quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

Proibição da mensagem de La Salette e maravilhosa redescoberta no século XX

Papa Bento XV, Library of Congress
S.S. Bento XV
Após a publicação do segredo de La Salette na data prescrita, os inimigos da mensagem exacerbaram ainda mais a oposição.

A polêmica entre os franceses atingiu uma tal confusão, que a Santa Sé, por meio de decreto do Santo Ofício de 21 de dezembro de 1915, proibiu a publicação de toda a versão do segredo.

Esta decisão, entretanto, de maneira alguma desencorajava a devoção a Nossa Senhora de La Salette. Em 9 de maio de 1923, uma edição do segredo com imprimatur do bispado de Lecce, na Itália, datado de 15-11-1879, foi inscrita no Index de livros proibidos.

Pareceria assim que nosso século não conheceria o segredo revelado em La Salette.



Para deslindar a controvérsia, impunha-se conferir os documentos originais dos videntes. Entretanto havia uma dificuldade aparentemente insuperável: os originais redigidos pelos videntes e enviados à Santa Sé tinham desaparecido no próprio Vaticano.

A proibição vaticana baseava-se precisamente na impossibilidade de conferir com os originais autênticos as versões em circulação. Com isso pareceu que toda difusão pública tinha ficado bloqueada, talvez para sempre.

No ocaso do século XX o sacerdote francês Pe. Michel Corteville preparava sua tese de doutorado, e escolhera o tema La Salette. Informado de que a Congregação para a Doutrina da Fé tinha liberado ao público os arquivos anteriores à morte do Papa Leão XIII, ocorrida em 20-11-1903, obteve licença para pesquisar neles.

Porém as informações dos bibliotecários foram desanimadoras. Os documentos de La Salette que ele procurava estavam definitivamente perdidos! O Pe. Michel mudou então o foco de suas pesquisas.

Découverte du secret de La Salette, Laurentin-Corteville
Livro dos padres Laurentin e Corteville
Em 2 de outubro de 1999 o Pe. Michel abriu mais uma caixa contendo velhas pastas de arquivo e maços de papel amarrados.

Do lado de fora de uma delas estavam escritas datas do pontificado de Leão XIII. Mas dentro – oh surpresa – havia pastas do tempo de Pio IX. E numa delas, todo o dossiê com os documentos originais relativos a La Salette, inclusive as várias redações do segredo!

Quando o Pe. Michel contemplava maravilhado os velhos documentos do pacote recém-aberto, o sino anunciou o fim do horário de consultas. Ele voltou à sua residência com uma alegria inexprimível: acabava de redescobrir os documentos oficiais de La Salette, encaminhados a Pio IX e à Santa Sé em diversas datas.

A partir de então o Pe. Michel pôde estudar minuciosamente esses documentos e dissipar as dúvidas que pairavam sobre o assunto. Os resultados desse trabalho formam parte da tese que ele defendeu com sucesso na célebre Faculdade de Teologia Angelicum, da Ordem Dominicana em Roma.

Essa tese, de mais de mil páginas, foi inicialmente publicada sob o título A Grande Notícia dos Pastores de La Salette (La Grande Nouvelle des bergers de La Salette, vol. 1, L’apparition et les secrets (Pars Dissertatio ad Lauream Facultatis S. Theologiae apud Pontificiam Universitatem S. Thomae de Urbe, Roma 2000), Téqui, Paris, 2001)

A tese foi resumida em livro com a colaboração do Pe. René Laurentin, sob o título A descoberta do Segredo de La Salette (Découverte du secret de La Salette, Paris, Fayard, 2002).

O livro contém o Imprimatur de Mons. Michel Dubost, Bispo de Evry, e nihil obstat de Dom Bernard Billet, da abadia de Notre Dame de Tournay.

É por intermédio deste trabalho que podemos agora ler tranqüilamente o segredo completo de La Salette.

Um comentário:

  1. Algumas fontes dizem que a perseguição à mensagem de La Sallete deu-se principalmente não pela objeção dos eclesiásticos, senão pela livre interpretação das palavras do segredo feitas por iluministas, maçons e laicistas franceses que utilizavam as frases da Virgem Santíssima para desestruturar a credibilidade do Santo Padre da época, bem como dos Estados Pontifícios.

    Caríssimo, essa informação procede com os fatos?

    ResponderExcluir