ... verão o triunfo da Igreja de Deus”.


Sonho de São João Bosco sobre o Papa e o Vaticano

A gravidade destes anúncios é realçada pelas semelhanças com o sonho de São João Bosco, que se parece referir à mesma conjuntura histórica. O próprio santo comunicou-o ao Beato Papa Pio IX em 1873:

São João Bosco
São João Bosco viu o Papa saindo de Roma
“Era uma noite obscura, os homens não podiam mais discernir qual fosse a via a seguir para voltar a seus países, quando apareceu no céu uma luz esplendorosíssima que clareava os passos dos viajantes como no meio dia. Naquele momento foi vista uma multidão de homens, mulheres, velhos, jovens, monges, monjas e sacerdotes, tendo à cabeça o Pontífice, sair do Vaticano enfileirando-se em forma de procissão.

“Mas um furioso temporal, obscurecendo um tanto aquela luz, parecia se engajar na batalha entre a luz e as trevas. No meio tempo cheguei a uma pequena praça coberta de mortos e feridos, muitos dos quais pediam auxílio em altas vozes.

“As filas da procissão rarefizeram-se bastante. Depois de ter caminhado por um período de tempo que corresponde a duzentos amanheceres, cada um se deu conta que não estavam mais em Roma. O desânimo apoderou-se do espírito de todos e cada um se reuniu em volta do Pontífice para proteger sua pessoa e assisti-lo nas suas necessidades.

“Naquele momento foram vistos dois anjos, que traziam um estandarte e foram entregá-lo ao Pontífice dizendo: Recebe o pendão d’Aquele que combate e dispersa os mais fortes exércitos da terra. Teus inimigos desapareceram, teus filhos imploram teu retorno com lágrimas e suspiros.

“Levando o olhar para o estandarte, via-se escrito num lado: Rainha concebida sem mancha. E no outro: Auxílio dos Cristãos.

“O Pontífice tomou com alegria o estandarte, mas vendo o pequeno número dos que tinham ficado em volta dele, ficou aflitíssimo.

Ruínas romanas na noite
Ruínas romanas
“Os dois anjos acrescentaram: Vai logo para consolar teus filhos. Escreve a teus irmãos dispersos nas várias partes do mundo, que é necessária uma reforma dos costumes dos homens. Isto só se pode obter distribuindo aos povos o pão da palavra divina. Catequizai as crianças, pregai o desapego das coisas da Terra.

“É chegado o tempo, concluíram os dois anjos, de que os pobres serão evangelizadores dos povos. Os levitas serão rodeados pela enxada, a pá e o martelo, para que se cumpram as palavras de David: Deus ergueu o pobre da terra para colocá-lo sobre o trono dos príncipes de teu povo.

“Tendo ouvido isto, o Pontífice se pôs em movimento e as filas da procissão começaram a engrossar. Quando mais tarde colocou os pés na Cidade Santa, se pôs a chorar pela desolação na qual estavam os habitantes, muitos dos quais já não mais existiam. Reentrado em São Pedro, entoou o Te Deum, e um coro de anjos respondeu cantando: Gloria in Excelsis Deo et in terra pax hominibus bonae voluntatis.

“Terminado o canto, cessou de fato toda obscuridade e se mostrou um sol fulgidíssimo.

“Nas cidades, nas aldeias, nos campos, a população estava bastante diminuída. A terra parecia açoitada por um furacão, por enxurrada e granizo. E as pessoas iam uma para outra comovida, dizendo: Há Deus em Israel”.
(Archivio Salesiano Centrale, Roma, (AS S132 Sogni 1). Também em: P. Giovanni Battista Lemoyne S.D.B., Memorie Biografiche del Venerabile Don Giovanni Bosco, Tipografia S.A I.D. Buona Stampa, Torino, 1917, vol. IX. (Apêndice “B”, p. 999-1000).

Nenhum comentário:

Postar um comentário